MAIN
Home
BACKGROUND
Teachings
FAQ
FAQ
FAQ
FAQ
FAQ
FAQ

 

FAQ
FAQ
MAIS RECURSOS
Magazine
 
 

 
 
 Início >> do Mestre>>Novembro 2012

Share International HomeShare International HomeBackground information

mensagem anterior mensagem seguinte

Pedido de apoio!

Veio ao nosso conhecimento que mais e mais pessoas estão recebendo nossa informação apenas pelo website, desta maneira, renunciando ao pequeno custo de assinar a revista Share International.

Nem todos podem, ou usam a internet, e é essencial ter uma expressão física externa, que pode apresentar com fotos, os eventos dos quais falamos. Isto significa que é necessário que haja uma revista, que,é lógico, requer uma grande quantidade de trabalho de voluntários, e muito dinheiro para ser produzida. Talvez exista a idéia de que a Hierarquia distribua dinheiro para este trabalho, mas este não é o caso. Assinaturas para a Share International são uma parte essencial para manter o nosso trabalho e alcançarmos o público. O custo da assinatura é mantido o mais baixo possível, a revista não é patrocinada por propagandas e custo postais e de impressão estão aumentando a todo o momento.

Certamente nós todos concordamos que todos aqueles que seriamente acreditam neste trabalham gostariam de ajudar a revista, sejam eles leitores ou não das informações pela internet.

Obrigado pelo seu apoio.


 

De Peixes à Aquário

pelo Mestre—através de Benjamin Creme,
13 de Outubro de 2012

Dentro da presente era existem muitas coisas que devem ser preservadas, pois nós não devemos esquecer que a Era de Peixes, agora rapidamente desvanecendo na história, legou a nós muito de valor. É lógico, a grande qualidade da Individualidade pode ser citada como a glória de Peixes, mas existem outros bens que devemos à experiência Pisciana dos últimos 2.000 anos.

Um novo e mais potente idealismo enriqueceu os corações e mentes de milhões, assim causando o nascimento e a divulgação das maiores religiões mundiais com seus essenciais pensamentos nutridores e civilizatórios. O impulso para conhecer, para viajar, e para comerciar floresceram como nunca antes, e um novo mundo, literalmente, apareceu aos olhos atônitos dos homens. Inevitavelmente, o comércio inicial se tornou a gananciosa exploração e anexação; assim, como sempre, os impérios cresceram e se tornaram ricos e fortes. Freqüentemente, os heróis conquistadores sentiam-- erradamente, mas algumas vezes corretamente-- que eles tinham uma missão civilizatória e iluminadora, de que os "selvagens" precisavam da "salvação", e que o ouro e as espécies não eram as verdadeiras razões de suas presenças longe de casa. Isto de fato foi assim em muitos casos. O impulso por conhecer e em aplicar este conhecimento é evidente no trabalho de Leonardo da Vinci, cujas explorações científicas levaram ao avanço da medicina moderna e até mesmo para as aeronaves modernas e a exploração espacial. Tudo isto e mais resultam da experiência Pisiciana.

Se a individualidade foi a principal dádiva de Peixes, hoje, conforme nós entramos na nova Era de Aquário, o mau uso desta mesma individualidade se tornou o maior perigo e ameaça para o homem. Através do mundo, poderosos indivíduos, governos e instituições mantém milhões em escravidão. Nestas circunstâncias, os homens se tornaram peões, mantidos reféns aos caprichos do mercado. Instituições de todos os tipos-- governos, bancos e corporações-- reduziram a brilhante individualidade de seus trabalhadores a passiva obediência. Em demais lugares, outros passam fome e morrem em silêncio, ou se escravizam por uma pitança diária, enquanto os ricos adicionam riqueza ao seu acumulo profano.

Esta norma de divisão esta levando os homens à beira da destruição e apresentam a eles uma escolha histórica: continuar assim e terminar, para sempre, com a permanência temporária do homem no Planeta Terra ou mudar de direção completamente. Já, os sinais estão lá de que os homens viram o perigo e, através do mundo, estão despertando para um novo amanhecer. A brilhante luz de Aquário está entrando em seus corações, e os gritos por justiça e liberdade erguem-se prontamente aos seus lábios. A mesma justiça através da partilha irá levar os homens para fora de sua escuridão e erguê-los para o seu objetivo destinado. Assim será.


 

Perguntas e Respostas
- uma seleção da revista deste mês

P. Quantas entrevistas Maitreya deu até agora?

R. Um total de 78, 35 no Brasil. (Até 9 de Outubro de 2012.)

P. (1) A porcentagem de pessoas tendo ouvido as idéias de Maitreya permaneceu cerca de 70 por cento à favor e 30 por cento contra? (2) 70 por cento é o melhor que pode ser esperado como uma proporção da humanidade à favor de Seu conselho?

R. (1) Sim, mais ou menos. (2) Provavelmente. Esta é uma proporção muito boa.

P. Os "30 por cento contra" falando no geral são pessoas ricas com interesses em manterem o status quo e assegurar seus ativos?

R. Não necessariamente, mas é lógicos algumas delas são.

P. Você poderia dizer porque Maitreya é entrevistado mais em alguns países do que em outros?

R. Depende do interesse da mídia em dar a Ele a oportunidade por falar.

P. Eu tenho uma constante urgência (não frenética, apenas uma urgência estável) sobre tornar conhecido tão amplamente ao público o quanto possível sobre o Reaparecimento de Maitreya, o Instrutor do Mundo. É essencial que nós tenhamos uma massa crítica informada de pessoas o tão cedo possível. Você poderia por favor comentar?

R. Você está no caminho certo. Esta é a melhor condição a se ter. Se todos tivessem o mesmo sentimento e agissem sobre ele, eles veriam Maitreya ainda mais cedo.

P. Julgando pelo artigo mais recente de seu Mestre 'S.N.P-- Salve nosso Planeta' e o objetivo expresso de S.N.P esperançosamente se tornar tão bem conhecido, digamos, como S.O.S ou qualquer outro chamado similar-- é esta uma tarefa para o grupo trabalhando com você para informar ao público sobre a iminente Reaparição do Instrutor do Mundo?

R. Estas duas tarefas não são mutuamente exclusivas-- elas são parte de um todo.

P. Alguns colaboradores tiveram a idéia de fazerem adesivos para carros, emblemas e por aí vai para promoverem a idéia de S.N.P , mas também encorajando outros (talvez aqueles já envolvidos em ativismo ecológico) para assumirem a tarefa. Seus comentários, por favor.

R. Esta é uma entre várias boas idéias.

P. Eu recentemente ouvi um colaborador em um dos grupos de Meditação de Transmissão referir-se ao "trabalho da Emergência" como se ele fosse uma tarefa separada e diferente daquela que a Share International que está informando público do Reaparecimento de Maitreya, o Instrutor do Mundo. Eu temo que eu não compreendo o que isto quer dizer. É este um grupo dentro de um grupo? Um sub-grupo? Um grupo totalmente diferente? Você poderia explicar, por favor.

R. Existem pessoas nos grupos da Share International que gostam de soar uma nota individual quando falando sobre qualquer coisa relacionada com a emergência da Hierarquia Espiritual. Elas gostam de apresentarem seus trabalhos como a "Emergência" e não sobre a bandeira da Share International. Eu pessoalmente considero que isto enfraquece o impacto da informação e coloca em perigo a unidade essencial do trabalho da Share International ao redor do mundo. Eu tenho falado sobre isto com vários grupos que alteraram suas publicidades e alcances gerais de acordo.

Este perigo se tornará mais aparente conforme o Dia da Declaração ficar mais próximo. Pessoas anteriormente não impressionadas com esta informação já estão começando a vê-la de forma diferente, conforme os eventos mundiais tendem a provar sua veracidade. Isto promove uma forte ambição para reivindicarem um papel neste grande acontecimento, mas sobre nomes separados. O termo "Share International" foi dado a mim no começo deste trabalho pelo meu Mestre e é verdadeiramente internacional. Quando informação é dada sobre a bandeira da Share International mais e mais pessoas irão tomá-la como essencialmente verdade. Sem esta bandeira de cobertura, centenas de milhares, talvez milhões, não terão certeza sobre qual informação elas podem confiar vindo de uma ampla variedade de fontes. Assim o nome Share International é uma garantia de confiança e precisão que pode ser confiada por todos, e a necessária unidade de abordagem pode ser manifestada.

P. Enquanto existem algumas pessoas jovens/mais jovens nos grupos de Reaparecimento, geralmente parece que pessoas mais jovens estão ocupados estabelecendo elas mesmas, construindo carreiras e por aí vai. Embora existam exceções óbvias, seria geralmente correto dizer que isto é como deveria ser? (No Ocidente, nós não temos o conceito Indiano da vida sendo dividida em estágios, cada uma necessitando diferentes focos.)

R. Um movimento tão importante e difícil como a exteriorização da Hierarquia Espiritual leva tempo. Assim aqueles trabalhando por ela devem estar preparados para envelhecerem durante este processo. Então é essencial que grupos abram suas portas para pessoas mais jovens pelo caminho do trabalho. De outra forma, como ocorre agora em alguns grupos, o grupo original se torna muito velho para fazer muito enquanto eles não adquiriram a habilidade essencial para delegar e treinar pessoas jovens. Estas pessoas mais jovens podem não se engajar tão de coração já que elas tem outras responsabilidades, mas elas deveriam ser bem vindas por quaisquer coisas que elas têm a oferecer.

P. Podem tais seres altamente evoluídos como Maitreya e os Mestres dizerem para "esperar ansiosamente" por um evento como o Dia da Declaração?

R. Sim, é lógico!

P. O Presidente Ahmadinejad do Irã falou recentemente nas Nações Unidas. Parecia exatamente como se ele lesse a Share International. Como pode isto?

