MAIN
Home
Arquivos
BACKGROUND
Teachings
FAQ
FAQ
FAQ
FAQ
FAQ
FAQ

 

FAQ
FAQ
MAIS RECURSOS
Magazine
 
 

 
 Início >> Arquivos>>Serviço e o discípulo

Share International HomeShare International HomeBackground information

Serviço e o discípulo
por Benjamin Creme

Uma analisada no papel central do serviço na evolução espiritual de todos que aspiram expressar a si mesmos como almas em encarnação.

O impulso básico por trás de toda a criação é esta atividade da alma que nós chamamos de serviço. Serviço não é nada mais do que a demonstração em relacionamento da lei do amor. É o amor de Deus por sua criação que impele o próprio Logos a encarnar e a demonstrar a Si Mesmo através de uma forma planetária. Nós somos parte desta forma planetária. Nós somos pensamentos-formas na mente do Logos. Como o Cristo tão belamente colocou, “nós somos os Seus sonhos”. Ele nos trouxe em manifestação, e da mesma maneira pode nos tirar de manifestação. Nós devemos toda a nossa existência e consciência ao Seu ato de serviço e beneficio do Logos solar. Ele, por sua vez, criou seu corpo de manifestação, o sistema solar, em relação à Sua consciência do plano “Daquele do qual nada pode ser dito” no centro de nossa galáxia. Nós nos relacionamos a este mesmo impulso toda vez que servimos. Cada impulso da alma levando ao serviço é uma demonstração em nosso nível bem pequeno do impulso iniciado incontáveis anos-luz de distância e anos-luz no tempo pelo Logos no coração de nossa galáxia.

Isto demonstra o quão importante e quão insignificantes nós somos: quão insignificantes como personalidades individuais, e quão importantes como expoentes ativos da atividade de nossas almas. Conforme nós servimos, nós crescemos em serviço e crescemos em amor. Conforme nós crescemos em amor, nós crescemos em mais serviço e em mais amor. É da natureza de Deus amar e servir. Nós estamos vivendo em um sistema solar do 2º raio (este é um truísmo esotérico). Isto quer dizer que neste sistema solar, Deus é amor. O 2º raio do amor-sabedoria é o raio básico sintetizador de todo o sistema. Seja lá que outro raio ele possa estar demonstrando, seja lá que outra qualidade de raio pode ser a nossa, seja como almas ou personalidades, por trás de tudo está o 2º raio do amor-sabedoria. Cada outro raio, incluindo o 1º e 3º raios, são sub-raios do 2º raio. Nós somos feitos na imagem de Deus como amor, e na natureza de Deus como amor para servir. Existe apenas um impulso em todo o cosmo, demonstrando-se de maneira multifacetada: o impulso para servir. Aí está a importância do serviço na evolução do individuo, e especificadamente, do discípulo.

O discípulo tem, até certo ponto, dedicado a si mesmo para servir o Plano de evolução do planeta até onde ele tenha se tornado consciente deste Plano. A qualquer momento, ele pode se tornar consciente apenas de um pequeno fragmento do Plano, mas seu propósito em encarnação é o de demonstrar seu conhecimento deste fragmento da melhor maneira segundo a habilidade de sua alma.

O objetivo para todos os discípulos, portanto, deve ser o de ver acima e além da visão limitada da personalidade para a visão mais ampla e inclusiva da alma e de trabalhar do nível da alma. Nossa dificuldade em trabalharmos juntos e de nos relacionarmos com cada um é devido às nossas estruturas de raio. É isto o que nos mantêm separados um dos outros. Até onde nossa personalidade, que possui um sentido limitado de unicidade, é dominante e potente, nós encontramos resistência de outras personalidades igualmente dominantes governadas por diferentes raios. É isto que cria a fricção em cada grupo e em toda conferencia internacional. A humanidade hoje é muito diferente, tão orgulhosa de suas diferenças, e tão orgulhosa de sua individualidade. Isto é o resultado direto da influência dos últimos 2000 anos sobre Peixes. Tão bem sucedida tem sido esta influência que uma grande parte da humanidade está agora demonstrando uma poderosa e auto-assertiva individualidade. Você não pode abrir mão daquilo que você ainda não tem. Para abrir mão de sua individualidade, você precisa ter individualidade. A humanidade está começando a demonstrar a potência de Leão. Leão é o signo da potente, narcisista, auto-orientada, e egoísta personalidade. Tudo o que é necessário para se mover para Aquário e demonstrar o servidor.

