MAIN
Home
BACKGROUND
Teachings
FAQ
FAQ
FAQ
FAQ
FAQ
FAQ

 

FAQ
FAQ
MAIS RECURSOS
Magazine
 
 

 
 
 Início >> do Mestre>>Dezembro 2011

Share International HomeShare International HomeBackground information

mensagem anterior mensagem seguinte

Pedido de apoio!

Veio ao nosso conhecimento que mais e mais pessoas estão recebendo nossa informação apenas pelo website, desta maneira, renunciando ao pequeno custo de assinar a revista Share International.

Nem todos podem, ou usam a internet, e é essencial ter uma expressão física externa, que pode apresentar com fotos, os eventos dos quais falamos. Isto significa que é necessário que haja uma revista, que,é lógico, requer uma grande quantidade de trabalho de voluntários, e muito dinheiro para ser produzida. Talvez exista a idéia de que a Hierarquia distribua dinheiro para este trabalho, mas este não é o caso. Assinaturas para a Share International são uma parte essencial para manter o nosso trabalho e alcançarmos o público. O custo da assinatura é mantido o mais baixo possível, a revista não é patrocinada por propagandas e custo postais e de impressão estão aumentando a todo o momento.

Certamente nós todos concordamos que todos aqueles que seriamente acreditam neste trabalham gostariam de ajudar a revista, sejam eles leitores ou não das informações pela internet.

Obrigado pelo seu apoio.


 

O Arauto do Novo

pelo Mestre—através de Benjamin Creme,
12 de Novembro de 2011

Muitos irão lembrar do tempo presente como um tempo de teste, de tensão e de levante. Na verdade, visto com um olhar mais perspicaz, é um tempo de renovação, de preparação para um novo começo. Assim poderá o homem ter grande esperança das presentes mudanças. O passado já teve o seu dia e está rapidamente falhando em beneficiar a raça. Os jovens se tornam cansados e inquietos de sua longa dominação, e vão em direção às drogas e crime para acalmarem o tédio e desespero de suas almas.

Enquanto isto, o Arauto do Novo está silenciosamente inspirando uma nova geração de ativistas que irão emergir em cada nação, atentos às necessidades dos homens em todos os lugares. Já, como vocês sabem, os grupos de ativistas para as novas estruturas estão trabalhando abertamente e corajosamente em muitas terras, mostrando uma nova aspiração que está se formando nos corações de milhões: respeito por, e co-operação com todos, e um fim para a antiga ganância que traz divisão.

Assim os homens estão achando o desenho do tempo futuro, renovando a si mesmos no simples ensinamento de Maitreya. Paz e Justiça estão começando a tomarem o palco central nas mentes de milhões. Quando os homens perceberem que a partilha apenas irá trazer estes queridos conceitos em manifestação, eles irão embarcar em uma transformação da sociedade além de qualquer coisa prevista até hoje. Etapa por etapa, estas mudanças irão ser adotadas e experimentadas para o uso geral. A dor e o sentimento de perda de hoje irá dar lugar para renovada esperança e satisfação que o mundo está finalmente no caminho certo, e assim, que experimentos podem ser seguramente realizados.

Assim irá desaparecer o medo pela mudança. Grandes transformações irão ocorrer em uma seqüência ordenada conforme o homem percebe a beleza das novas formas. Gradualmente, os velhos caminhos de divisão do passado serão vistos como os erros do passado e se extinguirão, inúteis para a nova unidade.

As palavras e exemplos de Maitreya irão acelerar o sentimento de unidade, que irá mais e mais manifestar as energias de Aquário, levando os homens a uma síntese desconhecida hoje.

No tempo presente, os Mestres em Seus vários centros trabalham através de Seus grupos para trazerem estas mudanças com o mínimo de levante social. Suas são a tarefa de autorizar a mudança em um ritmo aceitável com a evolução, ao invés de revolução. Isto não é fácil de se fazer, pois os homens, quando jovens, são impacientes pelo novo, e quando velhos, são resistentes a mudarem. Daí o presente tumulto.

Muitos aguardam este tempo com esperança e alegria. Muitos mais estão presos em falta de esperança e medo. Muitos estão ansiosos em verem o mundo do futuro livre da guerra e da pobreza. Muitos mais aguardam cansados para que o seu fardo seja amenizado.

Maitreya irá despertar os homens para os seus destinos e libertá-los do medo e da dúvida. Ele irá libertá-los também do constante sentimento de alienação e desconfiança. O longo inverno do homem no deserto o preparou para os mais simples e felizes tempos à diante.


 

Perguntas e Respostas
- uma seleção da revista deste mês

P. Quantas entrevistas na televisão Maitreya já deu até agora?
R. 48 (Até 12 de Novembro de 2011)

P. Maitreya apareceu novamente na televisão Brasileira, desde a edição de Novembro de 2011 da Share International?
R. Sim, duas vezes.

P. Como os espectadores no Brasil responderam?
R. A resposta foi mista, à favor e contra.

P. As notícias contínuas sobre a Primavera Árabe são maravilhosas, mas seria muito triste se os países voltassem aos antigos modos de desigualdade quanto às mulheres. Negociações quanto à Lei da Sharia já estão nas notícias e tristemente, as mulheres parecem estar bem abaixo na lista de prioridades. Isto é algo com o qual apenas Maitreya pode lidar?
R. Seria triste de fato se os grupos Árabes atendessem a presente promessa por liberdade e democracia sem estendê-la à todas as mulheres Árabes. Pessoalmente, eu não espero que este seja o caso, por exemplo, no Egito, Tunísia ou Líbia.

Muitas mulheres árabes “libertadas” não se opõem muito à Lei da Sharia, vendo-a como racional e útil em muitos casos e elas até mesmo se prepararam para limitar suas próprias liberdades se necessário. É necessário que se lembre que a liberdade para as mulheres em muitos países Árabes foi por muito tempo não existente, e que mudanças levam tempo. Se nós acreditarmos na democracia, nós também temos que acreditar que os Mulçumanos possuem o direito de fazerem suas próprias escolhas quanto às leis. Eu não tenho dúvidas que alguns dos mais severos aspectos da Lei da Sharia, particularmente como são usados em lugares como o Afeganistão, necessitarão da amplitude de visão de Maitreya para moderá-los.

P. Atualmente, qual é o trabalho mais importante que o Instrutor do Mundo está realizando?
R. Do nosso ponto de vista, o despertar da natureza espiritual da humanidade para se manifestar e assim, mudar o mundo para melhor.

P. O movimento Occupy nos Estados Unidos foi criticado por algumas pessoas por não ter um conjunto específico de demandas—que pressionariam o governo dos EUA a fazerem mudanças específicas. Outros dizem que o movimento Occupy não é um movimento político, e que eles estão tentando criar algo novo, e mais amplamente baseado em se mudar a sociedade fundamentalmente. Qual a sua visão sobre isto?
R. Eu concordo com a segunda idéia. Não haveriam fim às demandas, e portanto, não haveria ação se esta fosse a única intenção.

P. A Agência Internacional de Energia recentemente relatou que o Irã está tentando desenvolver armas nucleares. Você acha que o relatório é preciso, e se sim, o que a comunidade internacional deveria fazer sobre isto?
R. Minha informação é que a crescente suposição pela América, Israel e outros estados, não é precisa. Minha informação é a de que o Irã está se focando em seu programa nuclear, como ele diz, para propósitos pacíficos apenas, mas que eles querem desenvolver um sistema onde eles poderiam, se atacados, terem a possibilidade de criar uma arma de retaliação. Eles querem de ambas as maneiras—de uma forma, eles não estão criando armas de ataque, mas querem ter a possibilidade de retaliação se atacados. Não se deve esquecer que Israel possui armas nucleares.

