MAIN
Home
Arquivos
BACKGROUND
Teachings
FAQ
FAQ
FAQ
FAQ
FAQ
FAQ

 

FAQ
FAQ
MAIS RECURSOS
Magazine
 
 

 
 Início >> Arquivos>>Doutrina Básica

Share International HomeShare International HomeBackground information

Doutrina Básica - Perg & Resp


P. Qual é a fonte desta informação que você está nos dando?

R. Os Ensinamentos da Sabedoria Eterna são tão antigos quanto a própria humanidade. Esses são os ensinamentos de um grupo de homens que foram além do estágio estritamente humano e entrarem no próximo reino, o Reino Espiritual. Eles são os Mestres da Sabedoria e os Senhores da Compaixão. Eles são homens e mulheres como nós que expandiram suas consciências para incluírem os níveis espirituais. Existe um grande número desses homens Iluminados em nosso planeta, Que estiveram vivendo nas remotas áreas montanhosas e desertas por incontáveis milhares de anos. De tempo em tempo Eles liberam aspectos de Seus ensinamentos, até aonde nós podemos absorvê-los e utilizá-los, afim de nos iluminarmos. Em tempos modernos a maior expressão desses ensinamentos foi dado através de Helena Petrova Blavatsky, uma das fundadoras da Sociedade Teosófica, entre 1875 e 1890. Seu livro A Doutrina Secreta é a fase preparatória de ensinamentos dados para o novo ciclo cósmico que nós agora estamos entrando-- nós o chamamos de Era de Aquário. Uma fase posterior foi dada através de uma discípula Inglesa, Alice Bailey, entre 1919 e 1949, pelo Mestre Tibetano, Djwhal Khul, e esta é vista como a fase intermediária de ensinamentos. Entre 1924 e 1939, um outro corpo de ensinamentos-- os ensinamentos da Agni Yoga-- foram dados através de outra discípula Russa, Helena Roerich. Esses ensinamentos da Sabedoria Eterna são os meios pelos quais a humanidade é mantida informada de sua essencial divindade e de sua jornada de evolução em direção à evolução.

P. Qual ,você diria, é o propósito por de trás da evolução?

R. Existe apenas um propósito que nós podemos conhecer em todo o cosmos-- o serviço do cosmos pelo cosmos. É verdade dizer que nós somos Deus, não existe algo que possamos chamar de Deus lá fora e nós aqui. Deus é um estado de Ser, um estado de consciência. Quando você não tem esse estado de consciência, podem dizer-lhe que você é Deus, mas você não o experiencia. Quando você o experiencia, quando você conhece isso, você pode colocá-la em efeito. A primeira e mais importante forma de expressar essa experiência é através do serviço. É por isso que existe este planeta Terra, porque existe um sistema solar, um universo. Pense no tamanho da Via Láctea, nossa própria galáxia, com os seus bilhões de sistemas solares, um pequenino canto do universo. Pense no sistema solar, com os seus vários planetas-- alguns mais, alguns menos evoluídos. Pense em nossa própria Terra, com sua miríade de criaturas e indivíduos nela. Tudo isso é o corpo de expressão de uma entidade, um Ser com consciência. Essas são a formas exteriores de uma grande entidade que está realizando experimentos. Esses experimentos são a Terra, Jupíter, Vênus, Marte, etc. Esses são os experimentos de uma entidade, o Logos, impelido em manifestação criativa pelo desejo de servir. Essa entidade não é separada de você e eu. É um aspecto do todo-- uma parte mais avançada do todo do que você e eu, mas nós também somos parte dessa mesma forma. Se existe um Deus que criou todas as coisas, não pode haver mais nada além. Só pode haver Deus. Na jornada de retorno, na construção do antahkarana, esta é a percepção.