R. Eu duvido que ele leia a revista Share International, mas caso sim ou caso não, ele deu um extraordinário discurso com nenhuma das comuns agressões, hostilidades e ameaças. Ele disse no passado que a aparição do Imam Mahdi (o Cristo ou Buda Maitreya para os Budistas) é eminente e ele repetiu isto aqui. Ele chamou por paz e justiça e uma união de nações. Foi um discurso extraordinário e liberado com "força total".

O Sr. Ahmadinejad tem uma reputação em muitas partes do mundo, incluindo entre seus inimigos no Irã, por intolerância e fanatismo. Como seria possível que ele desse tal inclusivo chamado por paz e justiça?

Minha informação é a de que o Presidene Ahmadinejad é um médium (sensitivo astral). A substância de suas idéias foram dadas a ele nos planos astrais por Maitreya e gradualmente percoladas abaixo para seu cérebro e então para as Nações Unidas e o mundo.

É de alguma forma incomum para os Mestres usar um sensitivo astral para levar à diante uma mensagem, mas ocasionalmente este método é tentando com mais ou menos sucesso.

P. Qual é a sua opinião do fato de que o Prêmio Nobel da Paz ter sido dado à União Européia? Em visão das circunstâncias, o que pode ser feito para resolver a atual crise econômica?

R. Quando eu primeiro ouvi deste prêmio eu achei que era bem estranho que a União Européia, especialmente em um estado de quase quebra deveria ser honrada desta maneira. Mas refletindo, eu achei que poderia ser um prêmio dado de forma a elevar a moral da União Européia. Certamente a União Européia trouxe paz à Europa; ninguém mais teme uma guerra entre Alemanha e França. Se este era o seu propósito em 1950, ela o alcançou. A União Européia agora aumentou pela introdução de vários países da Europa Oriental e de um ponto de vista econômico isto apresenta a ela problemas de teste. Muitos na União Européia esperam ansiosamente para o tempo no qual ela se torne um estado integrado de cerca de 500 milhões pessoas e tem a visão de que apenas esta integração próxima tornaria a União viável para seus membros. Eu declarei antes de que não é o plano de nosso Logos Planetário , que e conhecido pelos Mestres da Sabedoria, que a Europa deveria se tornar um estado integrado-- o estado da Europa. Cada estado membro tem o seu próprio destino e estrutura de raios que deve ser mantido. Cada um tem qualidades distintas para dar à União e o mundo como um todo.

O que os membros deveriam fazer para superarem a presente crise econômica? Para mim, os países mais ricos deveriam ajudar países endividados com empréstimos sem juros-- ou com o mínimo de juros-- que iriam ajudar a aumentar seus poderes de comércio para o bem geral, assim aliviando suas sinas. De outra forma, a União Européia é uma união apenas em nome.

P. Curiosamente, o Veículo de Marte, encontrou evidência do que parece ser um rio que já fluiu em Marte. Havia um rio lá no plano físico denso?

R. Sim.

P. É rumor que a Al Qaeda esteja por trás da recente onda de terríveis incêndios ao redor de muitas partes da Europa: isto é fato ou paranóia?

R. Eu acredito que isto seja paranóia.

P. Em suas campanhas eleitorais, nem o Presidente Obama ou Mitt Romney estão falando muito sobre o estado do planeta, sobre o aquecimento global e a necessidade por ação. Eles escolhem ignorar o problema, com medo de perderem apoio de negócios que podem colocar o lucro antes do planeta ou eles não vêem o quão terrível a situação é?

R. Muitos Americanos não aceitam totalmente a premissa da responsabilidade da humanidade pelo presente desequilíbrio de nosso planeta.


 

Cartas ao editor

Encontro profético

Caro Editor,
No começo de Setembro de 2012, eu tive uma experiência bem curiosa. Como em qualquer dia de semana, as pessoas estavam andando apressadas no centro da cidade, cegamente. De repente, cerca de 10 metros de mim, eu vi um homem idoso de pé na calçada. Ele tinha um tubo de cateter vindo de sua camisa de corrida para um saco no lado de seu pé. Eu perguntei a mim mesmo o que este homem estava fazendo lá, provavelmente tinha escapado de um hospital.

As pessoas pareciam evitar ele. Quando eu estava perto, eu vi que uma de suas órbitas oculares estava vazia e o outro olho estava encolhido apenas para mostrar levemente sua pupila. Ele falou em uma voz baixa e eu pensei que ele era um pouco insano. Eu pensei que ele tinha entre 80 a 90 anos. Eu cheguei perto e disse olá para ele. Ele não era insano, mas um pouco surdo. Eu perguntei como ele estava e ele respondeu: "Muito bem, muito bem, aqui estou eu, cantando, celebrando que esta Kali Yuga está chegando ao final."

Algo tão transcendental como isto era a última coisa que eu esperava deste homem. Ele começou a tocar meu corpo com suas mãos e então ele me segurou alegremente pelos meus ombros. Eu percebi que ele era cego, ele quase não tinha dentes, mas ele era feliz.

Com admiração e entusiasmo ele passou pelos nomes de Avatres e Mestres que apareceram em nosso planeta, contando-me que este era um grande momento para estar vivo. Eu estava desconcertado ouvindo ele, mas comecei a relaxar com sua presença inofensiva e o calor de sua mensagem. Em um momento era como se o ritmo frenético da cidade tivesse desaparecido.

"Nós estamos no final da noite," ele continuou, "Logo haverá uma nova Terra. Em um tempo de vinte anos, nada disto existirá ainda, nós viveremos de uma maneira completamente nova..."

Em sua companhia e em poucos segundos eu me senti como um dos homens mais sortudos no universo. Antes de dizer adeus à ele, eu perguntei o seu nome. Ele pronunciou um nome muito longo e estranho cujo significado era "a fragrância das flores".

Em algum momento durante este encontro eu perguntei a mim mesmo se este homem poderia ser um Mestre em disfarce, como Maitreya ou o Mestre Jesus. Ele era apenas um homem comum ou alguém especial?
J.I.G., Bahia Blanca, Argentina.

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que o homem idoso era Maitreya.)

 

Pego em ação!

Caro editor,
Um amigo meu e firme crente deu-me uma Bíblia no começo de 2012 como um presente. Eu tentei ler ela, mas não conseguia entendê-la. Como eu não gosto de guardar coisas que eu não uso, eu a coloquei em uma caixa de reciclagem de papel para jogá-la fora. Quando ele viu isto, meu filho, de 8 anos de idade, me disse que eu não posso jogar fora uma Bíblia então eu a coloquei novamente na biblioteca.

Alguns dias depois, eu a coloquei novamente na caixa de reciclagem pensando que meu filho teria esquecido sobre isto naquele ponto, mas ele viu novamente e me disse que ele tinha achado uma solução. Nós podíamos dá-la ao seu avô (o pai de meu marido) para o seu aniversário já que ele estava indo para Congregação toda semana.

Quando o aniversário chegou meu filho estava em feriado com seu pai, e eu não queria ir e dá-la ao meu sogro, e eu pensei que era uma boa hora para jogá-la fora já que ele não estava em casa.

Quando eu cheguei no container de reciclagem, eu a joguei nele. Naquele mesmo momento duas mulheres atrás de mim perguntaram: "O que você jogou?" Eu contei a elas que era um livro, e uma delas disse para dar a ela já que ela queria algo para ler naquele verão. Eu contei a ela que não era um livro normal para se entreter, mas uma Bíblia. Para minha surpresa ela disse que era o livro que ela queria e propôs procurar por um pedaço de pau para tentar pegar o livro do container. A Bíblia estava no fundo do container, e eu não sei como, mas eu fui capaz de pegá-la com o pedaço de pau.

A mulher estava muito feliz ao pegar a Bíblia de mim e ela ofereceu a mim uma pedra que ela tinha pego de uma sacola de plástico na qual haviam várias pedras de vários tamanhos. Isto estava bem no fundo da sacola. Ela era muito pequena com uma pequena cratera no centro. Quando ela a deu para mim, ela disse: "Fique com esta pedra pois é o olho de Deus que vê tudo e sabe tudo." Ambas me deram um beijo e foram pelo seu caminho, dizendo adeus.

Eu fui para meu carro na posição oposta, e virei, esperando ver elas novamente, mas elas não estavam em lugar algum para serem vistas. Elas eram mulheres comuns ou talvez um Mestre?
S.B., Tarragona, Espanha.

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que as duas "mulheres" eram Maitreya e o Mestre Jesus.)

 

Ver é acreditar

Caro editor,
Muitas vezes eu li e ouvi sobre membros do grupo que tiveram um encontro com Mestres. Embora eu saiba que eu me sentiria bem desconfortável em tal encontro por causa das minhas dúvidas contínuas, eu pedi por um sinal ou um encontro com um Mestre, na manhã antes da palestra pública em Amsterdã [19 de Setembro de 2012]. Eu tinha a sensação que me daria a certeza e confiança que eu precisava.

Aquela noite, antes da palestra, eu estava entregando panfletos nos canais de Amsterdã, quando duas senhoras de meia idade aproximaram-se. Ambas as senhoras tinham cabelo curto a meio longo castanho e tinham cerca de 1.65 de altura. Elas mostraram muito interesse no panfleto que eu dei a elas e a palestra. A senhora próxima a mim tinha uma compleição de alguma forma mais cheia; ela tomou a liderança na discussão. Ela falou e agiu de uma maneira muito boa e calma. Ela vestia um casaco branco com impressões pintadas em pastel escuro, nas quais eu achei reconhecer símbolos esotéricos. Ao redor de seu pescoço ela tinha uma linda corrente de ouro com um colar redondo com um triângulo nela.

