MAIN
Home
BACKGROUND
Teachings
FAQ
FAQ
FAQ
FAQ
FAQ
FAQ

 

FAQ
FAQ
MAIS RECURSOS
Magazine
 
 

 
 
 Início >> do Mestre>>Setembro 2012

Share International HomeShare International HomeBackground information

mensagem anterior mensagem seguinte

Pedido de apoio!

Veio ao nosso conhecimento que mais e mais pessoas estão recebendo nossa informação apenas pelo website, desta maneira, renunciando ao pequeno custo de assinar a revista Share International.

Nem todos podem, ou usam a internet, e é essencial ter uma expressão física externa, que pode apresentar com fotos, os eventos dos quais falamos. Isto significa que é necessário que haja uma revista, que,é lógico, requer uma grande quantidade de trabalho de voluntários, e muito dinheiro para ser produzida. Talvez exista a idéia de que a Hierarquia distribua dinheiro para este trabalho, mas este não é o caso. Assinaturas para a Share International são uma parte essencial para manter o nosso trabalho e alcançarmos o público. O custo da assinatura é mantido o mais baixo possível, a revista não é patrocinada por propagandas e custo postais e de impressão estão aumentando a todo o momento.

Certamente nós todos concordamos que todos aqueles que seriamente acreditam neste trabalham gostariam de ajudar a revista, sejam eles leitores ou não das informações pela internet.

Obrigado pelo seu apoio.


 

Mais pensamentos sobre Unidade

pelo Mestre—através de Benjamin Creme,
12 de Agosto de 2012

Com a exceção de algumas poucas, a maioria das nações do mundo estão procurando a Unidade. Suas ações podem nem sempre apoiarem esta declaração, mas internamente, pelo menos, a direção geral de suas intenções é a de alcançar, junto com seus amigos e aliados, a expressão da Unidade.

No entanto, existem algumas nações para as quais a conquista de seus objetivos individuais é mais importante do que a Unidade geral do mundo, a garantia da paz mundial. Estas atitudes podem, e algumas vezes conseguem, mudar repentinamente, ou ao longo do tempo, mas no período presente pode-se discutir os seguintes países.

Israel (raios: alma 3, personalidade 6), tendo usurpado por terrorismo a terra do povo Palestino, está agora obcecado com sua segurança com a exclusão de todo os outros assuntos, incluindo a paz mundial. Protegido das resoluções das Nações Unidas pelo veto do Conselho de Segurança dos EUA, Israel vangloria-se no Oriente Médio sem restrições. Graças aos Estados Unidos, Israel possui a bomba nuclear e ameaça o seu uso contra o Irã se necessário. As pessoas de Israel são velhas, mas a nação é muito jovem, audaz e inclinada à imprudência.

Os EUA (raios: alma 2, personalidade 6) tem, do nível da alma, um profundo e genuíno desejo pela Unidade e paz mundiais. No entanto, ele também é jovem, grande e poderoso, e sobre o controle de sua personalidade cheia de glamour. Seu ideal é por Unidade e paz, e ele imagina que ele demonstra isto para o mundo. Quando todos seguirem a liderança Americana na economia, política e religião, ele acredita, a paz irá inevitavelmente seguir-se.

Com esta atitude ele tem procurado dominar o mundo, repetidamente fazendo guerra em nome da paz (Coréia, Vietnã, Iraque, Afeganistão). O mundo está esperando pela superação deste glamour e a influência da alma do 2º raio dos EUA emergir nos assuntos do mundo. Quando isto ocorrer (provavelmente não antes do Dia da Declaração pelo Cristo), o desejo inato por Unidade da alma Americana será galvanizado em ação, e a idéia de serviço para o todo irá substituir a presente necessidade de dominar. Uma grande reconstrução do mundo será realizada por incontáveis indivíduos. O desejo por servir irá substituir o presente sentimento dos EUA de superioridade em todas as coisas, e uma verdadeira era de paz irá se seguir.

O Irã possui um povo antigo e talentoso, no presente dividido entre o desejo por um governo sano, secular, e uma forma extrema e fanática de governo Islâmico. Irã é profundamente mau visto e desconfiado pelos EUA, já que seus cientistas estão no processo de dominarem a tecnologia nuclear. Nunca foi a intenção do Irã desenvolver um arsenal nuclear, mas ele se sente ameaçado diariamente pelos EUA e por Israel e agora, relutantemente, não vê alternativa. Os raios do Irã são alma 2, personalidade 4. O seu povo é maduro, culto e pacífico e deram muitos dos seus talentos, em particular para Índia.

A Coréia do Norte (raios: alma 6, personalidade 4), é a mais jovem de todas estas nações, formada da divisão da Coréia original. Suas intenções são as mais difíceis de prever, já que ela é tão absorta em mostrar para o mundo a sua coragem. Infelizmente, ela conseguiu certa capacidade nuclear e pode ser vista como uma inconseqüente entre as nações. Como é bem conhecido, ela é dominada, ao invés de liderada, pelos seus governantes e deve ser cuidadosamente vigiada pelas Nações Unidas como um todo. Seu povo está faminto, por reconhecimento e por comida. As nações devem ser generosas partilhando com a Coréia do Norte.

Do ponto de vista do observador médio parece existir muito para causar medo e preocupação nesta avaliação. No entanto, os Mestres vêem um mundo pronto para mudança, desejoso por justiça que irá garantir uma nova e verdadeira Unidade entre as nações, e a paz que todos desejam.


 

Perguntas e Respostas
- uma seleção da revista deste mês

P. Quantas entrevistas Maitreya deu até agora?

R. 70 (Até 8 de Agosto de 2012.)

P. (1) Quantas entrevistas Maitreya deu na televisão Brasileira? (2) Elas estão sendo feitas por uma grande rede de televisão no Brasil? (3) Maitreya está aparecendo sozinho como em um programa de convidados ou Ele está aparecendo como parte de um painel de comentadores? (4) Ele ainda continua a dar entrevistas no Brasil?

R. (1) 27. (2) Sim, algumas são. (3) Sozinho. (4) Sim.

P. É dito que Maitreya tinha planejado inicialmente mover-se das entrevistas nos EUA para algumas no Japão. Ele já começou a aparecer na televisão no Japão?

R. Não. Este plano foi mudado.

P. Existem mais muitas figuras chaves nas fileiras do regime Sírio que estão prontas para saírem do governo?

R. Sim.

P. Qual é atitude geral dos nossos Irmãos no espaço para o nosso programa espacial Terrestre?

R. Eles celebram nossas tentativas em ampliar nossos conhecimentos da existência planetária, mas nem sempre concordam com nossos métodos para fazê-lo.

P. Nossos cientistas estão totalmente ignorantes da informação de que os governos do mundo estão mantendo segredo quanto à existência de ÓVNIs e pessoas de outros planetas?

R. Não.

P. Alguns dos governos sabem que os ÓVNIs e "aliens" que eles tem evidência que vêm são de planetas dentro de nosso próprio sistema solar?

R. Eles ouviram que eles são, mas não necessariamente acreditam nisto.

P. Como nós fazemos a transição de um movimento como o "Occupy" ou os "Indignados" para o conselho de Maitreya de implementar a partilha?

R. Quando o momento chegar nós descobriremos que existem homens e mulheres já treinados para implementarem meios e maneiras de partilhar os recursos do mundo.

P. Quando os grupos ao redor do mundo que trabalham com você organizam-se, colocam propagandas e dão palestras é preferível anunciar a idéia da "Emergência de Maitreya e dos Mestres", e similares, ou é igualmente válido anunciar uma palestra com um título sobre as prioridades de Maitreya—por exemplo "Por que nosso mundo precisa de partilha e justiça agora"?

R. É possível fazer ambos ao mesmo tempo.

P. Por que os fundamentalistas em qualquer religião tendem a serem misóginos, com as mulheres sendo forçadas a cortarem seus cabelos, cobrirem a si mesmas, passarem por mutilações, sofrerem grandes limitações em suas liberdades de movimento e por aí vai?

R. Este não é necessariamente o caso em cada religião. No entanto, existe uma crença de longa data nos homens em todos os lugares, relacionadas à religião ou não, que as mulheres são inferiores e devem manter-se sujeitas à superioridade dos homens. Esta visão é mantida por milhões de homens que não poderiam ser chamados de fundamentalistas de qualquer religião.

P. Você poderia por favor contar-me seu entendimento à respeito de Sanat-Kumara e Melchizedek quanto aos papéis que eles têm na Hierarquia Espiritual e em relação com Maitreya.

R. Sanat-Kumara é o Senhor do Mundo Que habita em Shamballa, o centro etérico no Deserto de Gobi, enquanto que Melchizedek é outro nome para Maitreya.

P. Desde as notícias sobre os achados do Colisor de Hádrons recentemente, você agora acha que os resultados significam que, pelo menos, os cientistas estão começando a descobrir a existência do plano etérico, o qual nos foi ensinado (em nosso grupo da Sabedoria Eterna 35 anos atrás), que é a matriz sobre a qual o universo é construído? Então isto significa que a ciência está a beira de aproximar-se dos preceitos dos Ensinamentos da Sabedoria Eterna? Eu sinto que esta descoberta terá um impacto similar àquele feito por Galileu de que o sol não gira ao redor da terra!