P. O que então é a evolução

R. Evolução é o movimento pelo qual a vida se conhece e se expande, torna-se consciente de si mesma, e cria outras, mais evoluídos e criativos aspectos de si mesma. Evolução é parte desse processo cósmico pelo qual tudo o que nós chamamos vida acha expressão na matéria. Existe tensão entre o processo criativo na matéria e naquilo que fica por detrás, que não é matéria. Essa tensão coloca em movimento o processo criativo e dá a oportunidade para o que nós chamamos Deus, o Criador, de se expandir e de ser criativo. É isso o que nós estamos fazendo. Nós não somos diferentes disso. Nós somos Deus. Bem literalmente, nós somos Deus. Não existe mais nada para ser a não ser Deus. Tudo o que você vê, sente e experiencia é uma experiencia, real, relativamente falando, ou irreal, relativamente falando, daquilo que nós chamamos Deus, o Criador, o “Senhor”, como Maitreya o chama. O Ser dá ao Senhor a oportunidade de criar fragmentos diferenciados que estão imbuídos com cada aspecto de si mesmo..

P. Como a raça humana veio à existência?

R. De acordo com os ensinamentos esotéricos, a raça humana começou há dezoito milhões e meio de anos atrás. Naquele tempo, o primitivo animal-homem tinha chegado em um relativamente alto estado de desenvolvimento: ele tinha um corpo físico poderoso e coordenado; uma percepção sensível ou corpo astral, e o germe da mente que mais tarde formaria o núcleo do corpo mental. A energia da mente—o quinto principio-- foi trazida para esse planeta de Vênus pelos Senhores da Chama, e isso resultou em um enorme estimulo para evolução. Os egos humanos (almas) no plano da alma então tomaram encarnação no animal-homem, e a humanidade começou. A história Bíblica de Adão e Eva é uma representação simbólica desse evento histórico.

P. Por que alguns escritores dizem que somos anjos caídos? O que ocorreu?

R. Isso relaciona-se à “queda” biblica do homem do “paraíso”. Essencialmente, cada um de nós é uma alma em encarnação, um anjo solar. No plano da alma, cada alma é uma parte individualizada de uma única Grande Alma; a separação que nós experienciamos no nível da personalidade é uma ilusão-- a grade heresia. A “queda” refere-se a decisão-- tomada à 18.5 milhões de anos atrás-- das almas humanas de virem em encarnação pela primeira vez; de sair do “paraíso”-- o estado natural de perfeição da alma-- para a experiencia “do fruto da árvore do conhecimento”. Esse é um grande sacrifício para a alma humana pois envolve severa limitação de sua esfera de expressão. O sacrifício é tomado de bom grado, no entanto, para levar adiante o Plano de Evolução do Logos do planeta. Assim a “queda” é realmente simbólica.

P. O céu existe?

R. “Céu” é um estado interior de Ser ou consciência. “O Reino dos Céus está dentro de nós”, como o próprio Jesus disse. O Reino dos Céus é o Reino Espiritual, o Reino das Almas, a Hierarquia Espiritual de Mestres e Iniciados, o reino imediatamente acima do humano. Entra-se nele através da porta da iniciação. É a consciência que resulta da união da alma e da personalidade humanas. O modo de se atingir tal união é a meditação que é o meio pelo qual o verdadeiro Ser, o ser Superior ou alma e o seu reflexo-- o homem ou mulher em encarnação-- são fundidos na personalidade imbuída pela alma.

Há também outro significado para “céu”. Almas que não estejam em encarnação gastam um tempo maior ou menor de “tempo” (tempo é um conceito do plano-físico do cérebro humano) em Devachan, um estado de constante graça, enquanto aguardam o chamado para reencarnarem. O conceito Cristão de céu, embora de certa forma distorcido, relaciona-se a esta experiencia.

P. Você usa a palavra Deus muito frequentemente. Você poderia nos dar sua visão do que você quer dizer por Deus? Você pode definir Deus?