Ela parecia ser bem-informada sobre Maitreya e Benjamin Creme (cujo nome em Holandês é a mesma palavra para creme, então ela disse para a outra senhora: "Você sabe, como em creme"). A outra, a senhora mais delgada hesitou muito e indicou estar incerta sobre se ela sabia a informação, enquanto eu tive a impressão de que ela realmente sabia muito bem de fato. A senhora próxima a mim convincentemente e eloqüentemente explicou várias coisas para sua companheira. A maneira que a discussão continuou, e a atmosfera, logo me fizeram consciente sobre o que estava acontecendo, que me fez sentir insegura sobre o que dizer. Por sua vez, isto estava refletido muito bem pela senhora incerta. Toda vez que eu tinha o sentimento eu reconheci a energia tranqüilizadora de amor e calma que a senhora que tomou a liderança radiava.

Ela me perguntou como as pessoas respondiam a informação sobre Maitreya e os Mestres. Recentemente eu tinha percebido que as pessoas desistiam assim que a palavra 'Hierarquia' era mencionada (por mim mesmo, em um panfleto ou no site), e eu disse à ela isto. Ela aconselhou a retirar totalmente esta palavra, sobre o qual a outra senhora expressou suas dúvidas se isto seria a coisa certa a se fazer. "Apenas remova tudo que as pessoas interpretarem negativamente,", a senhora respondeu. Ela depois enfatizou que entregar folhetos e tornar conhecida a informação sobre o Reaparecimento é muito importante. Depois que ambas citaram que elas acharam o local lindo ("alto e com muita luz"), a mulher que tomou a dianteira persuadiu a outra a dar uma rápida olhada dentro. A última vez que eu vi elas, elas estavam andando na frente da construção e eu agora percebo que eu não vi elas em lugar algum depois disto.

Desde este encontro eu senti uma confiança calorosa, certeza e alegria no meu coração. Eu gostaria muito de saber quem eram estas senhoras especiais?
E.v.S., Utrecht, Holanda.

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que a "senhora que tomava a dianteira" era Maitreya, e sua companheira era o Mestre Jesus.)

 

Troca justa

Caro editor,
Recentemente nosso grupo estava ativo em uma feira espiritual local. Em um certo momento, um homem alto e mulher de altura mediana aproximaram-se da mesa. Ele estava vestido em um poncho peculiar roxo e marrom com uma camisa de vestido embaixo dela e a mulher estava vestindo roupas roxa e rosa combinadas com um crachá visível. O homem tinha olhos azuis, bem brilhantes. Já que ele estava olhando bem intensamente para a fotografia de Maitreya como o cavaleiro no cavalo branco, eu me aproximei deles explicando que isto era um acontecimento verdadeiro que ocorreu no Egito durante os recentes levantes e eu comentei como isto se relaciona com a era de Aquário e a necessidade para todos nós começarmos a partilhar. "Sim", ele disse, "de uma forma nós estamos numa espiral dourada e nós estamos nos aproximando do final da primeira curva." Por toda a nossa conversa ela quase parecia já saber o que eu estava prestes a dizer. Suas respostas vinham como muito profundas para mim, relacionando-se muito à informação que nós estávamos partilhando aquele dia, embora dita de uma maneira bem diferente. Uma das coisas que ele disse que mesmo que ele concordasse muito com o princípio da partilha ainda era uma questão de dualidade. Não existe tempo, nem "ele" ou "ela", a separação na qual nós vivemos cria a necessidade de nós partilharmos, ele disse.

Ele também disse que ele era um pintor. Quando perguntado sobre exposições de seu trabalho ele disse que ele não trabalhava assim, ao invés, ele fazia imagens para indivíduos e ele dava as pinturas para eles gratuitamente sem nunca cobrar nada. Eu me lembrei ele dizendo que mesmo assim, ele sempre recebia todos os materiais que ele precisava para suas pinturas.

Finalmente, quando eu perguntei a eles se ambos estavam vindo para a vindoura palestra em Amsterdã, a mulher disse que era muito longe para eles descerem até Amsterdã, mas o homem disse que eles estariam presentes de alguma outra forma. Ele então pegou uma pequena foto da 'mão' de Maitreya. Quando eu expliquei para ele que nós normalmente cobramos uma pequena taxa por ela, ele disse, "Eu sei, está tudo bem, eu já decidi levar esta foto então a transação já ocorreu e a troca de dinheiro não é nada a não ser uma formalidade." Ambos então deixaram o estande sorrindo para nós. Estes dois visitantes eram apenas um casal estranho ou nós talvez tenhamos sido visitados pelos Mestres?
N.B., Utrecht, Holanda.

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que o homem era o Mestre Jesus e a 'mulher' um discípulo do Mestre Jesus.)


 

Sinais dos Tempos

Pomba branca milagrosa

Pomba branca milagrosa Quando o Patriarca Ecumênico visitante Bartholomew estava em procissão na área do Monastério Cristão Ortodoxo do Precursor Honorável na ilha Grega de Creta, em 5 de Setembro de 2012, ele teve uma surpresa. Uma pomba branca pura pousou no grande Santo Evangelho que ele estava carregando em ficou lá enquanto o Patriarca venerava o Evangelho.

A pomba então pousou em seu kalimavki (chapéu branco) e conforme a procissão entrava na igreja do Monastério ela abriu suas asas, "lembrando a descrição icônica do Espírito Santo familiar a todos os Cristãos Ortodoxos," disse um comentador. A pomba permaneceu com as asas abertas no chapéu do Patriarca dentro da igreja, até que outro padre pegou o passaro e o colocou para o lado de fora, onde ele voou para o céu.

Pomba branca milagrosaO clero entendeu o evento como sendo um sinal miraculoso, e uma 'boa vinda' ao Patriarca. Foi apontado que o Monastério foi dedicado a João Batista e quando João batizou Jesus no Rio Jordão, o Espírito Santo , na forma de uma pomba, desceu sobre Ele. (Fonte: johsanidopoulos.com; orthodoxnet.com)

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que este foi um sinal manifestado por Maitreya.)

 

Londres, Reino Unido- Sashank Srinivasan estava andando em sua loja local no norte de Londres cerca das 9:30 da noite em 18 de Julho de 2012 quando ele viu duas brilhantes luzes de cor laranja sobre suas cabeças. "Estas luzes estavam se movendo e elas eram como pequenas bolas de fogo, lentamente se movimentando através do céu.. Eu não tenho nenhuma explicação para isto, eu não sei que tipo de coisa elas eram... Eu sei que era algo único, definitivamente não era uma aeronave convencional... Era completamente silencioso." (Fonte: YouTube: thirdphaseofmoon)

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que o objeto era uma espaçonave de Marte.)

 

O Mestre de Benjamin Creme confirma que o objeto era uma espaçonave de Marte. Texas e Novo México, EUA- Andrea Dove estava usando o utilitário de mapeamento online Google Maps para achar direções para Jacksonville, Texas, quando ela descobriu uma fotografia de um ÓVNI rosa-avermelhado no céu sobre Jacksonville. Dove viu o objeto circular em forma de domo enquanto estava usando a opção Street View no Google Maps. Uma analista de vídeo-fotos que olhou a imagem de Jacksonville achou que ela era o resultado de um efeito fotográfico conhecido como clarão. A ABC News relatou achar uma imagem similar de um ÓVNI rosa-avermelhado no Google Maps enquanto estava procurando pelo "Sky City Cassino Hotel na 32 Rota Indiana de Serviço 30, Acoma Pueblo, Novo México." (Fonte: Huffingtonpost.com)

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que o objeto era uma espaçonave de Marte.)

 

Colunas de luz no Japão

Colunas de luz no JapãoCentenas de pessoas viram dezenas de colunas de luz aparecerem no Japão em 18 de Agosto depois que relâmpagos atingiram a área da Nada-kum Kobe, durante uma pesada tempestade de raios na Área de Kansai. As colunas verticais apareceram no céu e ficaram por vários minutos antes de desaparecerem. (Fonte: YouTube: StephenHannardADGUK)

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que as colunas foram uma manifestação de Maitreya.)

 

Sinal em melancia

Sinal em melanciaConforme a colaboradora R-M.M estava preparando uma melancia para o almoço em 16 de Setembro de 2012, em Saint-Etienne, França, ela cortou as suas duas extremidades e ficou perplexa ao descobrir uma cruz em uma parte e uma forma de coração na outra. Ela perguntou: "Poderia ser que a melancia foi abençoada, e que estes foram sinais de um Mestre? Se sim, seria uma maneira das mais humorísticas de manifestar a onipresença."

(O Mestre de Benjamin Creme confirma que foi de fato um sinal manifestado por Maitreya.)

 

O Mestre de Benjamin Creme confirma o objeto como uma espaçonave de Marte.Creta, Grécia-Uma fotógrafa Alemã profissional estava tirando fotos enquanto estava em um feriado em Creta em Agosto de 2012. Ela e seu marido estavam dirigindo lentamente ao longo da estrada de areia em direção a praia de Balos em Gramvousa. Um rebanho de cabras cercou eles e andou ao lado do carro conforme eles dirigiam. A fotógrafa começou a tirar fotos da cena do carro.

Chegando depois em uma taverna na praia, eles começaram a olhar as fotos: "Foi então que eu descobri que em uma das fotos havia algo no ar. Nós demos um zoom na tela de nossa câmera e não conseguíamos acreditar em nossos olhos. O que nós vimos era algo com uma forma muito estranha. Nós nos perguntamos o que poderia ser. Eu não tinha visto nada no céu enquanto estava tirando as fotos. Nós não tínhamos sentido nada estranho. Tinha sido um quente dia de verão com um forte vento vindo do nordeste. Não havia nenhum barulho."