R. Não diretamente, mas irá levar a uma melhor compreensão.

P. Eu tenho uma pergunta que diz respeito ao novo livro de Benjamin Creme, The Gathering of the Forces of Light e suas contínuas referências aos nossos "Irmãos Espaciais" como sendo nossa ajuda para um planeta mais espiritualmente evoluído. Por favor, ajude-me a entender porque não existem "Irmãs Espaciais" ajudando nossa causa?

R. Quando eu digo Irmãos Espaciais, eles incluem tanto homens e mulheres, mas a maioria é realmente de homens.

P. Como eu posso aprender a telecinésia?

R. Não é algo que você aprenda de um livro ou de uma escola, mas é uma habilidade que se manifesta com o correto grau de consciência espiritual.

P. Eu freqüentemente leio sobre você e sei como você respeita todas as religiões. Eu espero que você me responda honestamente. No Alcorão, ele basicamente diz que os Mulçumanos podem mentir e ainda irem para o Paraíso e serem abençoados por Alá, desde que eles estejam mentindo para promoverem a fé do Islã. Eu estou convencido mais do que nunca que aquele que os Mulçumanos estiveram esperando finalmente chegou. Eu acredito nisto no meu coração.

Na Bíblia, Jesus não queria que as pessoas soubessem quanto à ele antes de seu tempo, então ele instruiu as pessoas para cobrirem suas aparições até que fosse o momento de ser conhecido. Eu não sei se isto seria o mesmo que mentir ou não falar todos os fatos. Mantê-lo escondido, em outras palavras.

Você está fazendo o mesmo quanto à identidade de Maireya? Você está enganando as massas e a mídia quanto a sua identidade de propósito? Talvez porque a maioria das pessoas não estão prontas para recebê-lo ou talvez não sejam dignas, e segundamente, porque não é bem o tempo ainda para o Dia da Declaração. Resumindo, você está mentindo para a mídia quanto á sua identidade como Alá nos instruiu que não tinha problema mentir para propagar a sua causa?

R. Eu não estou mentindo, e todos, sem exceções, são dignos de conhecerem Maitreya. Maitreya está no presente incógnito, de forma que as pessoas possam responder às Suas idéias e presença sem saberem e acreditando em uma pessoa em particular. Em outras palavras, quando elas quiserem para o mundo partilha, justiça e paz para todo, elas irão fazê-lo de seus corações por elas mesmas, e não porque elas pensam "este aqui", ou "aquele lá" é Maitreya.

P. Eu realmente sinto o desejo de servir e gostaria de tentar a Meditação de Transmissão e estou lendo o livro do Sr. Creme quanto ao assunto. Eu não posso dizer que eu acredito de todo o coração em tudo que eu estou lendo aqui, mas a necessidade por uma mudança nos corações e mentes dos homens e a importância da partilha e justiça é clara para mim, e tem sido por um longo tempo.

Qualquer sombra de dúvida da minha parte inibe a eficácia do meu trabalho de meditação? Isto quer dizer, eu sou otimista, mas não absolutamente convencido. Também, eu sou fisicamente deficiente (mas não severamente) e tenho próteses de anca de metal em ambos os lados. Qualquer um destes irá impedir minha eficácia para servir através da Meditação de Transmissão?

R. Nem todos que trabalham conscientemente e bem para a vinda de Maitreya estão absolutamente, completamente convencidos de que o que eu digo é verdade, mas na maioria dos casos seus corações respondem à idéia do Reaparecimento e a promessa que isto tem para o mundo. A melhor coisa que alguém pode fazer é seguir os ditames do coração, que muitos o fazem. Crença absoluta, no entanto, dá a pessoa uma segurança adicional e certeza para contá-la e, portanto, traz uma maior energia de convicção para uso. É desta forma que grupos de Meditação de Transmissão se formaram ao redor do mundo. Sua deficiência física não afetará sua habilidade em servir.


 

Cartas ao editor

Magia Animal

Caro Editor,
Eu fui a um fórum intitulado "ÓVNIs e sua missão espiritual" em Sacramento, Califórnia, recentemente. Conforme eu estava me preparando para sair eu experienciei uma gigantesca dor de cabeça instantaneamente. Algo estava acontecendo, mas eu simplesmente o descartei. Duas noites depois, depois de focar sobre imagem da "mão" de Maitreya, eu tive o seguinte sonho. Naquela noite eu peguei a imagem da mão de Maitreya e olhei para ela, coloquei minha mão sobre ela e apenas pensei sobre como seria ótimo ter uma mudança global na consciência coletiva. Eu acordei e vi uma enorme cabeça de búfalo olhando para mim. Eu balancei minha cabeça e estava tentando acordar, porque eu pensei que eu estava sonhando, mas parecia que embora fosse a cabeça de um búfalo, seus olhos eram penetrantes e o búfalo era habitado por uma inteligência superior do que aquela de um búfalo. Você já ouviu sobre algo assim? Até aquela noite eu nunca tinha sonhado sobre e/ou tinha sido visitado por uma cabeça de búfalo e tive vários anos para sonhar com coisas assim já que eu tenho 44. Na noite seguinte, eu acordei do meu sonho cerca das 2 da manhã e senti alguma coisa bem diferente dentro de mim mesmo. Eu identifiquei o que era. Um problema que esteve atormentando minha vida por quase nove anos tinha ido embora. Quem quer que sejam os responsáveis, eu quero agradecer à eles por terem me ajudado.
C.T. Mather, Califórnia, EUA.

(Benjamin Creme escreve: Entre os Nativos Americanos o búfalo possuí grande posição e significado. Ele era freqüentemente visto não apenas como um suprimento alimentício mas como um guia espiritual para as pessoas. Meu Mestre confirma que sua experiência foi dada pelo Mestre Jesus.)

 

Encontro Icônico

Caro Editor,
Em Sábado, 2 de Junho de 2012, enquanto eu estava trabalhando na tenda da Share International na Feira de Londres Mind, Body and Spirit, minha mulher e eu conversamos com um homem que nós reconhecemos de uma feira anterior. Seu nome era Christos (de descendência Grega, mas na verdade um Neozelândes) e no primeiro encontro (ver Share International, Setembro de 2010) ele era o Mestre Jesus. Ele veio se entrosando e apontou para a "Mão" de Maitreya , em exposição, dizendo que ele estava interessado naquilo. Eu me lembrei da última vez, que ele era um artista, 'pintando na luz', como ele o tinha dito. Seu trabalho consistia principalmente de pinturas de ícones como na tradição religiosa ortodoxa Grega ou Russa. Ele nos mostrou alguns de seus trabalhos em seu telefone celular. Eu disse que nós tínhamos nos encontrado em uma feira anterior e ele estava surpreso que eu tenha lembrado dele. Ele me mostrou seu cartão de negócios, no qual estava seu nome e detalhes sobre uma de suas pinturas de luz. Eu perguntei a ele se ele tinha um cartão sobrando com o qual eu pudesse ficar, para o qual ele respondeu "é lógico".

A feira tinha previamente sido realizada nos Salões Reais Hortenses em Vitória, mas neste ano ela estava sendo no Centro de Exibição de Earl Court. Ele disse que ele tinha ido por engano para Vitória assumindo que ela estaria lá como de costume. Tendo feito a viagem, ele descobriu que ele não tinha dinheiro o suficiente para viajar agora para Earl Court, então ele decidiu que ele iria tentar caminhar até lá. Ele viu um casal de homens Indianos próximo e perguntou a eles por direções, para o qual um deles respondeu que ele estava prestes a dirigir para Earl Court e estava bem feliz em lhe dar uma carona. Neste ponto da história, Christos disse "agora com que freqüência isto acontece em Lodnres, hein?" Era realmente bem divertido ouvir a alguém que nós pensávamos que poderia muito bem ser um Mestre, recontando, aparentemente em toda inocência, sua experiência com o que poderia bem ser outros dois Mestres!

Nós conversamos por um pouco mais, algumas das conversas girando em torno de seu atual trabalho que está mais relacionado com aquilo que ele chama de "mundo das fadas", mas ainda assim no mesmo estilo, que é, como se fosse pintado com luz. Nós dissemos nossos adeus e desejamos a cada um tudo de bom e conforme ele ia embora, ele virou e disse, "Aí está, eu lhe deixei um pouco de luz".

Foi um encontro encantador como foi da vez anterior, mas eu de fato me pergunto se ele era novamente o Mestre Jesus ou talvez desta vez, o homem comum Christos, se ele de fato existe. Os dois homens Indianos também poderiam ser um deles?
D.G., Londres, Reino Unido.

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que "Christos" era o Mestre Jesus. Um dos "homens indianos" era Maitreya, o outro um discípulo do Mestre Jesus.)

 

Valores fundamentais

Caro Editor,
Enquanto nós estávamos em nosso caminho para casa, em 24 de Junho de 2012, depois do workshop de Meditação de Transmissão próximo da esquina do Centro de Informações da Share Holanda em Amsterdã, nós nos encontramos com um pequenina, doce senhora de Suriname que nos cumprimentou com a mão estendidas dizendo: "Bom dia, companheiros seres humanos. Não é natural cumprimentar um companheiro ser humano?"

Ela pegou em minha mão de coração e eu senti imediatamente uma grande e quente afeição por ela. Suas mãos eram macias e quentes. E eu apenas continuei segurando sua mão, sorrindo de ouvido a ouvido, cheio de alegria em dar as mãos para uma senhora tão amável. Então ela disse: "Eu não tenho nenhuma posse, mas eu posso cumprimentar meus companheiros seres humanos."