P. Você disse uma vez que o carma é retido até que a pessoa alcance os 7 anos de idade, e mesmo assim, é mitigado até que ela tenha 14 anos. Também, é apenas aquelas pessoas que têm 14 anos ou mais que serão capazes de experienciarem o ofuscamento por parte de Maitreya no Dia da Declaração por que seus chakras estarão desenvolvidos o suficiente para suportarem a energia. Eu estou certo em presumir que a idade de 14 nas duas circunstâncias não é uma coincidência e que os chakras precisam estar totalmente formados antes que o carma possa ser totalmente encarado?
R. Não, você não pode presumir isto. Os Mestres vêem as crianças como “adultos” ainda não totalmente formados até a idade de 14 anos. O cérebro da criança não estaria totalmente equipado para interpretar o significado e propósito da mensagem de Maitreya. Isto iria inevitavelmente ter o risco de causar medo e/ou confusão.

P. Qual é a solução para a questão dos “ciganos” que tanto atormenta os políticos em vários países?
R. Os ciganos são vistos como um grupo “alien” em seus vários países, assim como são os imigrantes. Isto possui relação com se proteger as “cidadelas de riqueza”. A comercialização exige pela sua própria natureza a exclusão daqueles grupos mais pobres que não se encaixam nos reinos privilegiados dos fazedores de dinheiro. Existe apenas uma solução—o reconhecimento da unicidade de toda a humanidade, e portanto e necessidade por justiça e partilha em todos os aspectos da vida.

P. Alguns dizem que os ciganos devem se integrar e assentarem-se afim de se tornarem parte do estilo principal de vida; qual é a sua opinião, por favor?
R. Em uma sociedade democrática, os ciganos possuem tanto direito de decidirem seu próprio caminho na vida como qualquer outra pessoa.

P. A Liga Árabe pareceu ter sucesso em fazer um acordo de paz com as autoridades Sírias, mas o Presidente Assad parece ter continuado na mesma linha, desprezando a opinião internacional, incluindo aquela do Mundo Árabe. O que pode ser feito para ajudar as pessoas da Síria?
R. Está ocorrendo um grande despertar através do mundo Árabe. Demonstrações bem sucedidas disto podem ser vistas na Tunísia, Egito e Líbia. Mas cada país apresenta diferentes problemas, e portanto, diferentes soluções. A libertação da Síria irá ocorrer, mas irá levar mais tempo.

P. Eu vejo que a Share International está chegando ao final do seu 30º ano. Parabéns! Vocês ainda não possuem propagandas em seu periódico. Como vocês conseguiram se manter todos estes anos sem se deixarem levar pela pressão comercial?
R. Nós conseguimos continuar publicando porque (a) todos conectados com a revista trabalham como voluntários sem serem pagos e (b) nós somos apoiados por generosas doações e a compreensão de nossos leitores.

P. Você e seu Mestre acham que sua revista alcançou algum de seus objetivos?
R. Sim, até alguma extensão. Nós tentamos mostrar a interconexão entre as mudanças políticas, econômicas e espirituais que estão ocorrendo no mundo, e revelar a relação destas mudanças à emergência de Maitreya e da Hierarquia.

P. Existirão muitos Mestres trabalhando no mundo e possivelmente trabalhando no campo político?
R. Sim!

P. Os Mestres e Maitreya podem mudar suas aparências à vontade?
R. Sim.

P. As coisas irão mudar logo? Dentro dos próximos anos eu espero ver as coisas começarem a entrar em seu ritmo. Elas irão?
R. Sim.

P. Em Maio de 2011, uma organização não-governamental no Japão começou um projeto de remover materiais radioativos em Fukushima aplicando tecnologia microbiológica, e relatou que, pelo uso da técnica de fermentação múltipla, as quantidades de radiação e materiais radioativos foram em pouco tempo drasticamente reduzidos. As reduções destas quantidades de radiação e materiais radioativos foram causadas pela conversão de organismos radioativos em não-radioativos?
R. Substancialmente, sim.

P. Qual é o seu comentário e o de seu Mestre quanto como Gadafi morreu?
R. O Mestre não possui comentário. Eu achei que foi brutal e desumano.

P. Dado como, de acordo com sua informação, as mortes de Saddam Houssein, e Osama Bin Laden foram manipuladas pelo governo Americano, você pode clarificar as circunstâncias da morte de Muammar Gaddafi?
R. Foi exatamente como relatada na mídia.

P. Por mais quanto tempo você acha que a União Européia poderá sobreviver à agitação econômica e política?
R. Por algum tempo, mas não para sempre. É de suma importância que a “Europa” não seja vista como uma nação, mas simplesmente como uma união econômica.

P. Qual seria o efeito na economia do mundo se o euro colapsasse?
R. Provavelmente menos do que as pessoas acham.

P. Á mim, o movimento Occupy (que eu apoio 100% como sendo parte dos 99%!) em Londres criou uma distração por ter se acampado do lado de fora da Catedral de São Paulo. Certamente o assunto é injustiça social e econômica, corrupção, lucro sendo colocado antes das pessoas, e não a localização do acampamento dos manifestantes? No entanto, estando do lado de fora de Catedral de São Paulo, Londres, está fazendo o clérigo a pensar sobre suas posições quanto ao dinheiro e ao comércio e investimento éticos; Jesus tirou os credores de dinheiro e comerciantes para fora do templo: qual é a sua opinião sobre a situação?
R. Esta localização para o movimento Occupy pode não ser totalmente apropriada, mas ela resultou em uma demonstração incomum de unidade dos ocupantes por parte das autoridades da Igreja, e qualquer coisa que traga a Igreja mais perto em apoiar as pessoas é bem vinda.


 

Cartas ao editor

Sinal de boas vindas

Caro editor,
Enquanto eu estava trabalhando em nosso novo Centro da Share International/Holanda no leste de Amsterdã, Ardie, Jos e eu vimos uma encantadora senhora idosa gesticulando na frente da janela da loja. (Na verdade, Ardie nos contou depois que ela passava lá todo o dia no final do dia e sempre acenava e gesticulava para ele—com um sinal de positivo ou uma gesticulação ou aceno como uma forma de viva. Ela também tinha perguntado a ele se ele iria colocar um piso tão lindo para ela, por 500 euros!) Agora, as luzes do escritório estavam todas acesas e ele estava inundado de luz; as paredes e a marcenaria estavam pintadas em branco prístino.

Primeiro, ela nos deu um sinal de positivo (com apenas uma mão) e disse alguma coisa que nós não conseguimos ouvir porque a porta estava fechada. Deve ter sido alguma coisa como: “Bom trabalho amigos, o lugar parece ótimo.”

Então ela colocou os dois dedões para cima enquanto nos dava um grande sorriso, nós retornamos o caloroso sorriso e acenamos de volta alegremente: “Obrigado!”

Depois que o último piso no chão tinha sido finalmente colocado, nós todos estávamos muito felizes—um trabalho bem feito. Nós o limpamos, deixamos o lugar e fomos para um restaurante Chinês ao lado. Conforme nós estávamos saindo, do nada apareceu a mesma senhora, e em Holandês não muito bom ela parabenizou todos nós sobre o quão belo nós tornamos o lugar. Ela disse algo como “Minha casa! Linda!” e então ela disse que viu Ardie trabalhando todo o tempo, todos os dias; ela estava cheia de admiração. Então algo notável aconteceu, ela disse que Ardie possui um coração lindo e ela tocou seu coração e mãos. “Você é forte, jovem homem!” ela disse para ele. Conforme ela foi indo embora, veio a nós tal exuberância de grandeza e alegria quando ela acenou para todos nós e deu adeus.

Você poderia, por favor, perguntar ao seu Mestre quem era a senhora?
A.A. e A.v.D., Amsterdã, Holanda.

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que a “senhora” era o Mestre Jesus.)

 

Príncipe da partilha

Caro editor,
Em 8 de Maio de 2011, eu estava sentando no bonde em The Hague, Holanda, com o meu filho de cinco anos em meu colo, quando eu percebi um homem em seus quarenta anos no outro lado do corredor; não realmente vestido com muito esmero, partilhando doces com as crianças na frente dele assim como atrás dele. As crianças estavam acompanhadas por adultos. Ele falava muito e era muito alegre. Com suas gesticulações selvagens, à primeira vista, ele parecia de alguma forma com um viciado em drogas. Mas seus olhos eram radiantes, leves e cheios de amor para com as crianças.