As fotos foram mandadas para serem examinadas por um especialista no campo, Jeff Ritzmann, que declarou esta foto como sendo uma das mais interessantes que ele já tinha analisado. A mesma fotografia também foi enviada a um especialista forense no FBI que concluiu que a foto é genuína.
(Fonte: AboveTopSecret.com)

(O Mestre de Benjamin Creme confirma o objeto como uma espaçonave de Marte.)


 

Um tempo de mudança-- uma compilação (extratos)

Nós apresentamos uma seleção de citações sobre o tema de "Um tempo de mudança" de Maitreya (Messages from Maitreya the Christ), o Mestre de Benjamin Creme (A Master Speaks), e os escritos de Benjamin Creme.

Eventos mundiais estão se movendo em direção a um clímax. Logo, as pessoas de todos as nações irão perceber que elas estão vivendo em um ponto de virada crucial na evolução do planeta e , juntas, estão fazendo história. Para alguns, a morte do velho é carregada de dor e medo. Isto é inevitável conforme as formas desintegram-se em caos violento. Muito sangue está sendo derramado agora na gestação da guerra.

Mesmo assim, para aqueles que tem os olhos para ver, as mais sensacionais transformações estão ocorrendo ao redor do mundo que auguram bem para o futuro da raça. Não divulgadas como muitas delas estão, estas mudanças para o melhor elevam a consciência da humanidade, e calmamente e sem avisar, realizam seus trabalhos benevolentes de salvação. Assim estão as próprias pessoa criando as novas estruturas, dolorosamente e de maneira hesitante no presente, mas logo a se acelerar a um ritmo além de toda imaginação.
(O Mestre de Benjamin Creme, de "Fim de um capítulo negro")

***

Conforme Eu emergir, Eu colocarei diante do mundo a necessidade por mudanças. Estas mudanças, Meus amigos, são dadas por Deus. O homem necessita, como ele se move em direção a Deus, demonstrar esta divindade. Todas as estruturas do homem devem brilhar com a Luz Divina. Todos os caminhos de pensamento do homem devem revelar o Deus interno. Esta verdade, Meus amigos, é a base da mudança. Quando vocês verem isto, vocês de bom grado aceitarão esta necessidade. (Maitreya, da Mensagem Nº 96)

A vinda de Maitreya é sobre mudança mundial: mudança em nossa compreensão das necessidades do planeta, o equilíbrio ecológico; mudança em nosso sistema econômico de forma que todas as pessoas estejam alimentadas e cuidadas de maneira adequada; mudança em nossas relações entre as pessoas em todos os lugares. A verdadeira compreensão de que a humanidade é uma irá demonstrar a necessidade absoluta por esta profunda transformação. É a criação de um novo mundo. (Benjamin Creme, The Awakening of Humanity)

***

Este tempo é como nenhum outro na história do mundo. As mudanças ocorrendo são momentosas, além da compreensão humana, e irão alterar a vida, como nós agora a conhecemos, profundamente e para sempre.

Em cada plano estas mudanças estão ocorrendo, algumas mais lentamente, mesmo no próprio tecido da crosta da Terra; outras em crescente ímpeto que desafiam a capacidade do homem por correta resposta.

Inútil, neste contexto, são as exaustas idéias dos políticos que olham para trás, presos nos glamoures de posição e poder. Hoje, são as pessoas que estão à frente de seus líderes, e estão dizendo em voz alta suas compreensões e necessidades. Em país após país, a voz das pessoas está se tornando mais focada e distinta. Milhões estão agora educados e certos de suas necessidades: paz, trabalho e esperança para seus futuros. Um crescente sentimento de unidade, também, está começando a informar suas expectativas e demandas. Elas sabem que elas não estão sozinhas no mundo, mas têm milhões de irmãos e irmãs em todos os lugares, com os mesmos problemas e necessidades.

Desta forma, mesmo que inconscientes de Sua presença e ensinamento, elas estão respondendo a energia e influência de Maitreya, e estão construindo o esquema do futuro. (O Mestre de Benjamin Creme, de "Mudança em direção à Unidade")

...hoje... o mundo está pronto para mudança. Pouco parecendo ser o caso, discípulos em cada nação estão respondendo ao chamado interno e tornando-se prontos para serviço maior. Este serviço maior aguarda eles em escala total. A voz de Maitreya irá ecoar a aspiração dentro de seus corações e, respondendo, eles irão rapidamente mudar o mundo.

Cada departamento da vida irá sentir o toque da mão de Maitreya. Quando o homem procurar o Seu conselho, ele encontrará Sua generosa mão; nada do que a Sua ajuda puder ajudar irá se encontrar em deficiência.

Mais e mais, as pessoas estão despertando para a necessidade por mudança. Elas sentem que a velha ordem saiu de curso e aguardam apenas um sinal quanto a direção correta a se tomar. Quando Maitreya revelar a Si Mesmo ao mundo, Ele irá focar os olhos e mentes dos homens no essencial: partilha, justiça e paz, sem as quais nenhum futuro existe para o homem.

Então os discípulos irão nas nações mostrarem suas impetuosidades. Então eles virão à frente, olhos e corações brilhando com aspiração ardente. Com altruísmo perspicaz, eles irão apresentar suas visões para as nações. Com Maitreya, eles irão alinharem-se no lado da mudança, e mostrar como isto pode ser melhor conseguido. Juntando-se ao redor Dele, eles irão transmitir às pessoas Seu conselho e tutela. Eleitos para posições de autoridade e confiança, eles irão levar à diante a vontade das pessoas.

Assim será. Assim irá a velha ordem se desvanecer e morrer, ultrapassada pelos corações e mentes dos homens por uma reflexão mais verdadeira da vontade de Deus para raça. Justiça e partilha; corretas relações e paz-- estes são os eternos, os divinos atributos sem os quais nenhum progresso, por muito tempo, é possível.

O homem está agora no limiar desta descoberta. Um novo futuro nasce, e aguarda seu olhar transfigurado. Entrando e criando este futuro, o homem irá revelar a si mesmo e a seus irmãos a divindade a muito escondida e desconhecida, mas essencialmente intacta e eternamente verdadeira.
(O Mestre de Benjamin Creme, de "Os discípulos e o Plano")

Muitas vezes vocês Me ouviram dizer que Minha vinda significa mudança. Especialmente, a maior mudança será nos corações e mentes dos homens, pois Meu Retorno entre vocês é um sinal de que os homens estão prontos para receberem uma nova vida. Esta Nova Vida para o homem Eu trago em abundância. Em todos os planos esta Vida irá fluir, alcançando os corações, almas e corpos dos homens, trazendo eles mais pertos da Fonte da Própria Vida. Minha tarefa será a de canalizar estas Àguas de Vida através de vocês. (Maitreya, da Mensagem Nº42)

***

Nada de bom pode emergir sem uma reestruturação fundamental de formas sociais em linhas mais compatíveis com as necessidades humanas. Se os homens percebessem o quanto seu potencial dado por Deus é sacrificado para a presente ordem profana, ele não se atrasaria em um instante em fazer as mudanças necessárias. Se eles sentissem apenas um pressentimento da glória deste potencial, nada teria a permissão de barrar seu caminho à sua realização. O futuro chama o homem aos seus esforços mais belos, suas aspirações mais nobres, suas maiores visões.

Que o homem construa um futuro no qual seu sacrifício não seja o da sua divindade, mas o de seu ser separado. Que ele abrace seus irmãos em amor e torne a si mesmo completo. (O Mestre de Benjamin Creme, de "Vida na Nova Era")

Muitos lutam por liberdade mas negam ela a outros, esquecendo que a própria liberdade, como a justiça, é indivisível. Muitos procuram por soluções às suas sentidas necessidades, esquecendo que apenas através da interdependência as necessidades de todos podem ser satisfeitas. O chamado de Maitreya irá ressoar nos ouvidos dos homens: partilhe e salve o mundo. Co-operem e conheçam verdadeira liberdade. "Tome a mão de seu irmão e conheça ele como a si mesmo". Assim será. Assim irá o Grande Senhor inspirar as mudanças tão necessárias no mundo, um mundo gemendo em agonia entre o velho e o novo.

Quando os homens entenderem a necessidade por mudança então eles irão de bom grado aceitar aquilo que os amedronta hoje; compreensão e coragem andam de mãos dadas. Uma nova tolerância irá varrer a velha falta de confiança, antigas brigas serão perdoadas e a luz do amanhecer da sabedoria irá entrar nas mentes e ações dos homens. Quando os homens perceberem sua unicidade, e agirem sobre esta consciência, tudo se tornará possível. (O Mestre de Benjamin Creme, de "Um mundo em mudança")

***

Quando Eu me fizer conhecido, Eu irei expressar a esperança de toda a humanidade por uma nova vida, um novo começo, uma prontidão para mudar de direção; para ver a construção de um Novo Mundo no qual o homem posso viver em paz; possa viver livre do medo deles mesmos ou dos seus irmão; livre para criar da alegria de seus corações; livre para serem eles mesmo, em simples honestidade.

Minha tarefa está apenas começando, mas mesmo agora existe no coração dos homens uma nova luz, uma nova esperança, um sentimento de um novo começo; uma percepção de que o homem não está sozinho, que o Protetor de Todos mandou o Seu Agente. É Isto o que Eu sou. (Maitreya, da Mensagem Nº 8)

Uma grande tarefa aguarda a humanidade neste momento de mudança em sua vida: limpar o mundo dos antigos hábitos de errado pensamento e vidar; mudar completamente sua maneira de vida social de tal forma a tornar possível um nova liberdade do medo: medo da necessidade, da guerra, da doença e morte. Uma tarefa enorme, de fato, mas uma digna de todos os esforços envolvidos, pois ela irá levar a uma nova vivência, uma nova e mais doce relação entre os homens, e para um mundo governado pelos princípios da justiça e fraternidade, partilha e amor. Que objetivo mais fino poderia existir para a humanidade do que criar tal mundo? Ninguém pode contradizer os benefícios que tal transformação traria, e Nós, os Mestres, iremos ajudar em sua tarefa, revelando para vocês os melhores caminhos e possibilidades. (O Mestre de Benjamin Creme, de "Saúde e Cura (parte 2)")

Não apenas na América, mas ao redor do mundo, as pessoas estão despertando para a necessidade pela e a possibilidade de mudança. Os políticos e economistas chamam a presente situação de uma "crise" e uma "recessão". Em verdade, nós estamos testemunhando os últimos tropeços da velha ordem. Milhões estão se tornando conscientes de que competição desenfreada e ganância não são o caminho mais seguro para o homem, que tais doutrinas materialistas criam uma 'ladeira escorregadia' para os descuidados, e, daí, a crise internacional que nós temos hoje.