Ela também deu a mão à Olivier. Nós, na Holanda, nunca vamos dando as mãos à pessoas que vêm passando, cumprimentando-as de coração, mesmo assim parecia tão perfeitamente natural—da maneira que deveria ser.

Embora estivesse chovendo pesadamente e estava ventando, ela não usava capa de chuva, não tinha guarda-chuva, nenhuma bolsa, nem tinha uma carteira com ela. Ela tinha a aparência de uma mendigo com pernas descobertas e sapatos pequenos, mesmo assim suas roupas eram limpas e ela não estava cheirando e sua cara parecia viva e doce. Então um carro passou e ela disse o mesmo para o motorista que não a percebeu.

Conforme ela nos deixava, ela disse: "Nós já temos tudo", e eu disse concordando "e nós temos uns aos outros". Ela respondeu com os seus dois polegares para cima e nos deixou sorrindo. Esta senhora poderia ser um dos Mestres? Obrigado por este trabalho para além de maravilhoso.
A.A., O.o.t.N, Amsterdã, Holanda.

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que a senhora era o Mestre Jesus.)

 

Visitante Real

Caro Editor,
Em 13 de Abril de 2012, eu estava dando uma palestra em Rotterdam e depois de cerca de 20 minutos, um homem com cerca de 60 anos, pequeno, sólido, com uma pele de certa forma escura e cabelo escuro armado entrou na sala e rapidamente sentou-se na última cadeira disponível.

Ele manteve seu casaco preto vestido e ouviu muito atentamente e de uma maneira sutil mostrada pela sua expressão, concordava com, e aprovava o assunto. Em toda a simplicidade ele transmitia uma espécie de "realeza", mas em particular expressava uma energia concentrada cheia de amor.

Depois da palestra, enquanto estava conversando com outro visitante, eu percebi que ele queria dizer adeus e eu ofereci a minha mão, para a qual ele respondeu de uma maneira pouco usual, pelo menos de acordo com os padrões ocidentais, com uma inclinação de leve da cabeça e um gesto oriental. Espontaneamente eu perguntei a ele: "De onde você é?" Em Holandês precário ele disse que ele estava apenas por um período curto de tempo da Holanda e que ele tinha vindo da Caxemira, próximo da fronteira Paquistanesa, e ele estendeu uma mão faltando dois dedos.

Este visitor era uma pessoa excepcional ou um Mestre da Sabedoria?
M.o.t.N., Bilthoven, Holanda.

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que o visitante era o Mestre Jesus.)

 

Dupla tomada

Caro Editor,
No dia de Pentecostes de 2012, e fui para Monmartre, Paris, com meu filho, um amigo seu e minha neta. Conforme nós entramos na Basílica Sacré-Coeur, a cerca das 5 da tarde, eu fiquei intrigado por uma velho padre de aparência miserável pedindo dinheiro.

Seus velhos óculos espessos estavam grudados por fita adesiva e ele estava vestindo um crucifixo bem impressionante feito de metal folheado de prata. Meu primeiro pensamento foi "que visão triste; um velho padre em necessidade de passar o chapéu ". Sua congregação não podia cuidar dele?

Em nosso caminho para fora da Basílica, o padre ainda estava lá. Então o amigo de meu filho disse: "Olhe, há um monge Budista bem lá embaixo!" Nós descemos as grandes escadas e paramos para olhar para ele. Usando uma muleta, o monge parecia muito amigável, sorrindo para mim com um olhar afetuoso e penetrante. Não resistindo à tentação, eu cheguei mais perto. Dois degraus dele, ele acenou sua cabeça para mim e eu respondi com um sorriso e também um aceno de cabeça. Eu tirei uma foto dele, desci as escadas e mostrei a foto para minha família. Mas quando eu olhei para cima novamente, eis que o monge não estava mais lá!

"Deve ter sido uma aparição", disse o amigo do meu filho. Mas eu estava triste e comecei a andar de um lado para o outro da esplanada tentando ver o monge. Seu desaparecimento tão rápido me intrigou, especialmente andando com uma muleta!

Na noite, eu senti muita paz dentro de mim, muito surpreendente considerando um problema pessoal que esteve me preocupando ultimamente e impedindo-me de dormir. Naquele dia, eu caí no sono rápido, sentindo-me confortável.

O monge Budista era alguém especial? E o padre pedindo esmola?
E.F., Osenbach, França.

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que tanto o "padre" e o "monge" eram o Mestre Jesus.)


 

Sinais dos Tempos

Lodnres, Reino Unido—Um ÓVNI foi filmado passando acima do Estádio Olímpico de Londres durante a abertura da cerimônia com exibição de fogos de artifício em 27 de Julho de 2012. O vídeo apareceu em vários canais de mídia, incluindo Sky News e The Telegraph e Daily Mail. (Fonte: The Telegraph, Reino Unido)

Um ÓVNI foi filmado passando acima do Estádio Olímpico de Londres

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que o ÓVNI era a Nave de Luz de Maitreya.)

 

Moscou, Rússia—Objeto Multi-colorido movendo-se visto sobre Moscou em 29 de Julho de 2012. (Fonte: YouTube: olegen77)

Objeto Multi-colorido movendo-se visto sobre Moscou

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que o objeto era a 'estrela' de Maitreya.)

 

Chelmsford, Reino Unido—Vídeo tirado em 6 de Junho de 2012, mostra um grupo de mais de 10 luzes brilhantes piscando e movendo-se no céu.

Vídeo tirado em 6 de Junho de 2012, mostra um grupo de mais de 10 luzes brilhantes piscando e movendo-se no céu.

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que os objetos voadores eram uma frota de espaçonaves Marcianas.)

As luzes de tamanhos variados podem ser vistas piscando, acendendo-se e apagando-se, ao redor de uma luz maior em forma de disco. O disco move-se lentamente para longe antes de desaparecer em um flash de luz. Uma por uma, as luzes individuais rapidamente voam para longe até que nenhuma pode ser vista. (Fonte: YouTube: xxxdonutzxxx,)

 

Formação nas plantações 2012

Duas das últimas formações nas plantações criadas em campos de cereais no Reino Unido. O Mestre de Benjamin Creme confirma que estas formações foram criadas por espaçonaves de Vênus. Para mais informações: www.temporarytemples.co.uk

Corley, próximo de Coventry, Warwickshire, Reino Unido, 11 de Julho de 2012 (esquerda)

© Steve Alexander

Corley, próximo de Coventry, Warwickshire, Reino Unido, 11 de Julho de 2012 (esquerda)

 

 

 

 

 

© Steve Alexander

© Steve Alexander

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um complexo circulo na plantação apareceu próximo de 24 de Julho de 2012

Bayern, Alemanha—Um complexo circulo na plantação apareceu próximo de 24 de Julho de 2012 em Adechs Abbey, Bayern, Alemanha. Foto: K.L.

 

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que é um genuíno padrão nas plantações feito por uma espaçonave de Vênus.)

 

Estátua sangrando em Louisiana—Um estátua da Madonna em Baton Rouge, Lousiana, EUA, parece estar sangrando. O residente local Hoa, marido de Doan, estava roçando o gramado quando ele percebeu sangue na estátua que parecia estar vindo de sua fronte. "Finalmente, ele olhou para cima e viu algo parecido com sangue.", o vizinho Kim Pham disse. "Ele pingava, não secava". A senhora Doan acredita que este é um sinal de Deus. Residentes locais estiveram visitando a estátua para rezar e deixar velas e flores. (Fonte: Huffingtonpost.com, WLOX News)

Estátua sangrando em Louisiana

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que este foi um milagre genuíno manifestado pelo Mestre Jesus.)

 

Rosto de Jesus aparece em toco de árvore

Rosto de Jesus aparece em toco de árvore

Uma imagem do rosto de Jesus apareceu em um toco de árvore em um cemitério de Belfast na Irlanda do Norte. A árvore, que foi recentemente derrubada no cemitério da Cidade de Belfast em Belfast ocidental, parece mostrar o rosto de um homem barbado lembrando Jesus no toco restante ao lado de uma cova. Um vídeo da misteriosa imagem foi postado no YouTube, com a mensagem: "Uma imagem apareceu em um toco de árvore no Cemitério da Cidade de Belfast. "Sobre inspeção de perto, é difícil falar como esta imagem foi parar aí. Recentemente, a Câmara Municipal emprega cortadores de árvores no cemitério, e como um resultado, este fenômeno apareceu."
(Fonte: Belfast Telegraph, Irlanda do Norte)

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que é um milagre genuíno manifestado pelo Mestre Jesus.)

 

Swami Premananda manifesta vibhuti

Vibhuti na fotografia de Swami Premananda, 9:30 da manhã, 12 de Junho de 2012.

Vibhuti na fotografia de Swami Premananda, 9:30 da manhã, 12 de Junho de 2012.

Em 12 de Junho de 2012, à cerca das 9.15 da manhã, vibhuti foi descoberto em uma fotografia de Swami Premananda na sala puja em seu Ashram na vila de Fathima Nagar, cerca de 20 quilómetros ao sul de Tiruchirappali (Trichy), Tamil Nadu, Índia.

Durante o dia, mais vibhuti foi manifestado como pode ser claramente visto em uma segunda fotografia, tirada à cerca das 6 da tarde.

