MAIN
Home
Arquivos
BACKGROUND
Teachings
FAQ
FAQ
FAQ
FAQ
FAQ
FAQ

 

FAQ
FAQ
MAIS RECURSOS
Magazine
 
 

 
 Início >> Arquivos>>Os requerimentos para a iniciação

Share International HomeShare International HomeBackground information

Os requerimentos para a iniciação
por Benjamin Creme

Uma discussão sobre os requerimentos para as primeiras três iniciações, seguidos por perguntas e respostas sobre este "...complexo, profundamente esotérico e misterioso assunto."

Eu mostrei a história do evangelho como a apresentação para a humanidade, em forma simbólica, do caminho esotérico para a iniciação. Muitas pessoas hoje já estão, ou no limiar, deste caminho, e mesmo assim muito pouco é conhecido sobre os verdadeiros requerimentos para estas grandes expansões de consciência que constituem a iniciação. Seria apropriado, portanto, tocarmos nestes requerimentos, lembrando sempre que um artigo deste tipo pode fazer nada mais do que cobrir, superficialmente, os essenciais básicos. A iniciação é um complexo, profundamente esotérico e misterioso assunto, e aqueles que desejam ler mais profundamente sobre ele deveriam ler os escritos do Mestre Djwhal Khul através de Alice Bailey, em particular Iniciação, Humana e Solar.

É importante lembrar que iniciação é um processo, não uma cerimônia (embora ela de fato envolva uma cerimônia), e nem a passagem com sucesso por algum exame. É o resultado de uma gradual expansão de consciência. É uma crescente consciência e demonstração das realidades espirituais que estão por detrás de nossa expressão no plano físico exterior—nosso Ser superior, ou alma, e do que a própria alma é um reflexo, a Mônada divina ou centelha de Deus. É um processo pelo qual sucessivos e graduados estágios de unificação de momento a momento ocorrem entre o homem ou mulher em encarnação e estes aspectos mais elevados de nossa constituição tripla.

Existem várias menores, mas apenas cinco maiores iniciações planetárias. Cada uma representa um estágio definido de integração de momento a momento alcançado pelo iniciado. O objetivo é atingido quando, na quinta iniciação, o Mestre liberado está em um estágio de união de momento a momento com a Mônada, Seu Pai nos Céus. Ele expandiu Sua consciência afim de incluir os planos espirituais e não precisa de mais experiências de encarnação neste planeta. Para o Mestre existem unificações mais elevadas—com o Logos planetário e o sistêmico—com as quais não devemos nos preocupar.

A iniciação indica um ponto atingido, mas não traz a tona esta realização. A própria vida é o campo de desenvolvimento do processo; são as experiências, os testes e falhas da vida cotidiana, e o gradual aperfeiçoamento de nós mesmos que levam ao controle da matéria e a consciência de todos os planos que caracterizam o Mestre iniciado.

Uma Antiga Ciência

Tecnicamente, a iniciação é um processo artificial, cientifico, que acelera o processo evolucionário; historicamente, é muita velha. Ela não é obrigatória—homens e mulheres podem levar o tempo que quiserem para atingirem a perfeição. Mas ela provê os meios para os quais aqueles que estão prontos e dispostos a fazerem os esforços para passarem pelas provas e testes e, acima de tudo, fazerem os sacrifícios e renuncias que a iniciação demanda, possam acelerar a jornada de evolução imensurável, e assim servir mais completamente ao Plano do Logos.

Os requerimentos para cada iniciação necessariamente mudaram conforme a humanidade evoluiu; cada novo estágio alcançado pela humanidade como um todo leva estes requerimentos acima.

Hoje, do “ponto de vista” dos Mestres, a terceira é a primeira verdadeira (da alma) iniciação, com a primeira e a segunda sendo realmente preparatórias, demonstrando o controle dos veículos—físico e astral respectivamente—da personalidade. Através destes corpos purificados e integrados, o homem divino interno, a alma, faz sua presença sentida, apropriando-se dos veículos e brilhando através da personalidade. Quando esta integração inclui o controle mental, a terceira iniciação pode ser experienciada.