É lógico, muitas pessoas de crescente riqueza estão conscientes da presente falta de confiança que as tornaram ricas, e acham que é apenas uma 'questão de tempo' até que nós estejamos de volta ao curso e prosperando novamente.

Irão eles dar atenção a Maitreya e reconhecerem o sentido de Seus argumentos? Perdidos em suas arrogâncias e auto-estimas, possivelmente não. No entanto, muitos estão menos confiantes quanto a um retorno do status quo. Muitos sofreram perdas dolorosas e perderam a fé nos antigos métodos. As pessoas das nações estão maduras e prontas para mudança. Elas chamam por mudança e uma vida com mais sentido. Maitreya irá lembrar os homens dos essenciais sem os quais não há futuro para o homem: Justiça e Paz. E o único caminho para ambos é através da partilha. (O Mestre de Benjamin Creme, de 'A primeira Entrevista de Maitreya')

Meu progresso de Emergência continua bem. Meus planos estão sendo cumpridos. Mais e ainda mais de seus irmãos e irmãs ouvem-Me e respondem bem ao Meu Chamado. Sabendo ou não eles, também, aguardam Minha Presença e respondem ao fato. Eles estão prontos hoje para receberem os meios de mudança, as delineações da Nova Distribuição para este mundo. Eles estão prontos para cumprimentarem o amanhecer desta Nova Era que leva todos à divindade.

Para fazer progresso, o homem deve morrer para o velho. Assim sempre foi. Então, Meus amigos, neste momento de mudanças as velhas estruturas devem ser renunciadas, e simplesmente, em Fraternidade, todos os homens devem partilhar. (Maitreya, da Mensagem Nº 118)

***

Não é à toa que este período foi chamado 'o fim dos tempos'; ele representa para muitos o fim daquilo que eles tem como mais querido. Também representa o tempo de mudança, o fim de tudo que dificulta o maior progresso da raça.

Maitreya disse: "Minha Vinda prenuncia mudança. Semelhantemente, uma dor quanto a perda das velhas estruturas. Mas, Meus amigos, os velhos vasilhames devem ser quebrados-- o novo vinho merece melhor." ´[Mensagem Nº 82]

Nós estamos testemunhando a destruição de tudo o que bloqueia o caminho à frente para o homem, aquilo que limita suas compreensões e impede a expressão de sua inata divindade. Nós estamos vendo a formação de novos padrões de pensamento e sentimento, uma nova consciência, e destes irão fluir as novas formas, as estruturas relevantes, que serão melhores para expressarem as esperanças e aspirações do homem. Estas estão agora a serem criadas...

O próprio homem deve decidir a velocidade e amplitude da mudança. Desta forma, o livre arbítrio não é infringido. Gradualmente, os homens virão a entender que mudança radical é inevitável e o quão mais cedo realizadas o mais cedo serão aproveitadas. (O Mestre de Benjamin Creme, de "A pressão aumenta")

Hoje, nós temos crescente riqueza e crescente ganância ao redor do mundo, conforme o mecanismo para conseguir dinheiro se torna mais e mais refinado. As técnicas de se conseguir dinheiro são agora tão requintadas que as pessoas podem conseguir viver fazendo apenas isto. Ao mesmo tempo, mais e mais pessoas estão percebendo as necessidades da una humanidade. Elas percebem que milhões de pessoas estão passando fome, e incontáveis milhões mais estão vivendo em total pobreza, miséria e necessidade. A diferença, a discrepância entre ricos e pobres, é o verdadeiro problema.

Isto não pode continuar para sempre. Há uma crescente consciência de que as coisas precisam mudar. A própria velocidade do avanço da ganância através das forças de mercado e competição está nos forçando à beira do precipício. Isto irá repentinamente nos levar a encarar a realidade. Existem vários presságios de colapso em nossas estruturas econômicas. Quando tais eventos ocorrerem, eles irão transformar o presente sistema econômico , provavelmente para sempre. (Benjamin Creme, The Gathering of the Forces of Light)

Um tempo de mudança
pelo Mestre--, através de Benjamin Creme

Quase sem exceção, as nações do mundo estão experienciado profundas mudanças, tanto internacionalmente e em relação uma com as outras. Este processo é o resultado direto do estímulo energético agora invadindo o planeta como um todo, e irá eventualmente levar a completa transformação das existentes estruturas. Acelerar estas mudanças é o Nosso desejo, mas tão grande hoje são as tensões que Nós devemos prosseguir com cautela; muita pressão aqui e lá poderia ter conseqüências desastrosas para uma grande parte do mundo. Daí Nossa abordagem cautelosa para os problemas que encaram a humanidade hoje. Mudança deve prosseguir em uma forma ordenada ou o caos será o resultado.

Existem muitos que temem a mudança e que vêem a quebra do antigo como uma profunda perda de formas muito amadas. Muitos rejeitam estas mudanças como uma ameaça para seus privilégios e prestígios. Muitos tomam as legitimas aspirações das pessoas por liberdade e justiça, pela ameaça interna da anarquia. Ao mesmo tempo, existem aqueles que poderiam acabar com tudo que a humanidade colheu de belo e verdadeiro. Impacientes pelas nova formas, eles falham em ver a necessidade de um progresso gradual e deixam de lado muito do que é de valor do passado.

Nosso problema, como Guardiões da raça, é o de dirigir um curso entre estes dois extremos, aplicando o meio fio conforme Nós sentimos a necessidade. Sempre, Nosso objetivo é o alcance de uma mudança ordenada com o mínimo de clivagem. Esperem, portanto, por Nossa mão nos eventos mundiais e julguem eles sabiamente. Muito do que ocorre é organizado por Nós e deve dar origem a um mundo melhor. Quando vocês Nos verem, vocês saberão que este mundo está seguro.

Ouçam ao Nosso conselho e ajam. Dêem atenção ao Nosso conselho e reorganizem o mundo em estágios, que são possíveis e certos. Cuidem para que as necessidade de seus irmãos sejam satisfeitas e vocês não irão errar. Se for perguntado a vocês: "Em qual direção nós devemos ir?, respondam com alegria: "Para servir à maior necessidade; para a Fraternidade."

Para reconstruir o tecido de nossas vidas, novos materiais e novas habilidades serão necessárias. Substituam as formas antigas com as novas energias agora disponíveis, e aprendam a criar em relações forjadas em alegria e amor. Temperem suas vidas no fogo do serviço e contribuam com sua parte para o trabalho de mudança.

Com Nós como guias, tudo é possível. Tudo será refeito em beleza e verdade. Mãos dispostas estarão lá para ajudar vocês e nada poderá atrasar no Novo Começo. Quando vocês Nos verem vocês saberão que os Irmãos são homens como vocês mesmos, mas cujo amor é manifesto. Nós iremos ensinar a vocês o segredo do amor. Em alegria Nós iremos levar vocês à praia mais longínqua e os colocaremos diante do Guardião do Portão.

Toda mudança é precedida por tensão e tensão traz medo. No entanto, medo não tem lugar no coração ativado pelo serviço e amor. Vistam, então, a armadura do serviço e visionem o futuro com alegria. Dêem as boas vindas às mudanças que devem se seguir e criem juntos a Distribuição do Amor. (De A Master Speaks)

 


 

Dos nossos próprios Correspondentes

Unity in Diversity: The Way Ahead for Humanity
– por Benjamin Creme

Uma revisão de livro por Carmen Font

(Extratos)

Unity in Diversity: The Way Ahead for Humanity-- por Benjamin CremeA idéia de "unidade na diversidade" permeia cada aspecto de nossa vida moderna: políticos, trabalhadores sociais, educadores, artistas e cientistas reconhecem a variedade de expressões do aspecto forma assim como a importância da unidade em se alcançar qualquer empenho que requeira uma visão maior do que a sua própria. Há uma crescente percepção que nenhum indivíduo, grupo, país ou discípulo sozinho pode oferecer uma resposta absoluta em direção a se resolver os problemas do mundo. Enquanto que a sociedade agora parece estar consciente de que a diversidade não é apenas um conceito elegante, mas um fato saindo de nossa variedade de culturas, o verdadeiro significado desta unidade na diversidade é mais difícil de se definir, e acima de tudo, de se viver. A maioria de nossos problemas, especialmente nos campos político e econômico, têm em sua raiz uma falta de unidade. A metáfora da "humanidade como uma família" é uma antiga, mas nós ainda não a percebemos. Se nós compreendêssemos a humanidade como um grande organismo consistindo de partes diferentes que estão ligadas por uma consciência de unidade, então a maioria de nossos profundos problemas iriam ser resolvidos em um período relativamente curto de tempo. O fato de que nós ainda agimos em egoísmo, justificando este egoísmo por um respeito à nossa individualidade, é a causa de muito mau. Tanto a unidade e a individualidade são conceitos sagrados que, juntos, nos ajudam a compreender o significado da verdadeira unidade. Nós não podemos realmente unir aquilo que é igual-- você pode continuar adicionando os mesmos itens uniformes mas, já que eles são iguais, eles não trazem nada de novo. Isto iria resultar em um tipo conglomerado da mesma expressão individual do que de verdadeira unidade. A humanidade construiu os movimentos político, social e cultural do nosso passado recente baseado na falsa idéia de que apenas aquilo que é igual pode ser unido, rejeitando qualquer coisa e qualquer um que seja diferente. Nós aprendemos a tolerar aquilo que é diferente, mas isto não é reconhecer a unidade. A própria noção de "unir" é inextricavelmente ligada a combinar itens diferentes para formar um todo harmonioso. Unidade sem diversidade não pode existir. E é esta simples, poderosa e profunda definição de unidade à qual o livro de Benjamin Creme é devotado.