De Leão à Aquário

Leão e Aquário são pólos opostos. Leão é o fundo, ao meio, da carta zodiacal, e Aquário está em cima. Eles são absolutamente, diametralmente opostos. Você move-se, eventualmente, de Leão para Aquário: do homem ou mulher dedicado a servir sua própria personalidade à parte, para o servidor do mundo. É necessariamente, antes de tudo, servir sua própria personalidade à parte para se tornar potente na expressão da personalidade. Porque se você não é potente na expressão da personalidade, a alma não possui nada o que utilizar. Você é o veiculo para a alma e a alma precisa de uma personalidade potente e integrada através da qual ela possa derramar sua energia e levar à diante seus planos e propósitos. A dificuldade para a alma é que ela tenta fazê-lo através de um material inadequado. É quanto a isto que se relaciona o processo de evolução. É, antes de tudo, sobre desenvolver um instrumento, um aparato de personalidade com um poderoso e focado corpo mental, um corpo astral purificado e um corpo físico forte e saudável. Com esta personalidade tripla a alma eventualmente cria um veículo através do qual sua própria natureza pode ser expressa poderosamente. Leão serve à sua própria personalidade.

Aquário serve ao mundo. Este é o movimento da personalidade potente, auto-servidora e narcisista para o servidor do mundo. Deixe-me citar o Mestre DK, citando do Velho Comentário (Leão, o auto-servidor, é lógico, o leão):

“O leão começa a rugir. Ele corre à diante, e deseja viver, ele empunha a destruição. E novamente ele ruge e, correndo em direção à corrente da vida, ele bebe profundamente. Então, tendo bebido, a magia das águas começa a se realizar. Ele se transforma. O leão desaparece, e aquele que carrega o aguadeiro vem à diante e começa sua missão.”

O leão, Leão, a auto-servidora e potente personalidade, muda e torna-se Aquário. Ele torna-se “aquele que leva a água”. A destruição que o leão empunha é precisamente a destruição do individuo narcisista, auto-servidor e potente. Se você não é potente como uma personalidade, você nem destrói, nem cria muito. Alguém precisa se tornar potente no sentido da personalidade. Por isto, eu não quero dizer tornar-se uma personalidade dominadora e dominante, mas uma efetiva e potente.

O objetivo do processo evolucionário então é, antes de tudo, criar uma personalidade integrada, a característica de Leão, o de demonstrar uma expressão ativa e expressiva da personalidade na qual os processos físico, astral e mental estejam integrados, sincrônicos em suas vibrações. Está tudo relacionado ao sincronismo de vibração. Sobre a lei do amor, semelhante atrai semelhante. É a força magnética, atrativa e coesiva do amor que trazem juntos os átomos da matéria para criar os tijolos construtores da vida. Esta é a função da energia que nós chamamos amor, o 2º raio do amor-sabedoria. Por sua ação, nós vamos à existência. Por sua ação, o processo criativo se desenvolve, as formas são construídas. Sem esta ação, não existiriam formas. O Principio Crístico, a própria energia da evolução, governa a criação do aspecto material. Os pequeninos tijolos de matéria são formados pela energia coesiva que nós chamamos amor, mantendo juntas as pequenas partículas de substância para criar tudo o que nós vemos, e, é lógico, tudo o que também nós não vemos. Esta força coesiva trabalha através do sincronismo de vibração.

Serviço é a chave. Eventualmente, a alma (que de fato nos leva à primeira iniciação—é o primeiro Mestre) olha abaixo e vê seu veiculo pronto pela primeira vez em milhares de encarnações, e leva o seu instrumento, nós mesmos, à meditação de algum tipo. Ela repete isto em cada encarnação subseqüente até que você pode ter uma vida inteira dedicada a uma forma realmente poderosa de processo de meditação. Então a alma trabalha, gradualmente “agarrando” seu veiculo. Enquanto isto, os Mestres vêem este processo. Eles trabalham cooperativamente com a alma e dão vários estímulos ao discípulo conforme ele se aproxima da iniciação. Eles estimulam energeticamente os veículos e chakras superiores do individuo. Eles podem estimular o centro do coração, procurando invocar a energia do amor, afim de despertar a natureza do coração ou amorosa do individuo (O do coração é quase sempre o primeiro dos chakras a serem abertos). Eles trabalham por estímulos e por testes, e o mais importante, provendo um campo de serviço para o individuo.