Sincronismo de vibração é a chave para este processo. A alma pode apenas se manifestar em alguma extensão maior através de veículos de vibração análoga. É por esta razão que tanta ênfase tem sido posta, em todos os ensinamentos, na purificação—do corpo físico, dos sentimentos, da mente e do motivo. O processo de purificação começa corretamente no Caminho Probatório; ao tempo que o Caminho da Iniciação esteja sendo trilhado, espera-se que os hábitos de pureza já estejam estabelecidos e sejam automáticos.

O corpo físico é o primeiro a passar por esta purificação e, para aqueles em preparação para a primeira iniciação, uma dieta vegetariana se torna essencial. Comer carne tem o efeito de abaixar a vibração do corpo físico do homem e deve ser eliminada da dieta. É interessante perceber o quanto tantas pessoas hoje, especialmente os jovens, estão se tornando vegetarianos. Não há duvidas que isto se relaciona com o fato de que alguns milhões de pessoas estão agora no limiar da primeira iniciação; conscientemente ou inconscientemente elas estão respondendo à percepção interna da alma.

Marcas de Cada Iniciação

Consciência de um plano é uma coisa muito diferente de controle sobre aquele plano, e iniciação é o resultado, não apenas de consciência, mas também de controle. Na primeira iniciação, o controle da alma (ou Ego) sobre o corpo físico deve já estar bem avançado.

Os desejos do corpo por comida, bebida, sexo, sono, descanso, não devem mais dominar. Isto não quer dizer que o aspirante não deve mais comer, beber, dormir ou ter relações sexuais, mas todos estes devem ser feitos com moderação, regulados, e sobre o controle da alma. O controle é realmente sobre o elemental físico. Todos os nossos corpos, materiais e espirituais, são compostos do corpo de pequeninas vidas dévicas (angélicas) ou elementais, os tão chamados pitris lunares ou solares. Os pitris lunares formam os corpos físicos, astral e mental do homem inferior, enquanto que os pitris solares constituem o corpo da alma, ou corpo causal.

A primeira iniciação é chamada de Iniciação do Nascimento. É o resultado do nascimento da consciência do Cristo na caverna do coração, e aspirantes que passaram por esta experiência terão orientado a si mesmos em direção à vida espiritual—o que não significa necessariamente a vida religiosa. Uma retidão geral de conduta e pensamento, e uma atitude de boa vontade serão demonstradas.

O caráter ainda pode ter muitas falhas (o ideal raramente é alcançado), mas uma nova e mais compreensiva e inclusiva atitude para com todos os seres será demonstrada, e o desejo por servir será forte. Como um resultado do controle sobre o elemental físico, uma criatividade maior irá se manifestar. Isto é devido à mudança do fluxo de energia dos chakras mais baixos para o centro da garganta. Não é por acidente, portanto, que a cultura de qualquer civilização seja criada pelos iniciados.

A segunda iniciação demonstra o controle emocional, controle do elemental astral, assim como a primeira demonstra controle do elemental físico. É dito que esta iniciação é a mais difícil. O iniciado imerso nas brumas do desejo, das névoas astrais, precisa clarificar suas respostas à realidade e libertar-se da escravidão emocional. Tão poderosa é a natureza astral do homem que esta é uma tarefa enormemente difícil e pode levar muitas vidas para que seja realizada. A alma, através da agencia da mente, tem o controle sobre o corpo emocional e o torna límpido e claro para seu verdadeiro propósito: um veiculo adequado para o nível búdico ou intuicional de consciência.

O quinto principio da mente, trabalhando através do corpo mental, age como um diretor e organizador da reação astral, e assim, como um dissipador do glamour. O Mestre Djwahl Khul escreveu:

            “A segunda iniciação é profundamente difícil de se tomar. Para aqueles sobre os   primeiro e segundo raios de aspecto, é provavelmente a mais difícil de todas.”