Começando com as declarações constrangedoras de que "unidade para os Mestres é a realidade interna de nossas vidas, refletindo a unidade de cada átomo em relação com cada outro átomo no cosmos" (p.7) e que "todos nós procuramos a unidade, sabendo ou não: é a realização destinada de nosso desejo e de nossa criação" (p.7). Unity in Diversity coloca um tom cativante desde o início. Existem muitos livros que traçam os desafios de viver juntos na diversidade, mas nenhum devotado exclusivamente do sentido esotérico interno da unidade. Juntando os artigos do Mestre de Benjamin Creme lidando com vários aspectos da unidade, tanto esotérico e exotérico, os próprios comentários de Benjamin Creme em suas palestras em Conferências de Meditação de Transmissão assim como suas perguntas e respostas quanto a este assunto, Unity in Diversity é único na riqueza e qualidade de percepções sobre o caminho à frente para humanidade para viver em unidade. Se a unidade é, como Benjamin Creme nos relembra, "o propósito central de nossa existência humana", um sinônimo de nossos desejos internos e expressão de nossos esforços criativos, então esta unidade, ou falta dela, é refletida em cada departamento exotérico de nossas vidas. O aspecto político oferece um terreno fértil para a humanidade levar a diante esta unidade, e Maitreya está estimulado qualquer esforço social que trabalhe em direção de uma ativa demanda de direitos e da criação de uma sociedade mais justa. Esta é a essência da miríade de movimentos de "poder das pessoas" que se proliferaram nos últimos poucos anos. De acordo com Benjamin Creme, "a vontade focada educada da humanidade cria uma opinião pública mundial contra a guerra, contra o terrorismo, e chama por justiça e partilha. Assim Maitreya não impõem, mas a humanidade, estimulada por Maitreya, faz o trabalho" (p.101). Em cada seção e página da Unity in Diversity o leitor vividamente captura a idéia de que o tempo é maduro para viver em unidade. Enquanto ainda existem obstáculos criados pelo homem, a humanidade agora alcançou um ponto no qual trabalhar em direção a esta unidade não é apenas uma aspiração mas está realmente acontecendo-- embora através de um processo de tentativa e erro.

Pronta para Unidade
A idéia de que a humanidade está pronta para unidade e procurando trabalhar em direção à ela, é talvez a mais poderosa mensagem no livro. Isto oferece esperança assim como uma tutela para recuperarmos nosso sentimento interno de unidade em pensamento e ação. Mesmo que a maioria dos leitores da Share International sejam familiares com os artigos do Mestre, a junção de Sua sabedoria no tópico e materiais relacionados sobre o assunto fazem deste livro um guia fundamental na arte de unir para e ao redor de um propósito... Benjamin Creme é adepto em oferecer o correto quadro exotérico para os suas e as percepções esotéricas de seu Mestre sobre qualquer tópico, que neste caso em particular são as porcas e parafusos da política Americana junto com a emergência de um novo sistema político-- uma mistura correta de capitalismo e socialismo. O foco especial sobre a política é fortemente ligado ao conceito de partilha, já que "partilha é a única maneira de se alcançar justiça e em terminar a guerra, a criação de paz. Paz e o fim do terrorismo são dependentes da criação de justiça, e apenas uma coisa faz o truque: partilhar os recursos do mundo...

Partilha e Unidade
Se partilha é a expressão genuína da natureza amável da alma, da simples boa vontade até atos conscientes e impessoais de amor, a prática da partilha irá levar a humanidade a um maior reconhecimento de nossa interconexão esotérica, e nossas ações, motivado pela criatividade da alma, irá se inclinar em direção a unidade. Benjamin Creme nos relembra que confiança é a pedra angular em direção à partilha: "Você pode resolver qualquer coisa se há confiança. Você precisa criar a confiança, e apenas a partilha dos recursos do mundo irá fazer isto. Então, todos os outros problemas-- o Oriente Médio, os problemas de salvar o próprio planeta, e por aí vai-- tudo isto pode ser lidado quando há confiança. A maioria dos desentendimentos irão apenas desaparecer, dissipados na boa vontade que irá fluir em tremenda potência quando a partilha dos recursos ocorrer" (p.32). Esta dissipação de desentendimentos aplica-se não apenas ao nível macro da humanidade sendo verdadeiramente unida, mas também no nível micro do esforço grupal. Unidade deve refletir a si mesma também na maneira como nos relacionamos com o mundo natural. Os gritos do nosso meio ambiente são um reflexo de nossa desunião com as forças elementais, já que "as forças elementais respondem ao nosso estresse. A humanidade precisa compreender a conexão que existe entre todas as forças e todos os aspectos do planeta" (p.122), e portanto, alcançar uma melhor consciência sobre a maneira que nossos pensamentos e ações impregnam os padrões naturais do planeta. Unity in Diversity é cheio de revelações em cada aspecto do verdadeiro significado de ser humano, assim como nossas responsabilidades (e prazeres) em construir nossa verdadeira expressão da alma: viver unidos em nossas personalidades e propósitos de alma diferentes. Isto não é apenas uma idéia que eleva e inspira, mas um chamado ativo por ação: uma verdadeira escolha para a humanidade, como Benjamin Creme brilhantemente e sucintamente explica no capítulo "Humanity's Choice and the Speed of Change" (p.141). A escolha à frente para nós não é apenas uma por confiança, partilha, justiça e paz; é para escolher por isto porque nós entendemos nossa unidade subjacente. "Unidade não é muito difícil de se alcançar nos estágios primários da formação de um grupo; se o propósito de sua criação é magnético o bastante, isto sozinho pode manter o grupo junto" (p.149). Novamente, esta é uma declaração poderosa que desperta leitores por sua participação ativa em direção a expressão de verdadeira unidade. Antes que Dia da Declaração ocorra em pouco tempo, a humanidade precisa estar preparada para a beleza e para o trabalho à diante: trabalhando agora em formação grupal pelo estágio final da aparição de Maitreya, unidos por tal propósito magnético. Esta é a melhor revelação e conselho que o leitor de Unity in Diversity poderia receber.

Creme, Benjamin. Unity in Diversity: The Way Ahead for Humanity. Amsterdã, Londres: Fundação Share International, 2012.


 

A próxima geração fala

Uma entrevista com Ta'Kaiya Blaney
por Gary Dorko

(Extratos)

Ta'Kaiya Blaney é uma ativista ambiental de 11 anos de idade, atriz e cantora-compositora da Primeira Nação Sliammon (Canadá). Desde 2009 ela esteve ativa encorajando as pessoas e erguerem-se contra o desenvolvimento insustentável, e especificadamente contra um oleoduto proposto a ser construído pela Corporação Enbridge pela Colúmbia Britânica e sobre a terra das Primeiras Nações. Ta' Kaiya falou e se apresentou pelo Canadá e em outros lugares ao redor do mundo. Ela participou da conferência Pela Estrada para Rio+20 na Indonésia patrocinada pelo Programa de Meio Ambiente das Nações Unidas, e foi uma delegada na própria Earth Summit da ONU em Junho de 2012 no Rio de Janeiro. Em sua visão, o que é necessário é nada mais do que uma "Revolução na Terra". Gary Dorko entrevistou ela para a Share International.

 

Share International: Você é uma cantora e escritora de músicas que tem uma mensagem sobre suas preocupações e esperanças. Você pode falar sobre este aspecto?

Ta' Kaiya Blaney: Eu estive cantando desde que eu tinha quatro anos de idade e é uma das minhas paixões. Quando eu vi um artigo em um jornal sobre o oleoduto Northern Gateway que é proposto a ser feito desde as areias da Alberta através da Columbia Britânica para a costa do Pacífico, eu fiquei chocada ao descobrir que governos e CEOs seriam capazes de prejudicar minha cultura, uma cultura que tem sido passada de geração a geração desde tempos imemoriais. Eu fiquei chocada ao saber que eles estavam dispostos a cruzarem nossa bacia hidrográfica e cabeceiras sagradas. Se petróleo se derramasse lá, ele iria completamente destruir nossas hidrovias, e nossas hidrovias são nossas rodovias culturais. É também onde o salmão vive, e o salmão é uma grande parte de nossa cultura. Então se você retirar uma coisa, você estará retirando um ecossistema inteiro. É como um tabuleiro de dominó: se você o balançar, tudo começa a cair. Eu não conseguia acreditar que eles estavam dispostos a irem até as Montanhas Rochosas e arriscar o oleoduto a ser atingido por uma avalanche, ou ser pego em um incêndio florestal. Não é uma questão de "se" um derramamento irá ocorrer, mas quando.

Eu queria levar minha mensagem imediatamente através do que eu amo fazer, que é cantar. Então eu escrevi Shallow Waters (Águas Rasas), uma música sobre como isto iria nos afetar no futuro quando aquele petróleo vazasse do oleoduto e das areias. A mensagem da música é a de que se nós não fizermos nada, tudo terá ido embora.

SI: Como você viu a resposta em Vancouver e na Columbia Britânica para a sua fala sobre o proposto oleoduto Northern Gateway?