 

Mais vibhuti mostrando-se às 6 da tarde do mesmo dia.


Mais vibhuti mostrando-se às 6 da tarde do mesmo dia.

Um devoto no Ashram disse: "Todos estavam cheios de alegria. Nós nos reunimos ao redor da fotografia de Swamiji, fizemos oferendas e nos sentamos para meditar e cantar bhajans." (Enviado pela Administração do Ashram de Swami Premananda)

 

 

 

 

 

 

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que o vibhuti foi manifestado por Swami Premananda.)

 


 

Mudanças Climáticas-- uma compilação

Nós apresentamos uma seleção de citações sobre o tema das "Mudanças Climáticas" de Maitreya (Messages from Maitreya the Christ), o Mestre de Benjamin Creme (A Master Speaks), e os escritos de Benjamin Creme.

Uma das principais coisas que irão ocorrer depois do Dia da Declaração é a virada de atenção da humanidade bem fortemente para a limpeza do meio-ambiente e em tornar esta Terra viável novamente. Cada ser humano, de qualquer idade, estará envolvido neste processo. Assim que as necessidades dos milhões famintos forem satisfeitas, assim que o processo de partilha esteja a caminho, então a atenção de todos deve se virar para o apoio de nossos eco-sistemas, ao contrário, não haverá mais planeta.

O Próprio Maitreya disse que a salvação de nosso meio-ambiente deve se tornar a primeira prioridade de todas as pessoas, jovens e velhas. Os efeitos do aquecimento global no gelo das calotas, por exemplo, são agora evidentes para todos. Um enorme programa de reflorestamento aguarda a nossa atenção; isto, é lógico, irá levar tempo para ser conseguido, mas um começo poderia ser feito agora. (Benjamin Creme, The Awakeing of Humanity)

***

Se os homens quiserem salvar este planeta dos resultados do aquecimento global, eles devem fazer infinitamente mais do que é planejado para limitar emissões de carbono, e em um período mais curto do que é geralmente aceito como necessário. O homem tem sido lento em reconhecer os perigos, e mesmo agora muitos recusam-se a levar os problemas a sério. Tais atitudes, não há dúvidas, colocam em perigo o futuro do planeta Terra. No máximo, os homens tem de dez a quinze anos para estabelecer um equilíbrio antes que dano irreparável seja feito.

Para alcançar este objetivo, os homens devem mudar dramaticamente o presente estilo de vida, e abraçarem formas mais simples de se viver e trabalhar. Terão ido os dias nos quais os homens abusaram e devastaram o planeta à vontade, sem um pensamento para as gerações que ainda virão, nem vendo, nem cuidando devidamente do meio ambiente que tem gradualmente e inevitavelmente deteriorado.

Cada ano, e por muitos anos, gigantescas áreas de antigas florestas são limpadas das árvores doadoras de vida para benefícios puramente comerciais. A comercialização de fato é um mau presságio para a humanidade conforme ela aperta sua garra nas gargantas dos homens. Comercialização, diz Maitreya, é mais perigosa para os homens do que uma bomba atômica, e está mostrando o seu poder destrutivo no caos econômico que governa o mundo hoje. (O Mestre de Benjamin Creme, de "The curse of commercialisation")

***

Pode ser dito que pelo menos alguns homens estão começando a levar a sério os perigos colocados pelo aquecimento global e as conseqüentes mudanças climáticas que ele está causando. É verdade que existe muito desacordo sobre a realidade e a extensão dos perigos, e das melhores maneiras de se abordar os problemas que concordamos que existimos. No entanto, não há dúvidas que alguns homens, pelo menos, estão reconhecendo que os homens encaram uma formidável tarefa em barrar o progresso de destruição e estabilizar o meio ambiente. É também verdade que até os mais conscientes e preocupados dos homens conhecem pouco da extensão e complexidade dos problemas...

O homem tem devastado e poluído a Terra, e severamente avariado seu próprio meio ambiente. Agora os homens devem ver isto como uma prioridade principal para remediar o que ele tem machucado e então restaurar a saúde para seu doente planeta. Ele deve aprender a simplificar suas demandas no planeta e aprender a beleza da simplicidade e a alegria da partilha.

O homem possuí pouca escolha: a urgência da tarefa demanda imediata ação; poucos de fato percebem a verdadeira escala do perigo já feito. A pergunta pode ser feita: o planeta Terra pode ser salvo e por quais meios?

A resposta é um ressoante SIM! e por meios que envolvem a transformação dos presentes modos de se viver pela maioria dos homens. (O Mestre de Benjamin Creme, de "The Earth in travail")

***

A humanidade é inclinada a pensar mecanicamente, mas o mundo é uma unidade, um ser vivo orgânico. Cada átomo deste ser está relacionado a cada outro átomo. Então nós precisamos aprender a pensar de maneiras diferentes, não de maneira separatista, mas organicamente. A única maneira de viver corretamente, sobre a Lei de Causa e Efeito, é a de organicamente compreender e viver neste espaço orgânico, o planeta Terra. (Benjamin Creme, Share International Julho/Agosto 2009)

Presentemente, vocês irão Me ver em um novo disfarce, apresentando aos homens as escolhas diante deles, delineando para vocês as possibilidade para o futuro, liberando a vocês as Leis de Deus. Estas Leis, Meus amigos, envolvem suas vidas. Sem o Plano de Deus, o homem não é nada. Lembrem-se sempre disto e restabeleçam o equilíbrio. Tenham dentro de vocês o sentimento da grandeza do homem, da unicidade do homem com todas as coisas, e o escopo divino do homem. (Maitreya, da Mensagem Nº 119)

***

É muito importante que nós aprendamos a lidar não apenas com o aquecimento global, mas também com as completas mudanças que estão acontecendo no tecido de nosso planeta. Existem muitos cientistas de ambos os lados desta questão, e os fornecedores de petróleo não estão lentos em empregarem aqueles que dizem que não há nada com o que se preocupar. De acordo com os Mestres, Que são as únicas pessoas que podem saber com certeza, 80 por cento do aumento na temperatura no mundo é devido ao aquecimento global causado pelo homem. Vinte por cento é devido a certas mudanças na relação entre o sol e a Terra, que o Próprio Maitreya levou a acontecer, em parte para chamar nossa atenção a urgência de se lidar com este perigo para a nossa vida planetária. (Benjamin Creme, The Gathering of the Forces of Light)

***

Os problemas dos homens hoje, como sempre, são de sua própria execução; eles não são inerentes ao Plano de Deus. Pelo mau uso do seu livre arbítrio divino, o homem colocou o seu futuro, e aquele de todos os reinos, em perigo. Muitos hoje estão começando a perceber e estão tomando tais passos de forma que eles possam evitar a catástrofe. Isto é bom.

Mas nem todos os homens vêem o perigo que encara a humanidade em crescente potência. O tempo é curto de fato para a reconstrução de nosso mundo em linhas mais de acordo com o verdadeiro papel e propósito do homem.

Minha tarefa é a de mostrar a vocês o caminho, delinear as possibilidades apenas, pois pelo próprio homem o Novo Mundo deve ser forjado. (Maitreya, da Mensagem Nº12)

***

A ação mais importante com a qual Maitreya está preocupado é o salvamento de milhões de pessoas que atualmente morrem de fome em um mundo de fartura. Ele diz que nada O leva tanto a dor quanto esta vergonha: "O crime da separação deve ser retirado deste mundo. Eu afirmo isto como o Meu Propósito." Então o primeiro objetivo de Maitreya é o de mostrar a humanidade que nós somos um e o mesmo: onde quer que vivemos, qualquer que seja nossa cor, nosso plano de fundo ou crenças religiosas, as necessidades de todos são as mesmas. Igualmente importante e tão urgente é o salvamento de nosso planeta da destruição na qual ele está no caminho devido ao mau uso dos recursos do planeta. Governos hoje estão mais e mais se tornando conscientes, depois de muitos anos de informações de cientistas, que o aquecimento global é uma realidade. Aquecimento global é agora compreendido em um certo grau, mas a responsabilidade do homem por ele ainda não chegou a todas as autoridades nacionais. Esta é uma das mais importantes percepções que nós precisamos fazer-- que o homem é responsável por pelo menos 80 por cento do aquecimento do planeta, e se isto continuar, isto irá drasticamente afetar nossas vidas diárias. Maitreya e os Mestres apenas possuem o exato conhecimento de como se proceder, mas nós já sabemos os primeiros passos a se tomar (a necessidade de se restringir as emissões de carbono e por aí vai), mas urgência de ação é provavelmente não completamente percebida pelos governos. Maitreya irá enfatizar o quão realmente urgente esta ação é. A destruição de florestas no planeta--por exemplo, uma área do tamanho da Bélgica de florestas primitivas é destruída cada ano na América Central e do Sul-- tem um efeito profundo no oxigênio essencial no mundo.

A necessidade por partilha de recursos do planeta é a ação número um que Maitreya irá enfatizar. Isto irá criar a confiança que irá abrir o caminho para a solução de todos os outros problemas, nacionais e internacionais. (Benjamin Creme, The Awakening of Humanity)

***

Os homens devem perceber suas responsabilidades pelo planeta no qual eles vivem. Administradores, os homens são, de um forte, mas sensível organismo e devem protegê-lo de dano. Poucos, hoje, podem clamar que isto eles fazem. Ao contrário, os homens gastam e espezinham a generosidade da natureza, sem cuidados com o amanhã ou com as necessidades de suas crianças. Verdade é que muitos estão despertando para este problema, mas até que ele seja compreendido como a preocupação de todos, e lidado globalmente, pouco progresso será feito para mudar de direção.>>>> Vocês podem ter certeza que Maitreya não é negligente quanto aos perigos para a humanidade se ela ignorar a urgente dificuldade. Ele irá pedir que os homens trabalharem-- todos-- pela restauração do planeta, e apontar o caminho para uma vida mais simples e feliz.