Eu apenas consegui pegar uma frase aqui e ali, porque minha atenção foi dividida entre meu filho e eles, então eu não me lembro da conversa exata, mas o evento permaneceu comigo mesmo assim.

Eu acho que as crianças (e os pais) estavam se divertindo, mas também, de alguma forma, estavam surpresos pelo seu caráter alegre e doador. Fizeram-lhe um comentário sobre ele estar dando seus doces tão facilmente, e ele respondeu com algo como: “Eu prefiro ter pouco e ser feliz e contente com meus amigos na praia, do que ser rico e infeliz vivendo em um palácio.” Então, uma grande barra de chocolate saiu de sua bolsa, e ele começou a partilhá-la. Depois de mais algumas risadas e comentários sobre sua partilha que eu não consegui ouvir, ele disse algo como; “Realmente não, este sou quem eu sou, sério. Eu vou mostrar para você!” E para provar o seu ponto ele se levantou, tirou sua camisa por sobre sua cabeça e mostrou uma grande tatuagem que cobria suas costas inteira. Ela mostrava: “Aquário” (em um arco e em letras maiúsculas) e embaixo: “Príncipe da Paz.”

Este homem generoso era Maitreya?
C.Q., Amsterdã, Holanda.

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que o homem era o Mestre Jesus.)

 

Segurança primeiro!

Caro editor,
Andando de bicicleta em uma estrada principal no oeste de Londres em 27 de Outubro de 2011, eu parei em um sinal de trânsito em vermelho. Eu ouvi uma voz na minha esquerda dizer: “Onde está o seu capacete?” Eu virei para ver um homem com seus 30 anos, sorrindo e falando comigo. “Eu não tenho um,” eu respondi. “Você pode ser um ciclista muito bom”, ele disse, “mas o motorista do carro atrás de você pode não ser um motorista assim tão bom.” Eu acenei com a cabeça concordando. Ele disse: “Para o bem do custo de um capacete que pode salvar sua vida.” Eu agradeci para ele pela sua preocupação, ele deu um sorriso atrevido, piscou e com um aceno gentil, como um amigo daria, foi embora. Seus olhos eram dos mais belos azuis claros e ele tinha cabelo loiro.

Conforme eu continuei andando, agora com cuidado extra, eu pensei comigo mesmo “isto foi estranho” e me perguntei se ele era alguém especial, talvez o Mestre Jesus. Eu cheguei até outro sinal de trânsito com a luz vermelha, e quando eu o fiz, uma mulher Caribenha saiu de um escritório na minha esquerda, parou na minha frente e olhando em minha direção disse calmamente para ela mesma, “Jesus.” Ela então atravessou a estrada.

Eu penso se ele era de fato alguém especial, e se este é o momento de investir em um capacete?
G.P., Londres, Reino Unido.

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que o homem, e a “mulher”, eram de fato o Mestre Jesus.)

 

Momento dourado

Caro editor,
Em 15 de Setembro de 2011, eu estava na cidade de Paphos, no Chipre. Era cerca de oito horas da noite. Eu estava em um restaurante na avenida próxima do mar. Enquanto estava conversando com minha namorada, eu estava olhando para as pessoas que passavam pela avenida, a cerca de 15 metros do lugar onde estávamos sentados.

Repentinamente, eu vi uma cena estranha. Da direção do porto, vieram duas “pessoas douradas”, era como se elas estivessem andando em bolas douradas, uma grande e uma pequena. A cor dourada foi a primeira coisa que pegou a minha atenção. Então, eu vi que um deles era muito alto e o outro era pequeno e dificilmente conseguia alcançar o homem mais alto, porque ele andava rápido. Era como se o menor estivesse dançando de uma forma rápida para ficar próximo do homem mais alto. Foi uma questão de segundos até eles desaparecerem da minha visão.

Eu não consigo parar de pensar sobre isto. Foi como se por alguns segundos eu tivesse olhando para outra dimensão. Toda a experiência me faz sentir muito feliz.

Você pode explicar o que ocorreu comigo?
M.B., Holanda.

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que você foi levado para fora do tempo por alguns minutos e você viu o Mestre Jesus e um de Seus discípulos nas bolas de luz.)

 

Encorajamento

Caro editor,
No outono de 2011, eu decidi ir para a Ponte Hebden, para postar alguns jornais da Emergência Trimestral.

Chegando na estação de trem com meu marido, nós nos encontramos com um homem, enrolando um cigarro, parecendo um pouco “maltrapilho”. Ele tomou nossa atenção gritando alegremente: “Tenham uma boa viagem!” Conforme eu me virei para olhar para ele, ele olhou para os meus olhos e levantou sua mão esquerda. Eu sou uma pessoa muito tímida e acho difícil falar com as pessoas sobre o Senhor Maitreya e mesmo receio ter um encontro enquanto estou postando o A Emergência.

Isto foi um encorajamento ou foi apenas imaginação da minha parte?
L.L., Rastrick, Brighouse, W.Yorks, Inglaterra.

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que o homem era o Mestre Jesus.)

 

Caro editor,
Eu estou motivado pelos esforços do Occupy Wall Street e por aqueles que estão organizando, mantendo e indo a este encontro. Seus esforços estão inspirando a formação de grupos similares ao redor do país e ao redor do mundo. Quando eu vejo um vídeo sobre eles, eu penso em Maitreya. Eu posso “sentir” sua presença lá. Muitas benções para você e para o mundo.
B.R., Wellington, Florida, EUA.


 

Amor em ação—uma compilação
Compilação—um extrato

Nós apresentamos uma seleção de citações sobre o tema “Amor em ação” de Maitreya (Messages from Maitreya the Christ), o Mestre de Benjamin Creme (A Master Speaks), e os escritos de Benjamin Creme.

Agora que Minha presença é um fato estabelecido, eu posso ver mais claramente os problemas dos homens. Estes são vários, Meus amigos, mas saem de uma simples causa.
Simples falta de Amor está na raiz do sofrimento do homem hoje. Nada a não ser isto o impede da manifestação do seu potencial divino. Tudo da Divindade existe no homem, mas sem Amor, nada, a não ser sofrimento se segue. Por muito, Meus amigos, vocês conheceram isto; muitas vezes antes vocês ouviram a necessidade por Amor. Mesmo assim, o aspecto divino está ausente em suas vidas. Eu venho para mostrar-lhes o simples Caminho para Deus através do Amor, para ensiná-lo as técnicas do Amor, o caminho à frente através do Amor e Justiça, corretas relações do homem com o homem e assim com Deus. (Maitreya, da Mensagem Nº101)

Pela Sua liberação do Principio Crístico, Ele estabelece no mundo a habilidade para amar. Ele galvaniza a humanidade através do poder deste amor para transformar o mundo. Isto é precisamente o que Ele está fazendo agora, por detrás das cenas, e o que Ele irá fazer abertamente conforme Ele aparecer diante do mundo.
Amor é uma força ativa que transforma. Amor que não age é dificilmente amor de alguma forma. Amor em ação é a essência do amor. É uma habilidade para amar o mundo e tudo que está nele que é a capacidade de Maitreya. (Benjamin Creme, Maitreya’s Mission Volume Three)

Considere um mundo sem amor; tal hediondez apavora a imaginação. Por que é desta forma? Instintivamente, o homem reconhece a necessidade por amor e logo irá compreender a necessidade para amar. Ele irá saber que o amor liga ele com todos os outros em uma cadeia sem fim. Tentativamente, talvez, primeiramente, ele irá começar a confiar. Passo a passo, ele irá conquistar seu medo. Então ele irá entrar naquele estado abençoado onde o medo não possui lugar, onde o amor senta calmamente em seu trono, outorgando sua graça em todos aqueles que chegam perto.
Para o homem, então, viver é amar. Medo, o usurpador, deve ser evitado e superado. Confiança engendra amor e destrói este medo, revelando o deus que habita para sempre internamente. Confiança e fé são umas, reflexos da divindade interna. Confie nesta divindade, permita a ela se radiar como amor, e conheça o fim do medo. (O Mestre de Benjamin Creme, da “Necessidade de amar”)