TB: Existem muitos de nós que querem manter nossas terras primitivas porque na Columbia Britânica nós temos esta bela vida selvagem que é única na Terra. Nós temos uma floresta sobre a qual nós podemos caminhar sem pisar em lixo. Nós podemos ver as estrelas a noite, e nós não queremos que um oleoduto estrague isto.

Então há o motivo de lucro, e é triste que nossa cultura esteja girando ao redor da poderosa nota de dolar. Pode levar a cegueira muitas pessoas porque elas só vêem os sinais de dolar.

Então eu acho que é uma resposta meio-a-meio: metade de nós se importam com nossas terras, águas e céu, quando a outra metade vê o lucro. Mesmo que eles não queiram nossas terras destruídas, o lucro encobre a possibilidade de perder esta beleza para sempre...

SI: Você mais tarde enviou uma carta para o CEO da Enbridge. Em sua resposta, ele disse que este projeto era para a próxima geração como a sua, para oferecer a vocês trabalho e energia.

TB: Eu acho que o oleoduto é guiado pelo dinheiro. Quanto a fazer isto pela minha geração, quando eu tiver a sua idade, eu quero ser capaz de ir pescar sem pegar um peixe de três-cabeças. Eu quero ser capaz de fazer coisas que meu kookpa [avô] falava e desfrutar desta primitiva vida selvagem que nós temos aqui, porque esta é nossa terra também, não é apenas para os animais. As pessoas não podem esquecer que esta é nossa terra também, nós não podemos apenas alugar um abrigo e vivermos lá para o resto da eternidade. Com tudo o que nós poluímos e destruímos, nós estamos machucando nossa mãe, a Mãe Terra. Mais tarde isto vai vir de volta para nós, e o que nós vamos fazer então?

Então a grande pergunta é, você quer uma terra infestada de petróleo para minha geração e a geração que ainda não nasceu, ou você quer uma campo limpo primitivo onde nós podemos brincar? Eu quero manter esta terra pura e limpa. Eu quero proteger a Terra. Eles podem vê-lo como um projeto para o futuro, mas como eu o vejo, é apenas destruição, o silêncio zombador daquilo que podíamos salvar.

SI: Você pode falar sobre o plano de fundo da sua Primeira Nação e como isto influenciou sua perspectiva sobre o meio ambiente?

TB: Eu estou acostumado com o meu kookpa e meu pai me dizendo como eles iam para as praias e baias para pegarem arenque e verem as baleias nadarem. Eles não tinham que se preocupar com os arenques ou as plantas serem tóxicas porque a água era primitiva. Meu pai me disse que a vida, a terra e a água são sagradas. Este ensinamento tem sido passado para mim pelo meu kookpa e os ancestrais de meus ancestrais. Agora, quando eu ouço estas histórias, isto me faz ficar triste porque eu sou pega com a percepção que eu nunca vou ser capaz de fazer as coisas que eles falam. Nós tivemos que nos mudar de nossa aldeia, Toshusum, [um nome] que descreve a água quando o arenque está desovando. Nossa aldeia foi inundada para dar espaço à produção de madeira e uma fábrica de papel.

SI: Em alguns de seus discursos, você diz "a cura da Terra e a cura das tradições"?

TB: Em nossa cultura, tudo está interconectado-- a terra, água e ar são parte de um todo e não devem ser separadas. Uma das mensagens em minha música, Shallow Waters é a de que se nós não fazermos nada, tudo terá se perdido. Eu acredito que nós estivemos poluindo nossa Terra por décadas, e agora, depois de tanta destruição, é o momento para cura. Se nós quisermos continuar neste mundo, deve existir muita cura ao invés de destruição. Serão necessárias muitas pessoas , mas nós já temos algumas das soluções: nós temos energia solar, geotérmica e eólica. Nós precisamos dar os passos em direção a estas mudanças que são mais sustentáveis. Nós não podemos esperar por corporações e governos mudar as coisas para nós. Nós mesmos precisamos ser a mudança.

SI: Você foi à recente conferência da ONU Rio+20 sobre desenvolvimento sustentável. Você poderia falar sobre sua experiência nesta conferência?

TB: Eu estava muito ansiosa para ir porque eu pensei que seria um momento para governos e representantes do mundo unirem-se e falarem sobre sustentabilidade, o que eles não fazem com muita freqüência. Eu pensei, "Ótimo! Nós finalmente iremos agir quanto a questão que importa." Mas quando eu cheguei lá, eu fiquei muito desapontada porque era uma conferência muito guiada por corporações. Nós chegamos em grandes ônibus negros que tinham grandes letras brancas que diziam 'Petrobras', que é uma das maiores companhias de petróleo do Brasil. Eles também estavam vendendo diamantes do Earth Summit, o que eu achei muito hipócrita para as pessoas que tinha viajado desde suas aldeias com pouco dinheiro e estavam protestando contra companhias mineradoras e os efeitos que a mineração estava tendo em suas comunidades. Algumas das piores corporações eram patrocinadoras, como a Coca-Cola.

Houve alguns aspectos positivos em se estar no encontro também. Eu me encontrei com pessoas indígenas como eu que tem os mesmos ensinamentos em suas culturas, de que a terra e a água são sagradas. Eles encaram os mesmos problema assim como muitas das Primeiras Nações no Canadá, como usinas hidroelétricas ameaçando inundar suas terras, ou corporações lutando sobre seus recursos e ameaçando seus estilos de vida. Então eu encontrei muitas pessoas de muitos lugares diferentes com a mesma mensagem e a mesma força. Foi incrível porque eu pude me encontrar com chefes da Amazônia, algo que você não faz todo dia. Esta foi uma das coisas mais inspiradoras para mim, além de me encontrar com outras crianças e jovens com a mesma visão pela Terra e pelo mundo. É bom saber que eu não estou sozinha, lutando sozinha. Eu estou com pessoas da minha idade com a mesma paixão e preocupação.

SI: No final de alguns de seus discursos e performances, você diz, "Você tem uma voz, faça-se ouvido. Você tem um dom, compartilhe-o." Você pode falar sobre isto?

TB: Eu estou acostumado com meu pai me dizendo que o Criador deu a cada um de nós um dom e eu devo ser grata por este dom e não mantê-lo escondido, que eu devo partilhá-lo. Ele também me falou que eu tenho uma voz e que eu não deveria ter medo. Quando eu estou preocupada e apaixonada, eu devo estar falando e tornando minha voz ouvida. Então é isto o que eu falo para as pessoas porque eu sei que existem muitas pessoas, principalmente crianças-- e adultos também-- que têm medo de falar.

O que eu digo à pessoas da minha idade é que nós somos chamados a geração do hoje, nós somos a 'geração agora'. As corporações que estão fazendo mineração, desenvolvendo e cavando um buraco para o futuro estão colocando uma etiqueta de preço em nosso futuro, terra, ar e água. Elas não estarão aqui pra sempre e um dia, elas terão que passar a terra para as crianças da minha geração e crianças que ainda não nasceram. O que eles irão nos dar? Eles nos darão florestas sem árvores, rios transformados em bacias de decantação, montanhas que já foram lindas em cascalho? Este não é o futuro que eu espero e não é o futuro que muitas crianças irão esperar para crescer também. É o nosso futuro, então eu digo as pessoas para assumirem o controle do próprio futuro delas.

SI: Você fala para pessoas jovens. Você vai para a escola para chegar a elas?

TB: Eu não direciono minha mensagem só para crianças porque nós precisamos de todos. Nós precisamos de muitas pessoas para criar a mudança. Nós precisamos de tantas pessoas o quanto é possível porque os governos e corporações não estão tomando os passos em direção a um futuro sustentável. Nós mesmos precisamos tomar estes passos. Eu fui em um tour de trem que cruzou o Canadá com um grupo do Encontro do Rio chamado NÓS CANADÁ e eu estava falando em diferentes escolas primárias. Foi uma grande experiência ser capaz de chegar a crianças da minha idade e educá-las sobre o que elas podem fazer.

SI: Você tem algum pensamento final que gostaria de partilhar?

TB: Não tenha medo de tomar uma posição pelo seu próprio futuro. Erga-se e não deixe as pessoas dizerem a você que você é muito jovem. Você não precisa ser a pessoa mais inteligente do mundo-- eu não sou a pessoa mais inteligente do mundo-- mas se você tem uma paixão e preocupação, você deve ir atrás dela.

Ta' Kaiya BlaneyTa' Kaiya Blaney: "Se você tem uma paixão e uma preocupação, você deve ir atrás dela"


 

Partilhando os bens comuns: a herança coletiva da humanidade (Parte Três)

Uma entrevista com James Quilligan
por Jason Francis

James Quilligan tem sido um analista e administrador no campo do desenvolvimento internacional desde 1975. Ele também contribuiu com várias agências das Nações Unidas assim como organizações de desenvolvimento internacional na questão dos bens comuns globais e tem servido como um consultor econômico para agências governamentais em 26 nações. Quilligan é presentemente Diretor do Centro para Negociações Global e Presidente da Global Commons Trust. Jason Francis entrevistou James Quilligan para Share International. Por favor, vejam a edição de 09/2012 da SI para parte um ou a edição anterior da SI para a parte dois.

 

Co-operativas e negócios gerenciados pelos trabalhadores

Share International: Como o número crescente de co-operativas se encaixam em sistemas econômicos mais saudáveis? Esta é uma boa abordagem a se seguir em relação a se preservar os bens comuns e para maior democracia?