***

Mais uma vez restaurado a saúde, o planeta irá continuar a dar as suas recompensas para todos que aproximam-se com cuidado e amor. Os elementais dos reinos inferiores conhecem bem seus trabalhos; livres das influências dos pensamentos distorcidos dos homens, estes construtores diligentes podem, em harmonia, criar um novo e melhor mundo. (O Mestre de Benjamin Creme, de "The Great Mother")

***

O Equilíbrio Ecológico de Mundo
Extrato de uma entrevista com o Mestre de Benjamin Creme (através de Benjamin Creme)
por Patrícia Pitchon (SI Setembro 1993)

Quais são os maiores perigos agora?

O Mestre: Poluição do ar, mares e solo. Este é o perigo número um para a humanidade e é responsável pela saúde ruim de milhões e as mortes prematuras de incontáveis milhares. Um lento envenenamento da população mundial está ocorrendo através do mundo e apenas a extraordinária resiliência do sistema biológico humano permite a humanidade se sustentar mesmo no nível presente.

Segundamente, há a dizimação das florestas do mundo. Os resultados da desertificação são bem documentados. Isto possuí um grande efeito. Desertificação está se adicionando ao problema da poluição porque com cada árvore que é perdida, oxigênio é perdido para a atmosfera. O terceiro perigo é o aquecimento da atmosfera, o tão chamado efeito estufa. Isto terá efeitos de curto prazo e longo prazo na qualidade de vida, incluindo o clima. O principal fator é o aumento dos desertos no mundo. Conforme as mudanças climáticas ocorrem, elas afetam as florestas, e iriam necessitar de movimentações de grandes partes da população de uma área para outra em um período bem curto de tempo.

Quais são os principais passos para limitar o efeito estufa?

O Mestre: A percepção de que este é verdadeiramente um problema global e deve ser lidado não de maneira independente, mas como um afetando todas as pessoas sem exceção, e portanto necessitando do reconhecimento da Assembléia da ONU da importância da ameaça para a humanidade. Cada nação deve contribuir.

A Cúpula do Rio foi um passo no caminho?

O Mestre: Sim, mas com a óbvia exceção da falta de co-operação de alguma das maiores nações que se recusaram a aceitar resoluções que iriam começar a lidar com estes problemas de uma forma realísticas. Algumas destas nações, além do mais, estão entre as piores infratoras.

Um segundo passo urgente é uma drástica redução do desperdício de recursos do planeta, que significa uma completa transformação da estrutura econômica do mundo como nós a conhecemos hoje. Isto será possível apenas quando as nações como um todo aceitarem a justa redistribuição de recursos, assim implementando o princípio da partilha. Então se descobrirá que as verdadeiras necessidades de todos-- embora em um estilo de vida mais simples-- podem ser satisfeitas sem a continuada redução da viabilidade do planeta. Isto mesmo pode levar à redução da população mundial e então para um nível sustentável da base ecológica do mundo.

Alguns destes fatos são prováveis de acontecerem sem a emergência de Maitreya?

O Mestre: Para ser realista, não. A Humanidade no tempo presente é muito egoísta, muito dividida e muito estreita em sua perspectiva para que estas mudanças sejam aceitas. Mas mais e mais, o clima de percepção está mudando conforme a ameaça ecológica nasce nas nações. O problema hoje é que poderosos interesses investidos, juntos com a complacência da humanidade em geral, impedem a vontade política para a mudança ser exercida. Um programa educacional é necessário, que irá colocar a humanidade de frente com os horrores que inevitavelmente se seguiriam se as práticas presentes continuassem.

Esta educação, deve ser admitido, iria precisar de uma voz poderosa e apenas Maitreya, aceitado e honrado como o Instrutor do Mundo, teria a autoridade e persuasão necessárias. Sobre Sua orietanção, as nações começarão o trabalho, inicialmente de melhoria (assim oferecendo um espaço para respirar) e então de cura para a presente saúde ruim do Planeta Terra. Um estilo de vida mais simples e sano é a chave para esta cura. Não se pode permitir que o presente devasso mau uso de recursos continue de forma não controlada.

Quando a humanidade verdadeiramente perceber isto, os passos necessários serão tomados para reduzir o consumo de recursos e então levar a uma regeneração e estabilização do globo. (Maitreya's Mission Volume 3)

 

Salvando o planeta
pelo Mestre--, através de Benjamin Creme

Quando a humanidade perceber o quão sério é o desequilíbrio ecológico de sua casa planetária, ela deverá tomar os passos tão urgentemente necessários para remediar a situação. Se os homens falharem em responderem com resolução suficiente eles seriam culpados de renderem o planeta a uma lenta, mas inevitável destruição. Qual, então, será o legado a ser deixado a suas crianças? Para que esta auto-destruição não prevaleça, todos devem agir juntos e fazerem os necessários sacrifícios. Isto irá ocasionar uma completa mudança em atitude para a integridade do planeta e o que é visto como as necessidades dos homens hoje.

Não será fácil para alguns contemplarem as mudanças necessárias, mas apenas por tais mudanças a vida do planeta pode ser garantida. Já, profundas incursões foram feitas nos essências estoques de árvores na Terra. Desflorestamento tem causado uma crescente perda de oxigênio e o aumento de gases carbono. Isto está agora em um estágio crítico e necessita de ação imediata.

Amanhecer

A realidade do aquecimento global está agora aparecendo nas mentes de milhões, mesmo assim, apesar da esmagadora evidência , alguns ainda negam que as ações dos homens são as causas. Nós, seus Irmãos Mais Velhos, podemos dizer com inteira convicção que as ações dos homens são responsáveis por oitenta por cento do aquecimento global.

Maitreya, vocês perceberão, não demorará muito para trazer este problema urgente à atenção do homem. Ele irá mostrar aos homens as alternativas: os resultados benéficos de ação agora, de um lado, e a destruição que iria seguir-se a fazer nada, ou muito pouco, um ou o outro. Assim, a decisão é apenas dos homens.

Reunião

Quando os homens perceberem isto, eles irão de fato se reunirem para a causa. Eles irão ver que o futuro para suas crianças depende de ação agora, e irão extrair de Maitreya e Seu grupo os passos necessários a se tomar. Maitreya irá defender uma forma de vida mais simples, uma mais de acordo com a realidade da situação do planeta. Quando pessoas o suficiente estiverem convencidas que isto é necessário, ocorrerá um movimento crescente por simplicidade ao redor do planeta. Isto irá ocorrer em velocidade bem incomum, então inspirada pela necessidade por mudança milhões serão. Assim irão os mais graves perigos encarando o planeta Terra serem de alguma forma contra-atacados. Isto irá encorajar muitos e impulsionar suas prontidões por mais mudanças.

Encarados com o dilema de mudança necessária, os homens virão a perceber a inevitabilidade de aceitar o principio da partilha. Apenas a partilha tornará estas mudanças práticas e possíveis. Apenas através da partilha pode a graça concedida do Planeta Terra ser usada com sucesso. Apenas através da partilha pode esta graça ser corretamente administrada. Apenas assim pode o Próprio Planeta viver em harmonia com o seu meio-ambiente e com seus habitantes.

 


 

Greg Craven: Qual é a Pior coisa que Poderia Acontecer?
Revisão de livro por Julian Creme

"O vídeo mais aterrorizante que você verá"-- não, não é um filme de terror, mas um vídeo de 10 minutos do YouTube sobre o debate quanto as mudanças climáticas. Seu criador, o professor de uma escola secundária Americana, Greg Craven, admite que ele escolheu o título não porque ele realmente achasse que era o vídeo mais aterrorizante, mas para chamar a atenção a um assunto de importância global. Bem, ele certamente atraiu atenção. Craven convidou qualquer espectador que achasse que isto era importante o suficiente a contar para os outros sobre o vídeo, e dentro de meses após sua aparição, ele tinha marcado milhões de espectadores.

Mais importante, Craven também convidou aqueles com críticas e objeções que o deixassem sabê-lo comentando o vídeo. Dentro dos meses seguintes, ele então prosseguiu vasculhando através de dezenas de milhares destas objeções e procurou respondê-las, eliminando as falhas em seus raciocínios e fortalecendo seus argumentos. O resultado de seu trabalho, ele então publicou em outra série de vídeos, uma maratona de sete horas, toda disponível gratuitamente pela internet.

Então veio o livro. Com reorganização rigorosa e refinamento de idéias dos vídeos, Qual a Pior coisa que Poderia Acontecer? Uma Resposta Racional ao Debate das Mudanças Climáticas, nasceu. Frustrado pelas constantes afirmações e contra-afirmações por ativistas quanto as mudanças climáticas e céticos, Craven ordenadamente passou por cima do assunto de quem está certo e o tornou em um assunto de avaliação de risco, focando-se, ao invés, na questão: Como nós decidimos qual, se há, é o mais sensível curso de ação, dada a ameaça potencial ao planeta se o aquecimento global acabar sendo verdade?