No entanto, com o advento do Cristo, agindo como um dissipador do glamour em uma escala mundial, o caminho à frente para um grande numero de aspirantes agora se aproximando desta experiência será facilitado, e muitos, tendo há muito tempo atrás tomado a primeira iniciação, irão passar através dos portais por uma segunda vez durante esta vida.

Com a segunda iniciação já atrás dele, o iniciado precisa aprender o controle de seu veiculo mental. Assim como as névoas de glamour no plano astral tiveram que ser dissipadas, agora as ilusões do plano mental devem ser dissolvidas na luz fluindo cada vez mais brilhantemente da alma.

A terceira iniciação, a Transfiguração, demonstra a personalidade completamente integrada, imbuída pela alma e respondendo agora à energia da Mônada. Amor, sabedoria e vontade dinâmica, os atributos da alma, agora brilham claramente através da personalidade, e uma vida criativa de serviço mundial e efetividade é garantida.

Estas três maiores iniciação planetárias devem ser sempre tomadas em encarnação, no plano físico. Desta maneira, a consciência do iniciado é demonstrada através da mente e do cérebro.

Para concluir o breve e necessariamente incompleto relato sobre os requerimentos para cada iniciação, eu cito novamente os escritos do Mestre Djwhal Khul: “Quando um homem toma a quarta iniciação, ele funciona no veiculo do quarto plano, o búdico, e passou permanentemente do circulo-não-se-passa da personalidade. Este grande ato de renuncia marca o momento quando o discípulo não possui nada nele que o relacione aos três mundos (físico, astral e mental) da evolução humana. Seus contatos com estes mundos no futuro serão puramente voluntários, e para propósitos de serviço.” (Raios e Iniciações, p.696- versão em inglês.)

“A vida de um homem que tenha tomado a quarta iniciação, ou a Crucificação, é normalmente de grande sacrifício e sofrimento. É a vida de um homem que faz a Grande Renuncia, e mesmo exotericamente é vista como sendo vigorosa, duro e dolorosa. Ele abriu mão de tudo. Até mesmo de sua personalidade perfeita, sobre o altar do sacrifício, e permanece à parte de tudo. Tudo é renunciado, amigos, dinheiro, reputação, temperamento, seu lugar no mundo, família, e até mesmo a própria vida.” (Iniciação, Humana e Solar, pp. 88-9-versão em inglês)


PERGUNTAS E RESPOSTAS COM BENJAMIN CREME

P. Se eu tive uma experiência mística, como eu posso saber se foi a primeira iniciação ou não?

R. Se você teve uma experiência mística, você pode ter certeza de que não foi a primeira iniciação! Conforme o homem interno, com seus centros em chamas com o fogo devido ao cetro da iniciação, retorna ao corpo físico, a primeira reação é quase sempre de desequilíbrio físico. Freqüentemente, uma sensação de morte iminente—apesar de toda indicação de boa saúde—é a sensação mais forte. Estas reações puramente físicas podem ser acompanhadas, mais cedo ou mais tarde, por vagas memórias de eventos místicos ou cerimônias, mas este nem sempre é o caso.

P. Um iniciado conhece a sua Iniciação e o seu padrão de raio?

R. Não necessariamente. Existem sempre muitos iniciados, acima e incluindo a Terceira Iniciação, que não sabem nada sobre tais assuntos e não possuem interesse em ensinamentos esotéricos. De fato, em seus campos particulares, eles servirão melhores nessa vida sem tal interesse (eu estou pensando por exemplo no político ou homem industrial “homem de ação” que precisa de um foco exterior, para quem a introspecção que vem com a meditação seria um empecilho). Existem muitos, além, que tomaram a primeira ou até a Segunda Iniciação em uma vida anterior, mas não possuem reconhecimento do fato—mesmo que familiares com os ensinamentos. Da mesma maneira, já que a psicologia esotérica está em sua infância, por assim dizer, existem relativamente poucos que conhecem sua estrutura de raio. Isso, é lógico, irá mudar conforme o interesse sobre tais assuntos se aprofundar.