R. Curiosamente nós não recebemos muito esta pergunta mas nós a recebemos na semana passada, e então eu disse que esta provavelmente seria a questão mais difícil de se responder-- quem sou eu para dizer o que Deus é? Se eu posso dizer alguma coisa sobre ele, eu diria que em certo sentido não existe algo como Deus, Deus não existe. E em outro sentido, não existe mais nada além de Deus-- apenas existe Deus. Deus para mim-- Eu estou falando intelectualmente agora, de um ângulo do qual alguem não pode conhecer Deus, mas já que você me perguntou por uma definição (você pediu pelo impossível, mas eu tentarei)-- Deus é a soma total de todas as leis, e todas as energias governadas por essas leis, que compõem todo universo manifestado e não manifestado-- tudo que nós conhecemos e vemos e ouvimos e tocamos e tudo o que nós não sabemos ou ouvimos, vemos ou tocamos, em toda parte, na totalidade do cosmos. Todo fenômeno manifestado é parte de Deus. E o espaço entre esses fenômenos manifestados é Deus. Então, em um sentido muito real, não existe mais nada além. Você é Deus. Eu sou Deus. Este microfone é Deus. Esta mesa é Deus. Tudo é Deus. E porque tudo é Deus, não existe Deus. Deus não é alguem para quem você pode apontar e dizer “Este é Deus”. Deus é tudo que você conhece ou pode ainda conhecer-- e tudo além do seu nível de conhecimento.

P. Se Deus fosse onipresente, isso seria o Paraíso. Por que existe sofrimento?

R. Você é uma alma encarnando no plano físico, através de uma personalidade, com um veículo físico, um emocional, e um mental. Todos esses compõem a sua personalidade, o reflexo neste plano de um grande deus, sua própria alma-- que é idêntica com o Logos desse planeta do qual nós somos parte. A razão pela qual sofremos, fundamentalmente, é porque nós pensamos em nós enquanto separados. Porque nós acreditamos e nos experienciamos enquanto separados de Deus. Se nós pudéssemos, de momento em momento, como os Mestres da Sabedoria fazem, como os altos Iniciados fazem, experienciarmos como um com tudo que existe, Único, e idêntico, nós perceberíamos que nós e Deus somos Um. Nós não iriamos mais sofrer.

P. Qual será o eventual objetivo desse planeta, em sua evolução?

R. Um dia nós conheceremos Deus. Nós conheceremos Deus realmente, quando nós tivermos nos elevado, ocultamente, através do processo de Iniciação, através da agência do Cristo e dos Mestres. Este planeta irá brilhar como uma jóia nos céus, e dele irá radiar-se um tipo particular de energia, um raio especifico em sua pureza. Este planeta, como todos os planetas, é governado por um raio particular, e absorve e irradia energias. Mas necessariamente, no momento, já que não é perfeito, já que não nem mesmo um planeta sagrado, a luz emitida deste planeta é fosca. A potência de raio é relativamente baixa. A qualidade da cor é fragmentária, impura. Um dia, através da agência do homem, este planeta irá brilhar com o brilho de um diamante. Este é o principal objetivo deste planeta-- de brilhar nos céus em sua forma absolutamente pura, irradiando seu raio especifico em total pureza.

P. Alice Bailey fundou a Lucifer Trust, que ela depois mudou para Lucis Trust-- o que ela queria dizer com “Lucifer”?

R. Lucifer é o nome de um grande Anjo, não um que começou nos céus e que se revoltou contra Deus e foi enviado para as regiões inferiores como o Diabo. Essa é uma completa má interpretação. Lucifer significa luz, e vem do Latin lux, lucis, significando luz. É o nome de um Anjo Que anima o reino humano; cada pessoa, portanto, é um fragmento de Lucifer. De acordo com o ensinamento esotérico, as almas humanas individualizaram-se há 18 milhões e meio de anos atrás. Lucifer, a Grande Alma, diversificou-se, e cada fragmento tornou-se individualizado.

Essas almas humanas individualizadas desceram do plano da alma para encarnação. A “queda” de Adão e Eva do paraíso é a representação simbólica desse evento; ele não possui nada haver com o Diabo ou com Lucifer como uma entidade maléfica, mas com a natureza divina da própria humanidade enquanto almas.


© 2000 Share International. Todos os direitos reservados.
A reprodução de artigos de qualquer forma da Share International requer permissão que não será dada de maneira desmedida. Para requisitar a permissão ou se você tem perguntas, por favor viste nossa página de feedback http://share-international.org/feedback/feedback.htm e clique em “request to reprint published material”.

 

 


HomeCopa

  | INÍCIO | | ARQUIVOS |