Boa-vontade é alcançável. É o nível da energia do amor que não deveria ser muito difícil para a humanidade expressar. Na verdade, muitos milhões de pessoas de fato sentem e expressam boa vontade. Isto não é apenas ser bom, tolerante e decente; todos estes são o resultado. Boa-vontade é uma força ativa. É o aspecto vontade aliado com o aspecto amor. Quando o aspecto amor informa o aspecto vontade, você tem boa-vontade. Se você pensa no “bom”, significando amor, e “vontade”, significando propósito, você tem bom propósito, propósito amável. Este propósito amável precisa imbuir nossas vidas e criar corretas relações humanas. Corretas relações humanas irá nos libertar da culpa e medo, irá partilhar os recursos no mundo e criar paz. Corretas relações humanas é uma prioridade da humanidade, e Maitreya irá fazer isto uma das Suas maiores preocupações. (Benjamin Creme, Maitreya’s Mission Volume Three)

Quando você Nos ver, você saberá que os Irmãos são homens como vocês mesmos, mas cujo amor é manifesto. Nós iremos ensinar a vocês o segredo do amor. Em alegria, Nós iremos levá-los ao litoral mais distante e iremos colocá-los diante do Guarda dos Portões.
Toda mudança é precedida por tensão, e tensão traz medo. No entanto, medo não possui lugar no coração ativado pelo serviço e amor. Vista, então, a armadura do serviço e encare o futuro com alegria. Dê boas vindas com prazer às mudanças que devem acontecer e crie junto a Distribuição do Amor. (O Mestre de Benjamin Creme, de “Um tempo de mudança”)

O reaparecimento do Cristo em relação com a humanidade é fundamentalmente sobre o nascimento do Princípio Crístico nos corações de toda a humanidade. Isto desperta o aspecto amor, e portanto partilha e justiça, corretas relações em uma palavra, é garantida nesta era vindoura. Corretas relações não ocorrem por si mesmas. A humanidade precisa fazer acontecer. O despertar por Maitreya do Princípio Crístico nos corações de toda a humanidade é o método pelo qual Seu maior trabalho, que é no plano astral, é levado à diante. Isto irá galvanizar a resposta de coração da humanidade e despertá-la não apenas para a necessidade por fraternidade, mas também para a própria expressão da fraternidade, e portanto, partilha, justiça, paz e liberdade para todas as pessoas em todos os lugares. (Benjamin Creme, The Great Approach)

Meus Planos se desdobram, e logo, em total ato físico, você Me conhecerá e, confiando, irá Me seguir. Não fique surpreso se Minhas palavras forem familiares para você; muitas vezes antes você ouviu a necessidade por Amor. Mesmo assim, muitos hoje permanecem privados deste aspecto divino e morrem em milhões. Portanto, Meus amigos, Minhas palavras irão ressoar em seus ouvidos: “Ame seu irmão; cuide de suas necessidades; dê da sua plenitude e restaure a alegria para o mundo.” (Maitreya, da Mensagem Nº 52)

[Maitreya] quer que você dê seu amor para o mundo, e Ele vem para inspirá-lo a fazê-lo, para despertar em você o amor que é herdado no coração de cada ser humano, mas que é frustrado em sua expressão, grandemente pelas condições políticas, econômicas e sociais com a qual nós nos cercamos. Quando estas condições são mudadas, o amor da humanidade, inspirado por Maitreya, irá se demonstrar de uma forma que hoje você provavelmente não poderia imaginar, e irá transformar o mundo. (Benjamin Creme, The Great Approach)

Aqui, então, está a cura para todas as doenças do homem: demonstre amor, que todo o ser humano poderá partilhar a abundancia da Terra. Demonstre amor, que as guerras não serão mais vistas. Demonstre o amor de sua alma e traga este dia para frente quando o homem será unido com o homem e com Deus.
Embora ele possa tentar, o homem não pode viver sem amor. Este fato irá logo se estabelecer por si mesmo na consciência da raça, e levar para eventos sem paralelos na história. Em pouco tempo irá começar um processo de transformação ainda não visto antes: para sempre terá ido a visão de milhões morrendo, a diária dor no coração dos que não possuem nada, a dor eterna dos pobres do mundo. Ido, da visão e da mente, a ameaça de auto-destruição, o terror profano que possui a humanidade como escrava. Ido, também, a falta de confiança que freia e limita cada ação do homem e o lança contra seu vizinho e si mesmo. Tudo isto o homem alcançará demonstrando Amor. (O Mestre de Benjamin Creme, de “Amor—o caminho para frente”)

Pela Minha Presença, a Lei da Partilha se tornará manifesta. Pela Minha Presença, o homem irá crescer para Deus. Pela Presença de Mim Mesmo e Meus Irmãos, o Novo País do Amor será conhecido. Leve, meus Amigos, esta simples Lei aos seus corações. Manifestem Amor através da Partilha, e mudem o mundo. Criem ao redor de vocês a atmosfera de paz e alegria, e Comigo façam todas as coisas novas.(Maitreya, da mensagem Nº 82)

Nós pensamos no “amor” como um tipo de emoção que as pessoas sentem umas pelas outras. È lógico que emoção possui alguma coisa relacionada com Amor, mas em um nível mais baixo da grande energia cósmica. Amor, que os Mestres enviam para o mundo em sua forma pura, é a força coesiva, magnética, unindo todos os átomos da matéria e as unidades da humanidade juntas.
O objetivo evolucionário é o de que nós devemos ser trazidos juntos pela energia do Amor e demonstrá-la em nossas vidas. Infelizmente, a humanidade como um todo ainda não faz isto, mas na vindoura Era de Aquário, nós iremos manifestar a qualidade de Amor tão poderosamente, claramente e corretamente como hoje nós demonstramos a energia que nós chamamos de Conhecimento. Nossa ciência e tecnologia são o resultado direto de nossa habilidade hoje em manifestar a energia do Conhecimento. Dois mil anos atrás, nós não podíamos fazer isto.
O Cristo veio à Palestina para nos mostrar Amor, para nos mostrar que a natureza da divindade é Amor, e ele demonstrou Amor perfeito em um ser humano pela primeira vez. Em 2000 anos, nós ainda não manifestamos esta qualidade que Ele liberou no mundo. É lógico, muitos e homens e mulheres individualmente perceberam dentro de si mesmos a qualidade do Amor e se tornaram discípulos, iniciados, e em alguns casos, Mestres da Sabedoria. Através da demonstração do Amor de Deus, Eles alcançaram a perfeição relativa que os Mestres conhecem, uma perfeição que algum dia será o nosso destino manifestar. (Benjamin Creme, Transmission—A Meditation for the New Age)

Eu estou com você de muitas formas, principalmente entre estas como a Encarnação do Amor. Este principio do Amor subjaz todos os Seres, e sem sua manifestação, a Vida iria cessar de existir. Minha Missão é evocar o principio do Amor em todos os homens, e para aqueles que estão prontos, mostrar uma Verdade Maior.
Os meios são simples: através da Justiça e Liberdade para todos, este Amor pode ser expresso. Através da manifestação da Fraternidade do homem, a Fonte de Tudo pode ser conhecida. Que seja que você rapidamente veja isto, compreenda o propósito da vida e mostre o caminho para os seus irmãos. Assim você poderá tomar parte na transformação do seu mundo. (Maitreya, da Mensagem Nº 41)