Como parte de sua primeira tentativa (no Vídeo mais Aterrorizante que Você Jamais Verá) respondendo a questão do que, se há, alguma ação que nós deveríamos tomar para combater as mudanças climáticas, Greg Craven apresentou uma simples grade de decisão de 2 em 2. Ela tem duas linhas (intituladas 'Aquecimento Global é falso' e 'Aquecimento Global é verdade') e duas colunas  (intituladas 'Ação agora' e 'Nenhuma ação agora'). Isto dá quatro combinações de possibilidades de circunstâncias e respostas, e assim quatro resultados possíveis. Uma olhada no pior cenário possível (se o  aquecimento global for verdade e nós não fizermos nada  quanto a ele antes que seja muito tarde) sugere que seria muito melhor tomar ação agora. (Nota: A grade é necessariamente uma simplificação, e Craven reconheceu mais tarde que a lógica na primeira versão era falha. Muito do seu esforço nos vídeos seguintes, e o livro, foi para refiná-lo.)

Craven não faz esforços para disfarçar em que lado do debate ele está-- ele é claramente apaixonadamente preocupado com a necessidade por ação urgente quanto as mudanças climáticas-- mas ele sai do seu caminho para encorajar o leitor a fazer a sua própria mente. Ao invés de tentar convencer você quem está certo ou tentar dizer a você o que pensar, seu livro é um kit de ferramentas permitindo a você como pensar quanto a estas questões. As ferramentas incluem uma ferramenta sobre a incerteza das ciências da natureza (se nós esperarmos por certeza absoluta, será tarde de mais), uma exploração do quão facilmente nós nos enganamos pensando que temos as respostas certas (cuidado para com o viés de confirmação), e maneiras de fazer com que as várias vozes em competição e contraditórias no debate climático tenham sentido, e em decidir quem tem credibilidade e quem não tem. (o "Espectro da Credibilidade"). Há um exame de quem está dizendo o que em ambos os lados, e uma excelente explicação para o leigo da mecânica do aquecimento global que mostra o porque de todo o barulho. Se você quiser investigar mais, existe uma lista útil de websites de ambos os campos.

Qual é a Pior Coisa que Poderia Acontecer? é bem legível. Greg Craven é um excelente comunicador, e seu estilo é leve e divertido, sem ser irreverente e reduzir a seriedade do assunto. Seus vídeos, também, são altamente divertidos e agradáveis, sendo ainda educacionais e instigantes. Ambos, o livro e o vídeo, são altamente recomendados para qualquer um preocupado quanto as mudanças climáticas.>>>> What's the Worst That Could Happen? A Rational Response to the Climate Change Debate, Greg Craven, publicado pela Perigee, 2009.
Para mais informações: www.gregcraven.org

***

Partilhando os bens-comuns: a herança coletiva da humanidade (Parte Um)

Uma entrevista com James Quilligan (um extrato.)
por Jason Francis

James Quilligan tem sido um analista e administrador no campo do desenvolvimento internacional desde 1975. Ele foi um conselheiro político e secretário de imprensa para a Comissão Brandt, um painel de desenvolvimento internacional criado pelo ex-Chanceler da Alemanha Ocidental Willy Brandt. Quilligan desde então tem servido como um conselheiro político e escritor para muitos políticos e líderes ao redor do mundo, incluindo Jimmy Carter, Pierre Trudeau, François Mitterrand e a Realeza Princípe El Hassan bin Talal. Ele também colaborou com várias agências das Nações Unidas assim como organizações internacionais de desenvolvimento sobre questões ligadas aos bens-comuns e serviu como um consultor econômico para agências governamentais em 26 nações. Quilligan é presentemente o Diretor do Centro para Negociações Globais e Presidente da Global Commons Trust. Ele também é um Membro da Diretoria da London's School of Commoning e da publicação Americana Revista Kosmos. Jason Francis entrevistou James Quilligan para a Share International.

Share International: Você passou a maior parte de sua carreira em desenvolvimento internacional, mas em anos recentes, você mudou para esta nova área chamada bens comuns. Por quê?

James Quilligan: Desenvolvimento internacional para mim era uma maneira de compreender os problemas do mundo e como eles podiam ser resolvidos. Eu me sentia em casa com o desenvolvimento. Mas isto era verdade? Desde sempre eu estive olhando as questões de desenvolvimento de um meta-nível e gradualmente ocorreu a mim que eu estava latindo para a árvore errada. Eu reconsiderei os vários desequilíbrios no comércio, finanças e dinheiro-- áreas nas quais eu tinha me especializado por décadas-- e percebi que soluções Keynesianas como estímulo econômico não iriam resolver os problemas econômicos estruturais. Eu também reconsiderei crescentes crises globais como fome e subnutrição; decrescente acesso à água e saneamento; a falta de educação e emprego; o problema de armas biológicas, convencionais e nucleares; a questão dos refugiados, migração e tráfico.

Então, há a situação ambiental com o aquecimento global, a severa poluição e degradação do ar, água, solo e florestas. Numerosos estudos indicam que se o aquecimento global fizer com que as temperaturas aumentem mais do que 2 graus Celsius, a água se tornará escassa, terras agrícolas se tornarão desertos, ocorrerão faltas de comida, muitas espécies se tornarão extintas, ilhas e áreas litorais estarão em baixo da água, milhões de pessoas serão deslocadas e conflito global poderá acontecer. Eu percebi que uma abordagem Norte-Sul (na qual nações desenvolvidas iriam levar nações em desenvolvimento para fora da pobreza e portanto estimular a economia mundial) não resolveria a maioria destes problemas. Por exemplo, a produção e consumo das nações ricas, e a pobreza e luta para se industrializar nas nações pobres, estão ambas contribuindo para o aquecimento global. Isto torna o modelo Norte-Sul em uma negociação competitiva sobre recursos, não uma fórmula por co-operação e sustentabilidade.

SI: Então você mudou suas visões sobre a melhor forma de resolver estes grandes problemas globais?

JQ: Quando os Objetivos dos Desenvolvimentos do Millennium das Nações Unidas foram desenvolvidos em 1998-2000, eu reconheci a futilidade em alcançá-las sobre o status quo político e econômico. Eu cheguei a conclusão que o campo do desenvolvimento sempre esteve esperando investimentos estrangeiros e ajuda estrangeira para resolver a crise do mundo quando, na verdade, investimento e ajuda não estavam se dirigindo às fontes destes problemas. Na verdade, a abordagem pelo desenvolvimento normal estava, na verdade, contribuindo para estes dilemas e os tornando pior. Como alguém que estava aumentando as expectativas das pessoas sobre o nosso futuro econômico, eu agora percebi que isto era irrealista, dado o atual estado do mundo. Então eu era parte do problema. Este foi o meu momento da verdade.

Eu compreendi que questões ligadas ao desenvolvimento tinham que ser reformuladas. Elas eram na verdade questões sobre os "bens comuns", as quais nós poderíamos apenas nos dirigir se nós víssemos as causa destes problemas coletivos de ação como transfronteiriços, significando que eles atravessavam fronteiras. Então o desafio é, quem tem a jurisdição e é responsável por resolver estes conflitos e desequilíbrios? Apesar da maior interdependência oferecida pela globalização do comércio e financeira, as instituições do direito à propriedade e soberania de fronteiras estão severamente impedindo o fluxo de energia consciente entre as pessoas e nações do mundo. Pobreza e fronteiras estão inibindo o fluxo de empatia e intersubjetividade entre nós, criando separação. As limitações arbitrárias de fronteiras limita a cultura coletiva da humanidade, destrói o tecido das relações comunitárias e degrada o meio ambiente-- todos os quais resultam na contribuição da desigualdade social, dominância sexual, competição comercial e guerra...

SI: Você poderia dar alguns exemplos destes vário bens comuns? Pensa-se em bens comuns como recursos naturais, mas o termo parece envolver a natureza e muito mais.

JQ: Muitas pessoas pensam em recursos naturais. Assim é como a maioria de nós foi introduzida aos bens comuns. Este é um bom começo. Mas neste nível, os bens comuns ainda parecem como uma metáfora ao invés de um princípio estrutural. De uma perspectiva mais ampla, os bens comuns são a herança coletiva da humanidade. Eles são os recursos partilhados da natureza e da sociedade que nós herdamos, criamos e usamos. Você poderia dizer que os bens comuns são naturais, genéticos, materiais, intelectuais, sociais, culturais e digitais. Estes são todos recursos que nós precisamos para a nossa sobrevivência e bem-estar. O que unifica todos estes bens comuns, em minha visão, é que nós dependemos deles para a coesão social, uma melhor qualidade de vida e bem-estar, expressão individual e propósito, e, é lógico, para o nosso sustento e sobrevivência. É por isto que eles são tão vitais.