P. Como nós podemos explicar a aparente disparidade do vasto numero de pessoas em encarnação efetivamente realizado complexos trabalhos mentais (atuários, matemáticos, etc) e o numero estimado relativamente menor daqueles acima do nível da primeira iniciação?

R. A resposta reside no fato de que a vasta maioria da atividade mental inteligente demonstrada por milhões hoje ainda é a atividade da mente inferior. O verdadeiro trabalho mental criativo de matemáticos inspirados, cientistas, e por aí em diante, é sempre conseguida por iniciados de algum grau. Aquilo que não pode ser ensinado é o resultado da intuição, da mente superior, e o desabrochar do desenvolvimento da alma e sua influencia. Outro fator é este: consciência de um plano (e portanto, a habilidade em se utilizar as energias daquele plano) é uma coisa muito diferente de controle daquele plano. O iniciado precisa demonstrar controle de cada plano—físico, astral e mental—conforme ele ou ela prossigam em direção à perfeição.

P. Pessoas que tenham tomado a primeira ou segunda iniciação em uma vida anterior descobrem que possuem, sem esforço, as habilidades alcançadas na vida anterior (p.e. o controle do corpo físico, o controle do corpo emocional no caso de iniciados de segundo grau)?

R. O grau de controle (que pode muito bem não estar completo apesar de ter se tomado a iniciação) alcançado em qualquer vida é levado para a próxima. A taxa vibracional de cada corpo é determinada pela taxa vibracional dos átomos permanentes (físico, astral e mental) ao redor da matéria da qual os novos corpos são formados. Cada iniciação é tomada apenas uma vez e estabiliza a taxa vibracional.

P. O que se pode fazer conscientemente para acelerar o processo de polarização mental, além, ou somando-se, à Meditação de Transmissão?

R. Polarização mental é o resultado da elevação gradual de consciência do plano astral/emocional para o plano mental, e cobre o período entre a primeira e a segunda iniciações. O veiculo astral é o mais poderosamente desenvolvido corpo que a humanidade tem; ele levou milhões de anos para se aperfeiçoar, e a maioria das pessoas são dominadas por sua ações (ou, mais corretamente, pelo elemental astral do qual ele é composto). O Mestre Djwhal Khul escreveu que o maior serviço que você pode dar ao mundo é o controle do veiculo astral. Isto é feito do plano mental e leva algumas ou muitas vida para se concretizar.

Os planos astrais (existem sete no total) são os planos da ilusão ou do glamour. Quando as névoas do glamour forem dissipadas pela luz do plano mental, uma mudança gradual de polarização ocorre. As pessoas imaginam que estão pensando, quando de fato estão vestindo suas reações emocionais em pensamento-forma astrais que elas confundem com pensamento. Qualquer coisa, portanto, que foque a mente, que traga-a a ação em qualquer reação ou situação, acelera o processo de polarização. Meditação, seja lá de que tipo for (exceto o estado de devaneio negativo que tão freqüentemente se confunde com meditação), é o principal motor nesta direção; uma determinação aplicada em se olhar mais impessoalmente e honestamente possível suas ações, em cada situação, especialmente as mais perturbadoras; uma compreensão de sua estrutura de raios—e portanto dos seus glamoures; a dedicação da vida de alguém em servir à humanidade, levando a uma maior descentralização. Todos estes ajudam a elevação de consciência a planos mais altos, assim trazendo a luz da alma em cada situação de vida.


© 2000 Share International. Todos os direitos reservados.
A reprodução de artigos de qualquer forma da Share International requer permissão que não será dada de maneira desmedida. Para requisitar a permissão ou se você tem perguntas, por favor viste nossa página de feedback http://share-international.org/feedback/feedback.htm e clique em “request to reprint published material”.

 

 


HomeCopa

  | INÍCIO | | ARQUIVOS |