Isto é em si mesmo um teste. A alma deseja servir. O Mestre ajuda ao longo deste processo, provendo um campo de serviço. Se ele não estiver em contato direto com seu Mestre, o Mestre o faz através da pessoa quando esta está em uma experiência fora do corpo. O aspirante desejará servir de alguma maneira (ele pode querer servir por algumas encarnações, mas não fazer nada quanto à isto, mas ele quer servir). É a alma que está pedindo por serviço porque é a sua natureza. Os Mestres chamam o seu trabalho de “o Grande Serviço.” Suas existências neste planeta estão relacionadas com Seus desejos em servirem. Eles não estão aqui por qualquer outra razão a não ser a de servir ao plano de evolução de todos os reinos.

Conforme você serve, você muda. Uma coisa das mais extraordinárias acontece. O objetivo do discípulo é o de mudar do Leão integrado e auto-servidor para o servidor do mundo em Aquário. O leão do Velho Comentário desaparece e “aquele que carrega o aguadeiro vem à diante e começa sua missão”. O individuo auto-servidor, potente e separativo em Leão se torna o integrado discípulo, o servidor do mundo, aquele que leva a água em Aquário.

O Cristo vem hoje para servir ao mundo, para agir como o Agente de Deus, o Avatar, o Instrutor  do Mundo para esta era. Ele diz “Eu sou aquele que Traz a Água.” Ele traz as Águas da Vida, a nova vivência que Ele libera em todos os planos. Ele traz uma nova potência para nossa vida, nos planos físico, emocional, e nos planos mental e espiritual. Nós estamos entrando em um novo tipo completo de vivência semelhante àquela que apenas iniciados muito avançados puderam se tornar conscientes até agora. Isto se tornará a realidade para a vasta maioria da humanidade. A raça como um todo irá dar um tremendo passo à frente afim de se tornar o discípulo mundial.

Os caminhos do discípulo individual e do discípulo do mundo são paralelos. Você se move através do serviço. Saindo do rebanho como personalidades potentes, separadas e auto-servidoras em Leão, e, em Aquário, sacrificando a individualidade ganhada com esforço, a pessoa a coloca à serviço da alma e portanto do mundo. Esta é a Lei governando a evolução dos discípulos.

Estes princípios muito importantes governam a evolução dos discípulos. Eles são firmes (determinação para manter-se completamente, sem se mover e nunca retrocedendo, firmeza para com o Plano, para com o juramento do discípulo), serviço e sacrifício. Estes são os princípios governantes. É lógico que eles são inter-relacionados. Você não pode servir em um momento ou outro. Verdadeiro serviço da alma é uma expressão firme. Sua alma nunca tem o desejo de descansar, de mudar (exceto por uma mudança de veículo quando o antigo fica sem força). O discípulo, para progredir, deve mostrar firmeza; ele não pode se tornar um discípulo se ele não a demonstrar. Ele não deve apenas desejar servir, mas deve servir de fato. De outra forma, nenhum progresso pode ser feito. Eu sou abordado por várias pessoas que dizem, “Eu desejo servir! Por anos e anos eu tenho desejado servir. Eu tenho um sentimento profundo que eu nasci para ter um papel muito importante em ajudar as milhões de pessoas que morrem de fome no mundo. Você pode me dizer como começar?” Eu de fato recebo este tipo de requisição não uma vez, mas muitas vezes. Eu estou sempre encontrando pessoas que dizem, “Eu estou trabalhando em mim mesmo de maneira que eu possa servir melhor—é lógico que eu não posso servir até que eu esteja bem e saudável”. E eles acreditam. Eu não digo isto de uma maneira cínica—eles acreditam. Eles realmente acham que se eles tivessem um corpo melhor, eles obviamente seriam capazes de servir melhor. O que é verdade, mas não quer dizer que eles serviriam melhor, mas simplesmente que eles teriam uma capacidade melhor.