O Novo País é o nome que Maitreya dá para a civilização que é a Sua missão inspirar—como Ele o coloca, “O País que eu chamo Amor”. Pelos últimos 2000 anos, a humanidade expressou o aspecto conhecimento de Deus; nossa presente sociedade cientifica é o resultado desta expressão. Pela vindoura Era de Aquário, a humanidade irá expressar em massa o aspecto ainda mais elevado do amor. Através da implementação da partilha e justiça, o amor de Deus irá se tornar manifesto e a Fraternidade dos homens, uma realidade alcançada. (Benjamin Creme, Maitreya’s Mission Volume Two)

Não pode ser que você não tenha ouvido falar de amor antes, e mesmo assim você o acha difícil de manifestar? Porque isto deveria ser assim, Meus amigos, quando sua natureza é o próprio Amor? Essencialmente você é Deus, e Deus e Amor são Um. Manifeste Aquilo que você é, Meus irmãos e irmãs, e tornem-se os Deuses que vocês são. Não existe um caminho mais rápido para Deus do que através de manifestação do Amor, Justiça e Serviço. Sirva e cresça em Amor, Meus amigos, e perceba sua Divindade. (Maitreya, da Mensagem Nº 106)

Boa-vontade é uma energia dinâmica. A energia que nós chamamos boa-vontade é um dos fatores mais potentes em mudar as condições do mundo. É o aspecto mais alto da energia que nós chamamos amor que a humanidade é, de maneira geral, capaz de expressar. Quando ela é tornada dinâmica pelo primeiro aspecto, o aspecto Vontade, a Vontade-para-o-Bem, ela se torna uma tremenda energia dinâmica, e está agora mudando o mundo. É a boa-vontade dos homens e mulheres comuns em todos os lugares que irá mudar o mundo. Eles irão levar os seus líderes em direção à nova era. Veja a si mesmo como uma unidade dinâmica de boa vontade no mundo. Trabalhe com outros. Junte-se a grupos e trabalhem com outros ao longo destas linhas. A novo mundo precisa ser feito pelo próprio homem. (Benjamin Creme, The Reappearance of the Christ and the Masters of Wisdom)


 

Sinais dos Tempos

Milagres inundam o mundo

Brasil, Embu, São Paulo— Centenas de pessoas viram um “Óvni” sobre a cidade de Embu em 23 de Julho de 2011. A Web One Television do Brasil (W1TV) reuniu uma compilação de vídeos do “ÓVNI” de quatro testemunhas oculares diferentes. (Fonte: W1TV)

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que o “ÓVNI” era a estrela de Maitreya.)


 

Vídeo filmado sobre Zarate em 26 de Outubro de 2011 mostra um brilho intensivo, uma luz piscando que muda de cor e forma. (Fonte: Youtube: SergioMarinero1)Argentina—Vídeo filmado sobre Zarate em 26 de Outubro de 2011 mostra um brilho intensivo, uma luz piscando que muda de cor e forma. (Fonte: Youtube: SergioMarinero1)

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que o objeto era a estrela de Maitreya.)


 

Centenas de luzes foram filmadas se movendo em uma frota gigantesca ao redor do céu em 23 de Outubro de 2011 às 17:53. (Fonte: Youtube: Vimalor)

México—Guadalajra, Jalisco: Centenas de luzes foram filmadas se movendo em uma frota gigantesca ao redor do céu em 23 de Outubro de 2011 às 17:53. (Fonte: Youtube: Vimalor)


(O Mestre de Benjamin Creme confirma que estas eram 1.500 espaçonaves de Marte.)


 

Cinco luzes vermelhas brilhantes apareceram no céu sobre San Diego em 25 de Outubro de 2011, e foram vistas na rede de notícias local CBS-TV. As luzes foram visíveis por trás de um jornalista cobrindo protestos contra o corte no orçamento das escolas do lado de fora da escola durante um encontro do seu conselho. “Os objetos não identificados planaram em direção à escuridão, mais tarde aparecendo e se queimando,” de acordo com a história da notícia de televisão sobre o avistamento. (Fonte: cbs8.com)EUA- Cinco luzes vermelhas brilhantes apareceram no céu sobre San Diego em 25 de Outubro de 2011, e foram vistas na rede de notícias local CBS-TV. As luzes foram visíveis por trás de um jornalista cobrindo protestos contra o corte no orçamento das escolas do lado de fora da escola durante um encontro do seu conselho. “Os objetos não identificados planaram em direção à escuridão, mais tarde aparecendo e se queimando,” de acordo com a história da notícia de televisão sobre o avistamento. (Fonte: cbs8.com)

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que as luzes brilhantes eram espaçonaves de Marte.)


 

Câmeras da NBC cobrindo o jogo de futebol da NFL entre New Orlenas Saints e Indianápolis Colts em 23 de Outubro de 2011 capturaram em vídeo um “objeto em forma de bastão com pontos brilhantes iluminados sobre ele.” Depois de uma pausa para os comerciais, as câmeras no estádio de Nova Orleans estavam focadas na torre do campanário da Catedral de Saint Louis quando “alguns objetos iluminados pareceram riscar o céu anoitecendo.” (Fonte: huffingtonpost.com)EUA- Câmeras da NBC cobrindo o jogo de futebol da NFL entre New Orlenas Saints e Indianápolis Colts em 23 de Outubro de 2011 capturaram em vídeo um “objeto em forma de bastão com pontos brilhantes iluminados sobre ele.” Depois de uma pausa para os comerciais, as câmeras no estádio de Nova Orleans estavam focadas na torre do campanário da Catedral de Saint Louis quando “alguns objetos iluminados pareceram riscar o céu anoitecendo.” (Fonte: huffingtonpost.com)

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que os objetos eram espaçonaves de Marte.)


 

Noruega- Uma bola de luz movendo-se em uma velocidade enorme ao redor do céu de Smøla para Lom em Gudbrandsdalen, no sul da Noruega, foi vista próximo da meia noite em 18 de Outubro de 2011. Testemunhas oculares disseram que a bola de luz era multi-colorida, com azul nas bordas e laranja-vermelho por trás. O objeto iluminou as áreas pelas quais ele passou.

Uma testemunha disse: “Ele era muito grande, muito brilhante e viajava a uma velocidade muito alta.” Outra testemunha relatou: “Ele era grande, amplo, e com muitas luzes em muitas cores, mas principalmente em lilás. A luz era tão forte que era como um carro indo de frente em direção a você de uma longa distância com as faróis da frente acesos.”

Pessoas também ouviram dois fortes booms, como estrondos em um som bem profundo, que podem estar relacionado com o fenômeno de luz.

Um astrônomo Norueguês bem conhecido concluiu que o fenômeno foi provavelmente causado por um meteorito bem poderoso. (Fonte: Opdalingen, Noruega)

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que o objeto era uma espaçonave de Marte.)


 

Duas cruzes de luz vistas em uma casa no Parque Melrose, Sul da Austrália em Novembro de 2011. Fotos enviados por A.P.

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que as cruzes de luz são magnetizadas por Maitreya.)

Duas cruzes de luz vistas em uma casa no Parque Melrose, Sul da Austrália em Novembro de 2011. Fotos enviados por A.P.
Duas cruzes de luz vistas em uma casa no Parque Melrose, Sul da Austrália em Novembro de 2011. Fotos enviados por A.P.

 

Uma cruz de luz, manifestada por Maitreya, apareceu na janela do banheiro de J.C. em Orlando, Flórida, EUA, no verão de 2008.

 

Uma cruz de luz, manifestada por Maitreya, apareceu na janela do banheiro de J.C. em Orlando, Flórida, EUA, no verão de 2008.

 


 

Cruzes de luz carregadas por Maitreya na janela do banheiro de O.A.T em La Puente, Califórnia, EUA.

 

 

Cruzes de luz carregadas por Maitreya na janela do banheiro de O.A.T em La Puente, Califórnia, EUA

 


 

Benções de luz do Mestre que foi a Madonna na foto feita por D.P de B.B e se filho N. em um castelo de neve, Podpeca, Eslovênia.

 

 

 

Benções de luz do Mestre que foi a Madonna na foto feita por D.P de B.B e se filho N. em um castelo de neve, Podpeca, Eslovênia.