O que é interessante é que nós não reconhecemos imediatamente todas estas coisas como bens comuns, embora de fato elas sejam. Mesmo assim, quanto mais nós identificamos elas como bens comuns, nós não conseguimos prevenir que a "tragédia dos bens comuns" ocorra. Este dilema foi definido por Garret Hardin [ii] em um famoso artigo de 1968 na revista Science. Colocando de maneira simples, é a inabilidade de pessoas de uma área local administrarem seus recursos partilhados porque indivíduos querem os explorar, ao invés de co-operar e partilhá-los. Infelizmente, este argumento é utilizado para mostra que não se pode confiar no auto-interesse humano nas definições comunitárias, porque a natureza humana é inerentemente gananciosa e competitiva. Esta idéia da "tragédia dos bens comuns" é freqüentemente utilizada para justificar a intervenção do governo ou do setor privado na comunidade para administrar seus bens comuns. A implicação é que o governo e os negócios são os especialistas e as pessoas são muito ignorantes para administrarem e produzirem seus próprios recursos. Mas, é lógico, as pessoas estiveram fazendo isto com sucesso por incontáveis milênios. Então por quê toda esta insistência agora sobre tercerizar os bens comuns para o governo e o setor privado?

Para recuperarmos nosso poder sobre os bens comuns, é importantes distinguir entre diferentes formas de bens comuns. De um lado, existem bens comuns sociais, culturais, intelectuais e digitais, que tendem a serem renováveis. Estes tendem a serem recursos auto-regenerativos. Eles incluem culturas e tradições indígenas; trabalhos criativos; línguas; feriados; idéias; internet. É uma ampla gama de coisas. Mesmo ruas, calçadas, praças, espaços públicos e parques nacionais são bens renováveis.

De outro lado, existem recursos naturais, genéticos e materiais que tendem a serem esgotáveis. Estes são recursos que estão em perigo se nós não os conservarmos. (É lógico, esgotamento depende do recurso em particular e sua ecologia de apoio. Muitos bens comuns naturais como animais ou árvores podem ou não se regenerarem, enquanto que outros como pedras ou cobre definitivamente não.) Bens comuns naturais iriam incluir peixes, agricultura, florestas, pantanais, parques e jardins. Existe uma categoria distinta entre os bens comuns naturais que nós reconhecemos como bens comuns genéticos: sementes, plantações, alimento, DNA e formas de vida. E estes são todos diferentes de bens comuns materiais, que incluem rochas, hardware tecnológico, construções e atmosfera.

SI: Qual é a importância de compreender o que bens comuns são?

JQ: Todo o ponto de se compreender os bens comuns é de reconhecer porquê muitos deles foram limitados. Nós precisamos avaliar que pelos últimos séculos, conforme o nosso espaço físico se tornou quantificado e comercializado, sociedades começaram a colocar cercas e outras restrições ao redor de nossos bens comuns e de legalmente limitarem estas áreas. Os bens comuns foram modificados em bens privados e bens públicos (ou fornecidos pelo governo). Estes fechamentos são crescentes. Hoje, por exemplo, quando contos de fadas ou músicas tradicionais são colocadas sobre direitos autorais por corporações e pessoas são cobradas pelo seu uso, parte de nossa herança coletiva é roubada. Ou quando a Nestlé vem para a comunidade para bombear água de nossos aqüíferos subterrâneos a um custo mínimo, então a engarrafa e a vende de volta para nós com uma marca de mercado em lojas locais, a comunidade perdeu seu bem valioso. Ou quando governos dão às corporações o direito de desenvolverem petróleo e minerais que são encontrados em nossos parques naturais ou outras terras públicas, as pessoas perdem recursos valiosos que pertencem a elas.

O processo de cercamento tira os bens comuns das mãos das pessoas e dá as suas produções e administrações para o setor privado ou o governo. Isto levou à degradação dos nossos bens comuns e muitos outros tipos de problemas, como a marginalização das pessoas de suas terras, refugiados, colonialismo e guerra. Então a importância em identificar estes diferentes bens comuns é a de reconhecer que cada um precisa ser manuseado de forma diferente. E isto significa reconhecer que, em muitos casos, eles não estão sendo administrados eficientemente e que eles oferecem uma fonte de valor vital que está sendo explorada.

Competição e Consumismo

SI: Que efeito a competição e o consumismo está tendo nos bens comuns?

JQ: Está tendo um impacto enorme. A intervenção de tanto o setor privado e o estado nos bens comuns das pessoas reduziram suas oportunidades de partilharem recursos. Cercamento e posse dos bens comuns anteriormente se referia apenas às terras das pessoas. Infelizmente, como o resultado de cercamentos, colonialismo, privatização e globalização, todos aspectos da vida hoje estão sendo cercados: terra, conhecimento, cultura, tecnologia, água, genética, biodiversidade, e serviços públicos como infraestrutura, saúde e educação. Todos os seres e recursos se tornaram em commodities virtuais. Tudo pode ser comprado e vendido no mercado, incluindo nosso trabalho, idéias e criatividade. Competição essencialmente significa que o direito de posse pelos ricos é baseado na privatização dos bens comuns e a desapropriação dos pobres, economicamente, politicamente e culturalmente. Isto rouba as pessoas e espécies de nossos direitos para partilharmos um espaço ecológico, cultural, político e econômico. E quando todos nós somos seres dispensáveis sem espaços comuns, nós precisamos lutar pela nossa sobrevivência. Então eu pergunto a você, como nós podemos partilhar quando o nosso ambiente ao redor não encoraja a partilha?

SI: Os sistemas econômico e político estão criando escravidão econômica, uma servidão moderna certificada com a mercantilização das pessoas e dos bens comuns?

JQ: Nós algumas vezes caracterizamos o presente regime global como neo-liberalismo, mas eu acho que este termo é um engano. Ele implica que nós podemos de alguma forma voltar às raízes do liberalismo. Ele sugere que liberdade e igualdade ainda estão dentro de nosso alcance no sistema presente. Eu temo que nós estamos muito além disso agora e nós precisamos acordar para o mundo no qual nós realmente estamos vivendo. Nossa língua e reconhecimento político estão muito atrasadas em relação à realidade dos eventos atuais. Parece para mim que as pessoas estão se tornando sujeitos de uma nova ordem social emergente que o autor Philip Bobbit [iii] chamou de "Estado-Mercado". Este Estado -Mercado promete aumentar a liberdade de mercado e escolha melhorando nossas oportunidades econômicas como consumidores. Isto significa privatizar quase tudo , supostamente para o benefício das pessoas.

Enquanto isto, o setor privado e os bancos estão rapidamente engolindo governos e curvando constituições nacionais em seu favor, diminuindo o papel do governo e limitando nossos direitos políticos enquanto cidadãos. Votar e representação popular estão se tornando cada vez mais sem sentido porque os governos estão jurados a apoiar os interesses de grandes corporações, não os interesses das pessoas. O plano do Estado-Mercado é o de que o governo não terá deveres a não ser a defesa nacional, proteção da propriedade e o desmantelamento das barreiras de negócios.

O que está no horizonte é uma totalidade político e econômica-- não totalitarismo, mas algo inteiramente único na história. É como o Império Romano, mas totalmente comercializado, computadorizado, armado e global. Enquanto eu acho que a total consolidação econômica pode ser um estágio no destino evolucionário do planeta, eu também acredito que as pessoas do mundo são igualmente impelidas a se organizarem como um superpoder de compensação afim de colocar estes furiosos mercados em restrição. Eu acredito que isto é parte do Plano. As pessoas do mundo devem criar novas estruturas de responsabilidade políticas para protegerem nossos recursos partilhados e para restaurarem a promessa de liberdade e igualdade que está rapidamente desvanecendo de nossa vidas.

SI: Você acha que o capitalismo e o socialismo possuem algum papel em um futuro baseado em partilha?

JQ: Sim, mas eu não acho que nós os estaremos concebendo da mesma forma que nós agora os chamamos capitalismo e socialismo. Nós não precisamos de mais ideologias, mais "ismos". A economia integrada do futuro será um equilíbrio de incentivos individuais e coletivos. Presentemente, nós fomos ao extremo de enfatizarmos incentivos pessoais, mas ambos são necessários. É importante integrar o capitalismo e o socialismo através de uma nova síntese que inclua, mas que transcenda eles. Eu acho que um dos catalisadores que irá unificá-los é a Commons trusts.

Informação: www.globalcommonstrust.org e www.global-negotiations.org

***

Cidadãos Japoneses se erguem
por Michiko Ishikawa

Mais de um ano depois do desastre da Usina Nuclear de Fukushina Daiichi em Março de 2011, a voz do povo Japonês está finalmente sendo ouvido alto e clara: "Não mais energia nuclear!"

Na conseqüência do terremoto de 9.0 e na resultante tsunami que atingiu o nordeste do Japão, causando inimaginável destruição e perdas de vida, jornalistas internacionais cobrindo o desastre foram tocados pela resposta do povo Japonês. Um repórter da Herald Sun da Austrália escreveu: "Encarados com o pior desastre a atingir suas ilhas densamente povoadas desde a 2ª Guerra Mundial, os Japoneses mostraram um admirável estoicismo e dignidade que deixou o mundo boquiaberto com admiração."

Em 16 de Julho, um feriado nacional, 170.000 pessoas (muito mais do que os organizadores esperavam) se juntaram no Parque Yoyogi e nas áreas ao redor em Tóquio por um "Comício de Adeus à Energia Nuclear". Foto: Masaya Noda

Em 16 de Julho, um feriado nacional, 170.000 pessoas (muito mais do que os organizadores esperavam) se juntaram no Parque Yoyogi e nas áreas ao redor em Tóquio por um "Comício de Adeus à Energia Nuclear". Foto: Masaya Noda

Sobreviventes em cidades e aldeias isoladas sem eletricidade, comunicação ou transporte por dias e semanas, se organizaram para coletarem comida e manterem-se quentes no meio do inverno enquanto pacientemente esperavam por times de resgate alcançá-los. Especialmente tocante foi a força espiritual das pessoas que tinham vivido através do pós Segunda Guerra e reconstruíram o Japão das ruínas. Uma mulher idosa foi citada numa reportagem dizendo: " Nós devemos ser gratos por sobreviver. Nós podemos sempre reconstruir nossas coisas materiais" Outra reportagem dizia respeito a um casal em seus 90 anos, deliberadamente soltando das mãos de seus filhos que tentavam resgatá-los para que eles não fossem um fardo, então afogando-se nas águas do tsunami.