Alguns dos melhores servidores que eu conheço estiveram doentes toda a sua vida. Nós temos exemplos no passado de grandes discípulos como Helena Blavatsky e Alice Bailey que estiveram doentes por muitos anos. Alice Bailey esteve doente por deus sabe quantos anos. Apenas a atividade contínua de seu Mestre manteve Madame Blavatsky em seu corpo pelos últimos 13 anos ou mais de sua vida. Ela tinha várias doenças que teriam matado qualquer outra entidade; mas ela tinha uma vontade e demonstrou esta vontade em serviço. A vontade para servir, a vontade de sacrifício da alma, é o poder que impele estes grandes discípulos, não obstante as limitações do corpo físico, a canseira, a fadiga, os tolos pelos quais eles estavam cercados, se pode-se acreditar na história—não obstante tudo isso, a drenagem de suas atenções, suas energias, boa vontade, suas paciências—eles serviram como poucos serviram no mundo. Isto é verdade para todos os grande discípulos.

Conforme você serve, você muda. Por que você muda? Porque o serviço trabalha em você para realizar um milagre. É literalmente um milagre; um processo transformador que ocorre. A sua alma faz você servir, e você começa a servir seja lá de que forma pequena e limitada. O mais próximo que você está do campo de serviço, mais rápido você se lança nele. Não precisa estar do outro lado do mundo, embora este possa ser o seu chamado. Você pode começar bem onde você está agora. O objetivo é o de sair de uma situação completamente auto-servidora e centralizada. Nós todos somos centralizados; todos nós estamos vivendo como se fossemos o centro do mundo. Esta é a experiência física de todos nós, se você pensar sobre isso. Esta é a ação do principio do desejo. E, é lógico, é um estágio. Não é algo errado ou mal, mas é um estágio necessário do qual se sai. Conforme você serve, você muda o seu ponto de foco. Você se identifica com o que você serve. Você se identifica cada vez mais com aquilo que você serve, até que sem você estar consciente, você perde a consciência de si mesmo, você se esquece de si mesmo, e, conforme você se esquece de si mesmo, você se torna mais saudável, mais potente, mais energético.

O processo é o de descentralização. Conforme você se relaciona com aqueles que você serve, você se torna mais e mais descentralizado. Você se identifica com uma esfera cada vez mais ampla da vida, até que você pode, se você se tornar um Mestre, se identificar com toda a vida. O Mestre não possui, de maneira alguma, o sentido de Si Mesmo como uma individualidade separada. Ele não possui sentimento de personalidade. Ele não possui um sentido de “Eu”. Não existe sentido na consciência do Mestre de um ser separado. Ele possui apenas consciência grupal. Nós não sabemos o que isto é, nós nem podemos imaginar, mas é o que inevitavelmente será desenvolvido através da vindoura Era de Aquário, conforme nós nos movermos da experiência de Leão para a Aquariana; conforme nós nos movermos do auto-servidor em Leão, para o servidor do mundo em Aquário, e nos tornarmos o carregador das águas.

O Cristo trabalha através de nós. Ele traz as Águas da Vida “em abundância”, como Ele diz. E Ele diz, “Eu procuro canalizar estas Águas da Vida através de você.” Conforme nós nos tornamos os carregadores das águas, os servidores do mundo, nós agimos como canais para estas Águas da Vida, e através de nós o Cristo transforma o mundo. Através de nós Ele constrói as formas, as estruturas, a consciência da nova era.

O papel do serviço na evolução do discípulo é a natureza de Deus trabalhando através do discípulo. Daí a importância, e daí, é lógico, sua efetividade. Não é como uma ferramenta que pode ou não funcionar. Irá funcionar, é inevitável que irá funcionar, porque é a própria natureza de Deus. E conforme nós demonstramos a natureza de Deus através do serviço, nós nos tornamos deuses. Nós de fato nos tornamos deuses. De sermos seres humanos, homens e mulheres, nós nos tornamos seres divinos viventes e criativos. Serviço é a chave para todo o processo e dá ao discípulo a alavanca para sua evolução. Serviço é a alavanca para o processo evolucionário.


© 2000 Share International. Todos os direitos reservados.
A reprodução de artigos de qualquer forma da Share International requer permissão que não será dada de maneira desmedida. Para requisitar a permissão ou se você tem perguntas, por favor viste nossa página de feedback http://share-international.org/feedback/feedback.htm e clique em “request to reprint published material”.

 

 


HomeCopa

  | INÍCIO | | ARQUIVOS |