 


 

Foto de M e da filha de S.E no Dia de Natal de 2005 mostra uma benção de luz de Maitreya.

 

 

 

 

Foto de M e da filha de S.E no Dia de Natal de 2005 mostra uma benção de luz de Maitreya.

 


 

Padrões de luz fotografados em Stuttgart, Alemanha, enviado por S.L. Ele escreve: “Eu cheguei de volta em casa neste claro dia ensolarado em 9 de Novembro de 2010, quando estacionava meu carro no lado da estrada, eu percebi três magníficos padrões de luz na parede da casa que nós vivemos no presente...e senti uma forte benção e felicidade dentro de meu coração.”

Padrões de luz fotografados em Stuttgart, Alemanha, enviado por S.L. Ele escreve: “Eu cheguei de volta em casa neste claro dia ensolarado em 9 de Novembro de 2010, quando estacionava meu carro no lado da estrada, eu percebi três magníficos padrões de luz na parede da casa que nós vivemos no presente...e senti uma forte benção e felicidade dentro de meu coração.”


(O Mestre de Benjamin Creme confirma que os padrões de luz foram criados pelos Irmãos Espaciais em associação com Maitreya.)


 

Dos nossos correspondentes

-um extrato

Não existe glória na guerra
Entrevista com Michael Ferner
por Jason Francis

Veteranos para Paz, uma organização não-governamental localizada nos EUA fundada em 1985, procura erradicar a guerra como uma política nacional. O grupo compreende veteranos de muitas eras e conflitos, incluindo a 2ª Guerra Mundial, Coréia, Vietnã, a Guerra do Golfo, e as atuais guerras no Iraque e Afeganistão. De acordo com o seu website, “Nossas experiências coletivas nos dizem que as guerras são fáceis de se começar e difíceis de se interromperem e que aqueles feridos são freqüentemente inocentes. Assim, outros meios de se resolver problemas são necessários.” Michael Ferner é o Diretor Interino do grupo. Jason Francis o entrevistou para a Share International.

Share International: O que estava por trás da formação dos Veteranos para Paz?
Michael Ferner: O grupo Veteranos do Vietnã Contra a Guerra foi criado em 1967. Um certo número de militares veteranos, a maioria deles da Guerra do Vietnã, se juntaram no meio dos anos 80 e decidiram que queriam formar uma organização que forneceria uma plataforma para veteranos de uma maneira contínua, não apenas seguindo um conflito em particular. O que trouxe as pessoas juntas naquele tempo foi um sentimento de urgência no que diz respeito às políticas dos EUA na América Central—usando esquadrões da morte em El Salvador e Guatemala, e depois, financiando os Contras na Nicarágua.

SI: O que motiva um antigo membro dos militares renunciar ao militarismo e fazer campanha pela não violência?
MF: O que eu ouvi de um grande número de nossos membros que falam porque eles se juntaram aos Veteranos para Paz é o de que aquilo que os fez se interessarem em se opor à guerra é que eles se sentem traídos. Nós somos ensinados em nossa cultura que os Estados Unidos são excepcionais. Se nós vamos nos envolver em um conflito, é apenas porque outra pessoa o começou e que nós vamos promover liberdade e democracia. Quando eles chegam às forças armadas um bom número de pessoas começam a observar algumas coisas que elas não tinham observado antes. Elas descobrem mais sobre a história real dos Estados Unidos e como ele tem sido um império por muito tempo e quais tipos de coisas um império faz. Isto começa a se assemelhar muito com as políticas que jovens homens e mulheres vêem ocorrendo quando eles estão nas forças armadas. Eles sentem que à eles lhes foram dito uma coisa em sua juventude—particularmente sobre os militares—e quando eles entram, eles começam a ver uma realidade muito diferentes.

Alguns de nossos membros estiveram em combate. Existem pouquíssimas pessoas que estiveram em combate que acham que existe alguma coisa de redentora quanto à ele. Não existe glória na guerra. Nossos membros percebem isto e querem fazer algo para prevenirem conflitos e guerras adicionais. E existem muitos veteranos que se opõem ao que eles viram e fizeram nas forças armados que não são necessariamente ativistas que estão indo se juntarem a uma organização, mas que possui alguns dos mesmos sentimentos.

Eu não estive em combate, mas trabalhei em um hospital da Marinha por alguns anos, cuidando jovens que voltaram do Vietnã. É algo para se abrir os olhos para ver do que realmente se trata a guerra. Mais tarde, eu me tornei um consciente opositor e fui exonerado da Marinha. Isto não é incomum entre os nossos membros—se desiludir tanto sobre a realidade daquilo que eles realmente estão fazendo e vendo que eles não querem mais participar.

SI: As atitudes estão mudando no público Americano contra as ocupações no Afeganistão e no Iraque ou até mesmo contra a guerra no geral?
MF: Nós estamos vendo uma evolução muito interessante da opinião pública. Pelos últimos poucos anos, as enquetes da opinião pública notaram uma tendência geral de um apoio em declínio para as guerras ao ponto onde a maioria da população agora acha que guerras e ocupações do Iraque e Afeganistão são uma má idéia. E mais do que apenas pensarem que são uma má idéia, o público quer ver as tropas trazidas para casa o quão cedo possível. Esta é a maioria da opinião pública, e dependendo de como você pergunta quais questões, você consegue ainda mais porcentagens. Então isto é algo que está lentamente mudando pelos últimos anos.

SI: Você poderia comentar sobre o anúncio do Presidente Obama de que a guerra no Iraque terminará no final de 2011?
MF: Isto é uma fantasia quando você considera o fato de que existem cerca de 22.000 prestadores de serviço—incluindo 5.000 prestadores de serviços mercenário armados—que irão ser deixados no Iraque, mais nós não sabemos quantas forças de operações especiais. Os Fuzileiros estarão fazendo a guarda da embaixada, que é verdade para qualquer embaixada ao redor do mundo, com exceção pelo fato de que esta embaixada é de longe a maior e terá o pessoal maior.

Também, ocorrerão vôos regulares das Forças Armadas e de aeronaves não tripuláveis sobre o Iraque, e existe um grande número de navios de guerra dentro de um fácil alcance de ataque. Haverá uma presença militar dentro e ao redor do Iraque por algum tempo por vir, e você pode apostar que o Presidente, não importa quem seja, irá achar necessário bombardear alguma coisa no Iraque. Trazendo de volta quase todas as tropas, mas deixando para trás 22.000 prestadores de serviço, incluindo mercenários, dificilmente é o que eu chamaria de a guerra estar acabando. Como nos chegamos a este ponto é uma combinação de movimento pacifista, incluindo os Veteranos para Paz, e também o gasto de tentar manter duas guerras e ocupações ocorrendo ao mesmo tempo.

Campanhas atuais—Occupy Washington DC

SI: Você poderia nos contar sobre algumas das campanhas que os Veteranos para Paz atualmente possuem a caminho?
MF: O tema abrangente de nossos esforços é o de expor os verdadeiros custos da guerra. Nós temos 120 capítulos ao redor do país, e as atividades que os Veteranos para Paz realizam estão primariamente no nível do capítulo. Por exemplo, em alguns capítulos, membros construíram exibições temporárias de cruzes e tumbas, lápides de algum tipo, para cada pessoa em serviço que foi morta no Iraque e no Afeganistão, e as posicionaram em linhas exatamente iguais ao Cemitério Nacional de Arlington [o cemitério nacional dos veteranos de guerra]. As exibições normalmente incluem também informações sobre mortes de civis.

Outras atividades incluem palestras sobre a verdade no recrutamento em colégios, onde os nossos membros falam com os estudantes sobre assuntos que recrutadores militares não falam. Nós damos aos estudantes uma visão mais balanceada do que exatamente as forças armadas estão querendo e o que eles encarariam se eles se juntassem às forças armadas. Nós também tomamos parte em festivais de comunidades e paradas, e conversamos com as pessoas sobre os verdadeiros custos da guerra; escrevemos cartas ao editor; e encorajamos membros do Congresso a votarem contra o financiamento à guerra. Existe uma variedade de coisas que nós esperamos, irão educar o público sobre os verdadeiros custos da guerra, de forma que as pessoas irão se tornar mais ativas em exigirem melhores políticas do governo.