A experiência do desastre pareceu permitir as pessoas a redescobrirem a importância da vida e valores espirituais internos. Também encorajadoras foram iniciativas tomadas por pessoas jovens em suas adolescências para ajudar limpar, cozinhas e distribuir comida, e encorajar adultos que estavam perdidos e angustiados em campos de refugiados e em outros lugares.

O governo Japonês, por outro lado, foi severamente criticado por governos internacionais e a mídia por sua ineficiência e sigilo em face ao acidente nuclear. Políticos Japoneses ficaram preocupados com lutas por poder ao invés de se unirem para lidarem com o desastre. Eles se engajaram em argumentos sem fim em como levar abaixo o líder do governo, Primeiro Ministro Kan, no meio da crise. (Kan depois revelou em um documentário de uma televisão Alemã que ele foi tirado do cargo porque ele era contra a energia nuclear e estava zangado com a administração do Companhia Elétrica de Tóquio, a empresa Japonesa que é dona da usina nuclear da Fukushima.)

A influência da indústria de energia nuclear no Japão é enorme, estendendo-se a políticos, burocratas, universidades, companhias de eletricidade, assim como a mídia. Eles mantiveram o público Japonês ignorante quanto à verdade sobre a energia nuclear, tentando convencer eles de que ela é segura e econômica.

Cerca de 24 horas depois da primeira explosão de hidrogênio na usina de Fukushima, por exemplo, residentes da área obedeceram fielmente as instruções confusas do governo para evacuar as pessoas vivendo dentro de 3 km (2 milhas) da usina. Ordens para evacuar se estenderam para 5km (3 milhas), então para 10 km (6 milhas) conforme a segunda, terceira, e quarta usinas explodiram alguns dias depois; e finalmente para 20 km (12 milhas) alguns meses depois. Em contraste, dentro de poucos dias das explosões, o governo dos EUA instruiu seus cidadãos vivendo dentro de 80 km (50 milhas) da usina a saírem da área imediatamente. Algumas vezes, campos de refugiados eram localizados dentro de áreas restritas e refugiados tinham que se mover muitas vezes.

Após o desastre, o governo Japonês ordenou inspeções de segurança para as 54 usinas nucleares do país, e todas as usinas foram eventualmente desligadas. No entanto, um ano mais tarde, enquanto água altamente contaminada do exaustor das usinas destruídas de Fukushima Daiichi continuaram a vazar no mar e no subsolo, a indústria de energia nuclear começou a mexer seus músculos novamente. O governo permitiu que a Usina Nuclear de Oi fosse religada, contra forte oposição do público. A mídia Japonesa apoiou as reivindicações da Companhia Elétrica de Kansai, que gerencia a usina, que sua operação era necessária para oferecer eletricidade o suficiente durante o vindouro quente verão. Acredita-se que o governo quer religar outras usinas nucleares também. Entre os vários perigos da energia nuclear no Japão está a sempre presente ameaça de terremotos. Na verdade, foi recentemente revelado que uma falha ativa de terremoto existe diretamente abaixo da Usina Nuclear de Oi.

Mais e mais Japoneses estão agora se tornando informados da verdade dos perigos das usinas de energia nuclear. Pessoas jovens, mães e pais, avós e avôs, estão se erguendo.- foto: Masaya Noda.


Mais e mais Japoneses estão agora se tornando informados da verdade dos perigos das usinas de energia nuclear. Pessoas jovens, mães e pais, avós e avôs, estão se erguendo.- foto: Masaya Noda.

O povo Japonês, em geral, confia nas reportagens da grande mídia, especialmente da NHK (a companhia nacional de transmissão semi-pública, e a única mídia que pode coletar taxas de cada família com uma televisão). A maioria das pessoas não estão conscientes do quanto a mídia é controlada pelo governo e pela indústria de energia nuclear. Pessoas vivendo no exterior, vendo e ouvindo reportagens independentes quanto a situação na usina de Fukushima Daiichi, se perguntaram porque os cidadãos Japoneses não ergueram suas vozes, e porque eles não ficaram zangados. Por um lado, a mídia constantemente ignora as vozes da oposição contra as usinas nucleares. Manifestações anti-nucleares ou não são relatadas, ou quando relatadas, são normalmente retratadas como ações organizadas realizadas por radicais extremistas e sindicatos que violentamente se chocam com as forças polícias. Então o público geral, mesmo que eles concordem com o propósito das manifestações, tendem a ter medo de participarem.

O poder do povo em ascensão

No entanto, manifestações e encontros recentes de movimentos contra a energia nuclear no Japão são diferentes em sua natureza e composição. As normalmente bem organizadas, despóticas forças policiais estão perplexas em face a gigantescos números de cidadãos não-violentos, ordenados, mas zangados, compostos de mães com carrinhos de bebê, pais jovens com crianças em seus ombros, crianças em idade escolar com seus pais, homens e mulheres, jovens e velhos-- cada um pedindo por um fim a energia nuclear, protegendo crianças, protegendo o futuro do Japão.

Em Março de 2012, uma idéia foi proposta de se manifestar em frente a residência oficial do Primeiro Ministro Noda em Tóquio a cada noite de Sexta-Feira entre as 6 e 8 da noite. No começo, algumas poucas centenas de pessoas se juntaram. Números continuaram a crescer, para 2.000 e 3.000. Em Junho, o número de manifestantes aumentou para 12.000 e em 22 de Junho, cerca de 50.000 pessoas se juntaram, de acordo com os organizadores. Mesmo assim, a grande mídia dificilmente relatou estes eventos. A polícia tentou separar os manifestantes em pequenos grupos, e mantê-los em um dos lados das calçadas, um quarteirão por vez, de forma que os espectadores da televisão não pudessem ver as longas filas de manifestantes nas reportagens.

Em resposta a falta de cobertura da mídia, Takashi Hirose, um escritor de documentário e há muito ativista anti-nuclear, veio com uma idéia de fazer reportagens independentes quanto a manifestação. Ele pediu doações na internet para contratar um helicóptero para tirar fotos aéreas e vídeos. Doações vieram, muito mais do que eles precisavam. Voluntários e cinegrafistas freelance, jornalistas, repórteres, assim como jovens atores de filmes se juntaram à reportagem ao vivo. O "Grupo Heli por Correta Reportagem" foi inaugurado em 27 de Junho de 2012. Fotos e vídeos de gigantescos encontros na Sexta, 29 de Junho se espalharam através das redes sociais, blogs e e-mails, fazendo lembrar o Egito durante a Primavera Árabe. Pela primeira vez, as pessoas viram e ouviram reportagens quanto a gigantesca multidão de zangados, porém ordenados cidadãos manifestando-se em frente a casa oficial do Primeiro Ministro Noda. Uma contínua corrente de pessoas emergindo de estações de trem e metrô próximas após o trabalho podiam ser vistas indo em direção ao encontro. Às 8 da noite, quando as manifestações acabaram, a multidão era estimada em ter chegado a 150.000 pessoas, de acordo com os organizadores. Outras mídias relataram que apenas 16.000 pessoas participaram.

P. Maitreya esteve marchando com as pessoas nestas manifestações, e o Mestre em Tóquio também, talvez, esteve presente? (2) As marchas foram inspiradas por Maitreya?
R. Maitreya e o Mestre Jesus tomaram parte, e o Mestre em Tóquio continua a tomar parte nas manifestações. (2) Não, elas foram inspiradas pelas próprias pessoas.

Em 16 de Julho, um feriado nacional, 170.000 pessoas (muito mais do que os organizadores esperavam) se juntaram no Parque Yoyogi e nas áreas ao redor em Tóquio por um "Comício de Adeus à Energia Nuclear". Em 29 de Julho, quase 200.000 pessoas se juntaram às marchas e manifestações para cercar o Prédio do Congresso Nacional.

Japão está em uma encruzilhada crítica. As pessoas podem ou continuar a serem manipuladas pela gananciosa indústria nuclear e políticos corruptos e burocratas até que outro desastre aconteça, ou mudar a política para livrarem-se das usinas de energia nuclear e proteger o futuro do Japão.

O futuro do país está nas mãos de seus cidadãos. "Parem com as usinas nucleares", "Livrem-se da energia nuclear", "Protejam nossa crianças", "Protejam nossa linda terra", seus chamados zangados ressoam. Os maiores protestos no Japão desde 1960 estão ocorrendo em Tóquio semana após semana e logo irão se espalhar através do país. Mais e mais Japoneses estão agora se tornando informados da verdade dos perigos das usinas de energia nuclear. Pessoas jovens, mães e pais, avós e avôs, estão se erguendo.

Talvez Maitreya esteja marchando com eles, focando suas vozes.

mensagem anterior mensagem seguinte


HomeCopa

  | INÍCIO |