SI: Você poderia nos contar sobre a campanha “Parem a Máquina: Criem um Novo Mundo!”?
MF: “Parem a Máquina: Criem um Novo Mundo!” é o slogan que foi dado à ocupação da Praça da Liberdade em Washington DC. A iniciativa para isto veio de ações que os Veteranos para Paz tomaram durante o último ano. Em Dezembro de 2010 e novamente em Março de 2011, nós organizamos uma manifestação liderada por veteranos em Washington onde 100 pessoas foram presas em cada caso através de atos de desobediência civil na Casa Branca. Eles não eram todos membros dos Veteranos para Paz, mas nós fomos responsáveis por colocar a bola rolando para estas ações.

Conforme as pessoas estavam planejando o segundo protesto em Março, as ações na Tunísia e Egito estavam começando a ocorrer. Algumas pessoas pensaram: “Esta não é uma má idéia. Nós deveríamos estar fazendo alguma coisa como isto aqui.” Então, assim que a manifestação de Março de 2011 foi completada, o planejamento começou logo depois para uma ocupação em Washington DC que iria coincidir com o 10º aniversário da invasão do Afeganistão em Outubro 2011.

Veteranos para Paz foi rapidamente acompanhada por outras organizações e ativistas em Washington e outros lugares ao redor do país que se interessaram em fazer a mesma coisa. E então, dois ou três meses depois, nós começamos a planejar a ocupação da Praça da Liberdade, e de maneira relativamente coincidente, as pessoas começaram a anunciar que elas iriam ter uma ocupação de Wall Street—que começou em Setembro. Nossa ação, que foi planejada por vários meses, começou em Washington em 6 de Outubro.

A ocupação da Praça da Liberdade está em andamento. Próximo, um grupo menor e bem dedicado da ocupação em Wall Street veio até Washington e está similarmente ocupando o Parque McPherson. Os relatos que eu recebi das pessoas que participaram das assembléias gerais cada noite é que eles estão começando a se acostumar a trabalharem juntos, trabalhando sobre os problemas, e chegando a decisões em uma base consensual.

A coisa fascinante sobre estas ocupações ao redor dos EUA é a de que elas não são apenas sobre oposição à guerra, ou oposição à execução de hipotecas, ou sobre as pessoas estarem se enfurecendo quanto ao fato de que nós não temos um sistema de saúde decente. Elas não são sobre nenhuma destas questões em singular: elas são sobre a democracia; elas são sobre a dominação das corporações; elas são sobre as pessoas estarem fartas de pagarem as contas ao império e limparem os corpos, e as decisões serem feitas por um pequeno grupo de elite de pessoas que não possuem de forma algumas os interesses públicos em mente. É realmente animador ouvir pessoas dizendo, “Nós estivemos ficando com a pior parte por muito tempo. Nós precisamos exigir que o governo comece a cuidar dos negócios para as pessoas.”

SI: Do ponto de vista dos Veteranos para Paz, qual é a conexão entre paz, justiça e sustentabilidade?
MF: Uma das coisas que nós dizemos em toda a nossa literatura, e também sobre as nossas palestras públicas, é que nós estamos trabalhando para paz com justiça. Nós sabemos que as duas são inseparáveis. Não pode existir paz sem justiça. E não pode existir sustentabilidade sem justiça. Uma porcentagem bem pequena da população do mundo está colhendo gigantescos benefícios e a esmagadora maioria da população está pagando os custos. Esta injustiça por si mesma é insustentável, e é uma das causas de nossa sociedade insustentável. Nós precisamos ser sustentáveis, ou a longo prazo, nós vamos deixar de existir.


 

-um extrato

Energia verde gratuita para todos—um extrato
Uma entrevista com Carl-A. Fechner
por Andrea Bistrich

Imagine uma comunidade mundial com suas necessidades de energia fornecidas 100 por cento de fontes renováveis—acessível, e limpa para todos. Esta é a visão para a política de energia do filme de documentário Alemão de maior sucesso de 2010: A 4ª Revolução—Autonomia de Energia. O filme leva espectador a 10 locações no mundo e mostra imagens deslumbrantes de pessoas dedicadas trabalhando em direção à “transição de energia”. A mensagem: uma mudança imediata para energia renovável não é apenas urgentemente necessária, mas também possível—e já é uma realidade em muitos lugares.

O principal protagonista e inspiração é Hermann Scheer, sobre o qual seu livro recente Autonomia de Energia o filme foi baseado. Scheer, que inesperadamente morreu em 14 de Outubro de 2010 com a idade de 66 anos, foi um membro do Bundestag Alemão, presidente da Eurosolar, co-fundador da Agência Internacional para Energia Renovável, membro do conselho do Conselho do Futuro do Mundo, ganhador do Prêmio Livelihood (1999), o Prêmio Mundial Solar (1998), o Prêmio Mundial por Energia Eólica (2004) e por Bio energia (2000). “O atual sistema de energia está acabado,” diz Scheer no filme. “O novo sistema de autonomia de energia está à beira do colapso...nós estamos sendo confrontados com a maior mudança estrutural na economia desde o começo da era industrial.” Andrea Bistrich entrevistou o diretor e produtor Carl-A Fechner para a Share International.

Share International: Por que você chamou seu filme de A 4ª Revolução?
Carl-A Fechner: Revoluções são sempre tesouros nacionais. A primeira das revoluções globais foi a revolução da agricultura. Através da reestruturação da agricultura, produtividade e rentabilidade puderam ser aumentadas, que resultou em então pessoas nômades desenvolverem assentamentos. A segunda revolução foi industrial, que substituiu muita da força de trabalho humana através do aumento do uso de máquinas funcionando à base de combustíveis fósseis. Mas este período acabou agora e os riscos que nós corremos se nós continuarmos conforme nós estivemos fazendo são muito grandes. A revolução digital e eletrônica foi a terceira e foi baseada na invenção do microchip no começo dos anos 1980. Tecnologia de computadores levou a sistemas de produção automáticos flexíveis, que por sua vez radicalmente mudaram setores inteiros da economia: a rede global é um meio de comunicação econômico, social e cultural.

A quarta revolução, e é isto o que nós clamamos em nosso filme, é a mudança completa do petróleo, gás, carvão e energia nuclear, para a eólica, hidrelétrica e solar. Esta transição para energia 100 por cento renovável é primeiramente uma estrutural econômica, já que é acompanhada por uma reestruturação de toda a nossa produção de energia e irá levar à mudanças massivas em todas as áreas da vida. De sistemas de energia centralizados—gigantes corporações que garantem as necessidades de energia da humanidade com lucros correspondentemente gigantescos—para milhares, centenas de milhares, milhões de pequenas estações de energia ao redor do mundo, que estão nas mãos das pessoas locais. Isto significa que a energia pode ser gerada onde ela é necessária, com recursos disponíveis local ou regionalmente.

SI: Então você vê a revolução da energia como uma oportunidade para nosso mundo se tornar mais justo?
C-AF: Certamente. O que nós vemos como diretos humanos básicos universais—o direito por alimento, água potável, educação, a ser feliz, uma infância sem preocupações, e por aí vai—são desigualmente distribuídos para apenas uma metade do mundo. Esta desigualdade e injustiça é ainda mantida através do atual equilíbrio de poder, especialmente no que diz respeito ao fornecimento de energia. A descentralização e portanto democratização do fornecimento de energia significaria que mais de 2 bilhões de pessoas que não possuem ainda acesso a energia e sofrem de fome diariamente, irão finalmente ter eletricidade. De acordo com a ONU, a má nutrição na infância causa problemas de saúde irreversíveis e atrofia o desenvolvimento de maneira que não pode ser alterado, no entanto, muito da condição de vida pode ser melhorada depois. Na minha opinião, para rompermos e resolvermos estes problemas, nós devemos estabelecer um fornecimento de energia descentralizado.

SI: Você pode descrever tal mudança estrutural na economia da energia global?
C-AF: Satisfazer nossas necessidades de energia não pode ser visto apenas como uma tarefa técnica. Em última análise, não é uma questão de substituir as atuais usinas de energia com gigantescas estações centralizadas de energia solar, que requerem massivos investimentos financeiros e técnicos nos desertos, por exemplo, e então transportar a energia via 4.000 km de linhas para a Europa. Nós precisamos nos afastar desta idéia; no presente, uma estação de energia nuclear pode produzir 1.000 megawatts, mas a mesma quantidade de energia pode ser gerada mil vezes com um megawatt com turbinas de vento ou estações de energia solar, estações de bio-gás ou usinas geotérmicas. Em outras palavras, para alcançarmos a demanda de energia que nós precisamos para nos afastarmos de algumas poucas grandes, caras e inflexíveis estações de energia—que estão nas mãos de poucos fornecedores—para uma multidão de sistemas de energia autônomos: turbinas de vento, estações de energia nuclear, estações de bio-gás e pequenas usinas hidrelétricas.

SI: No filme, Hermann Scheer diz que os atuais interesses investidos no setor de energia não aceitarão uma mudança para um fornecimento de energia primária gratuita por natureza, sem uma luta. O quão forte é a oposição política e industrial para esta mudança? Nós podemos ser otimistas?
C-AF: É por isso que nós falamos em uma revolução. Eu acredito que nós podemos ser bem otimistas. Mas nós todos devemos fazer campanha, para garantir que esta transição de energia seja feita. O ponto crucial é o começar e o de fato fazê-lo. Isto também é enfatizado por Preben Maegaard, um dos protagonistas do filme e fundador da Nordic Folk Centre for Renewable Energy. Através de seus esforços, Maegaard criou a maior região de energia autônoma atualmente no mundo: 50.000 pessoas no noroeste da Dinamarca conseguem sua energia 100 por cento da energia eólica.

Na Alemanha, a proporção de energias renováveis está firmemente crescendo e atualmente está em 17 por cento do fornecimento de energia. As mudanças são tão rápidas, que todas as previsão estão sendo constantemente superadas. A coalizão do governo Alemão conservador tentou provisoriamente cortar a proporção de energias renováveis—isto quer dizer, parar de sair da energia nuclear, e de reduzir as oportunidades de receita, assim com alimentar tarifas para energia solar. Isto enfureceu muitos, e mostra que este governo está obviamente muito compromissado com grandes corporações. Mesmo assim, você pode ver o que está acontecendo. Com a saída da energia nuclear, que foi ratificada recentemente e é certamente um passo na direção correta, a Chanceler está em uma posição muito pobre com seus antigos amigos. A amizade pode acabar, e muito rapidamente com a grande indústria.

SI: A pergunta essencial depois da retirada Alemã da energia nuclear até 2022 é: como nós substituímos a energia nuclear?
C-AF: Conforme nós sairmos da energia nuclear, 23 por cento do fornecimento de energia à nossa disposição terá que ser inicialmente substituído, embora os 23 por cento da energia nuclear possam ser substituídos com medidas de eficiência de energia. Este aspecto muito importante em se reduzir o consumo de energia não está ainda recebendo atenção o suficiente.

SI: Os próprios consumidores deveriam economizar muito mais?
CA-F: Sim, definitivamente—mas por “consumidores”, nós não queremos dizer apenas clientes—existem também os arquitetos, planejadores urbanos, as grandes construtoras de usinas, lideres de corporações que decidem sobre dezenas de milhares de megawatts, e por aí vai.

A revolução de energia possui enormes benefícios para os pobres, não apenas em países em desenvolvimento, mas até mesmo neste país. Na Alemanha, nós tivemos tido debates por três anos sobre se a nossa taxa Hartz-IV [desemprego e benefícios sociais] deveria ser aumentada oito euros por mês. No filme, nós mostramos exemplos do quão fácil é se economizar 40 a 50 por mês apenas através de medidas de eficiência de energia. A soma excede de longe a renda adicional ganhada através do aumento da Hartz-IV. Esta quantidade é uma economia direta e permanece no bolso de cada um, assim dizendo. As pessoas precisam se tornar conscientes deste fato.

SI: É freqüentemente dito que a energia solar particularmente é muito cara. No seu filme, você mostrou o contrário, dizendo que muito pode ser economizado. Com tal informação contraditória, é difícil para os consumidores distinguirem o que é realmente verdade.
CA-F: Sim, isto é correto. A razão para isto, como Hermann Scheer expressou, “está no topo”—porque existem decepções enormes nos níveis mais altos. Existe uma tremenda luta por parte do setor de energia para uma enorme fatia do mercado, e nos níveis gerenciais, uma política de desinformação é feita. Fundamentalmente, maneiras de se economizar energia e custos já são disponíveis para nós: o primeiro passo é o de mudar o próprio fornecimento de energia , e isto não custa nada. Cada família pode mudar para energia limpa e renovável, mudando para provedores de energia verde, como o Greenpeace Energy Naturstrom, ou Lichtblick, etc. Se você o fizer, também será fornecido a você por estas companhias, informação excelente em uma base regular.

SI: O pioneiro Dinamarquês no campo de energias renováveis, Preben Maegaard, já tinha financiado um centro de treinamento no inicio dos anos 1980 para informar as pessoas sobre formas de energia alternativa.
CA-F: Sim, educação é muito importante, e tão importante é “informação para o coração”. Basicamente, nós temos hoje infinito acesso à informação. Este é o nível objetivo. Mas a informação também deve ser vista como sendo um valor supremo para agirmos. É sobre isto que se trata. Esta é a abordagem básica do filme—do coração para a cabeça, para os pés e sim, possivelmente se necessário, até para os punhos.

SI: Você esteve em muitos lugares no mundo onde ativistas inspiradores, corajosos e pioneiros implementaram conceitos de energia bem simples mais eficientes. Como foi o seu encontro com o economista e ganhador do Prêmio Nobel, Laureate Muhammad Yunus em Bangladesh?
C-AF: Foi um destaque em particular, encontrar este homem—uma pessoa maravilhosa, incrível, disciplinada e cordial. Yunes possui uma idéia clara, e é a de se acabar com a pobreza, sobre a qual ele baseia sua vida e seu trabalho empresarial.

Mas também são todos os outros que eu encontrei enquanto eu estava filmando—Bianca Jagger, Elon Musk, Ibrahim Togola, Matthias Willenbacher, Preben Maegaard, Zhengrong Shi e muitos outros—eu experienciei como um enriquecimento incrível.

SI: Quem ou o que te impressionou mais?
CA-F: Desde os meus dias de estudantes, eu fui fortemente influenciado pela idéia de justiça. Trinta anos atrás, como um estudantes de 26 anos de educação de mídia, enquanto eu estava pesquisando em Burkina Faso em uma vila para a minha tese, eu tive que fazer minhas anotações de noite com uma lanterna. Este foi um momento de definição para mim: as luzes se apagam à noite. Este ainda é o caso hoje, e poderia ser facilmente modificado com um simples aparato solar. Daí o encontro com Ibrahim Togola certamente ter sido um dos mais importantes para mim. Togola aprendeu, como um estagiário com Preben Maegaard na Dinamarca, tudo sobre energia renovável e transferiu as idéias para sua terra natal na África, em Mali, onde ele fundou o Mali Folk Centre.

Encontrar Hermann Scheer foi também uma experiência impressionante. Ele dedicou sua vida para sua missão e foi portanto, sempre sobre a pressão do tempo. Pela nossa estadia em Xangai, na qual nós mostramos o filme, ele tinha, eu acredito, agendado 24 horas. Lá estava o filme com nós, então ele recebeu um grau honorário, então outra cadeira honorária de professor, e então ele fez um discurso...


 

mensagem anterior mensagem seguinte


HomeCopa

  | INÍCIO |