James Quilligan James Quilligan: Co-operativas são muito boas. Elas nos ensinam a prática da partilha. Quando recursos são gerenciados por um grande grupo de pessoas ao invés de um único indivíduo ou uma pequena quantidade de indivíduos, isto é certamente um passo na direção certa. Mas o que nós temos que reconhecer é que co-operativas são geralmente focadas em co-propriedade. Co-propriedade ainda é propriedade. Sobre co-propriedade, podem existir mais proprietários que estão tomando decisões mútuas, mas há quase sempre um grupo de elite que tem a palavra final. Eu preferiria ver um modelo que transcendesse a propriedade, até co-propriedade, e se inclinasse mais em direção da curadoria. As pessoas algumas vezes me perguntam: "Mas como a curadoria é diferente? Ainda há um pequeno grupo de curadores tomando as últimas decisões, assim como proprietários fazem." Isto não é necessariamente verdade. Depende de como o truste é estabelecido, quantas partes interessadas estão envolvidas, e quais mecanismos de responsabilidade são criados. Propriedade é um modelo de cima para baixo Curadoria é uma estrutura de baixo para cima que enfatiza subsidiariedade, pluralismo, checagens e balanços e tomadas de decisões com participação. Curadoria cria um ambiente muito mais democrático do que a propriedade ou co-propriedade.

SI: E quanto a negócios gerenciados por trabalhadores?

JQ: Eu sempre encorajei a posse por parte de trabalhadores. Eu ajudei a estabelecer a Ohio Employee Ownership Center com meu amigo Dr.John Logue, em 1983-84 (http://dept.kent.edu/oeoc). Ela se tornou um dos principais modelos na área de posse por parte de trabalhadores. Ela inspirou esforços como as Co-operativas Evergreen em Cleveland, Ohio (http://evergreencooperatives.com), e se tornou um grande recurso para informação estratégica e melhores práticas em propriedade pela parte dos empregados. Mas minha visão é a de que nós precisamos levar os negócios gerenciados pelos trabalhadores um passo além.

No passado nós pensamos que a propriedade era o caminho a se seguir porque ela produzia eficiência econômica, produtividade e qualidade e, ao mesmo tempo, baixava os custos de bens e serviços. Mas o fato é que as estruturas de propriedade são menos eficientes, menos produtivas e mais caras do que as pessoas estiveram dispostas a admitirem. Trustes de Bens Comuns estão mostrando que há uma maneira diferente de se usar princípios fundamentais de administração e produção de bens comuns--isto quer dizer, a espontânea, auto-reguladora liberdade do mercado e a igualdade baseada em regras do governo. Os bens comuns estão na verdade expressando isto de uma nova forma porque os usuários dos recursos estão se tornando diretamente envolvidos no processo de produção. Isto é bem empolgante. Quando isto acontece, como nós podemos ver com a internet, novas idéias, aprendizagem, imaginação e ações auto-corretivas se tornam encarnadas diretamente nas atividades colaborativas das pessoas. A mídia popular que está emergindo através da tecnologia é um bom exemplo disto.

Diferente de estruturas de propriedade, que envolvem um fornecimento governamental ou comercial de bens e serviços, o que está acontecendo agora através dos trustes dos bens comuns é um tipo de desintermediação. É a eliminação do 'intermediário', e em muitos casos, eliminando o fornecimento de trabalho entre produtores e consumidores. Consumidores estão se tornando produtores de seus próprios recursos! Isto é bem revolucionário. Seja através dos tradicionais bens comuns ou novos bens comuns como a internet, uma abordagem mais descentralizada está emergindo para a produção e gerenciamento de nossos recursos. Ela está dando às pessoas um acesso direto e uso de seus recursos que podem ser conseguidos através das empresas de propriedade que estão operando como monopólios privados ou hierarquias burocráticas. As pessoas a adoram porque este é um processo inclusivo. Também é a razão do porque os bens comuns estarem vindo à frente como a alternativa genuína para o presente sistema de setor privado ou controle governamental de um bem comum particular. O modelo de curadoria distribui os meios de produção e as tomadas de decisões muito mais amplamente do que os sistemas hierárquicos da moderna propriedade. Isto é bem mais igualitário em suas implicações do que co-operativas tradicionais e modelos de co-propriedade.

SI: A adoção universal da partilha, sustentabilidade e maior democracia, é uma questão destes esforços cumulativos começarem em um nível local escalando-se aos níveis nacional e internacional, ou isto irá necessitar de mais devido às arraigadas fortalezas que simplesmente não querem mudar?

JQ: O problema é que a partilha de recursos não irá se escalar de um nível local para o nível global se nós esperarmos que nossas práticas locais simplesmente se popularizem e todas as comunidades locais, que estão partilhando suas riquezas comuns, liguem-se. Então todos ao redor do mundo dão as mãos e o agregado desta atividade transforma todo o sistema. Não, eu não acho que isto é provável, embora seja o modelo de partilha que muitas pessoas tenham em mente. Nós precisamos reconhecer que novas estruturas de responsabilidade são necessárias para operar em cada nível de governo independentemente, enquanto há sobreposição ao mesmo tempo. Proteger os recursos que são importantes para as pessoas e comunidades que dependem deles para suas sobrevivências, instituições como os trustes de Bens Comuns irão ter que funcionar em muitas linhas de jurisdição democraticamente organizadas.

Esta é a chave. Cidadãos devem ter a oportunidade de participar em tomadas de decisão e produção em todos os níveis dos bens comuns:local, estado, interestadual, regional e global. Nós não temos ainda trustes de recursos em todos estes níveis. Nós temos alguns, mas não são de forma alguma um sistema integrado. A não ser que nós lidemos com o problema da escala, eu não acho que nós possamos eficientemente construir os incentivos para a partilha dos bens comuns e instituições. Algum dia, eu acredito, os bens comuns serão um sistema democraticamente federado ao redor do mundo. Nossos bisnetos, tataranetos irão olhar para trás para o presente sistema e imaginarem o quão ingênuos nós éramos por não percebermos isto.

SI: Considerando o número tremendo de problemas constantes na economia mundial de hoje, nós estamos vendo o fim do atual sistema de cima para baixo e baseado na propriedade hoje?

JQ: Eu não acho que nós vimos o fim disto, mas nós estamos vendo o começo de sua desintegração. Isto irá levar ainda um bom tempo porque o Estado de Mercado está em crise, desesperadamente tentando mudar sua aparência exterior, mesmo assim profundamente indisposto a se reestruturar. Isto dará aos cidadãos mundiais um pouco de tempo para se educarem e organizarem-se melhor. Mas realmente não há tempo a se perder. Nós estamos lidando com problemas que nunca foram vistos antes em um nível global. Então isto irá necessitar de soluções totalmente novas, uma nova epistemologia e uma nova ética de partilha e sustentabilidade para lidar com eles de uma forma compreensiva. Além disso, isto irá necessitar de um novo nível de ativismo político.

Considere o que os livros de Alice Bailey dizem, principalmente A Exteriorização da Hierarquia. No futuro, cada principal recurso do mundo "será de propriedade primeiro de uma agência internacional governadora; eles estarão, no entanto, preparados para o consumo internacional por grupos nacionais escolhidos pelas pessoas e sobre a direção internacional." Eu leio isto para dizer que as pessoas irão exigir a criação de um truste popular para cada recursos para garantir uma maior distribuição de riqueza e poder sobre o interesse público. Isto soa a mim como a criação de intenções coletivas para sustentabilidade e partilha. Mas eu não acredito que nós estamos realmente começando a compreender ainda as ramificações disto. Nós estamos em nosso caminho e existem alguns pioneiros genuínos. Mas eu não sei de nenhum intelectual, político, criadores de políticas, banqueiros, financistas, executivos, pensadores visionários ou Occupier que completamente apreendeu a extensão do problema. Um plano claro ainda não emergiu, pelo menos não publicamente. As políticas, culturas, corporações e grupos da sociedade civil envolvidos em negociações internacionais estão colidindo de várias formas. Afinal de contas, nós estamos lidando com estruturas tão diversas como o sistema econômico Americano, o sistema econômico Chinês, o sistema econômico Europeu e o sistema Brasileiro.

Eu diria que nós estamos bem em uma fase de transição na qual o mundo está apenas começando a pensar sobre a criação de um novo sistema econômico. Mas nós temos um longo caminho a ir antes que nós possamos desenvolver uma forma forte e resiliente de governança global. A presente crise na Europa mostra que nós não podemos nos apressar e criar uma nova ordem monetária sem uma união fiscal, uma união bancária e uma união política que respondam as pessoas.Se o G20 tentar substituir o sistema monetário de Bretton Woods sem um grande grau de co-operação internacional, que envolva todos os setores da sociedade, o mundo estará fazendo um grande erro. A solução não está com o clube soberano de nações ou com o clube dos bancos e corporações de elite. Ela está com as pessoas e nossa habilidade para criar responsabilidade política para a administração e produção de nossos bens comuns. Ela envolve nossa habilidade em criar as novas estruturas que irão dar apoio a sustentabilidade e partilha.

Um colapso do sistema monetário

SI: O sistema monetário irá entrar em colapso e por que?

JQ: Sim, ele irá entrar em colapso. Nenhum sistema monetário na história durou indefinidamente. É fácil de ver o motivo: a sociedade e a economia estão constantemente superando suas velhas estruturas. A crise econômica que nós experienciamos em 2008 foi uma crise financeira. A próxima crise será uma crise monetária. Será um reconhecimento de que as reservas bancárias-- os ativos que os bancos agora reivindicam ter em reserva-- não existem de forma alguma próximos da escala que os bancos estão publicamente relatando. O grau de alavancagem é muito alto e a transparência dos bancos é bem opaca. Com o escândalo da Libor [London Interbank Offered Rate- Taxa Oferecida Interbancária Londrina] na Grã-Bretanha, nós estamos agora vendo que o bancos estiveram trapaceando com as taxas de juro por muito tempo. Esta é apenas a ponta do iceberg. Taxas de juros não são os valores comandados pelo mercado que eles estão dizendo serem. Como elas são agora formuladas, taxas de juros são a expressão de bancos centrais. Em um mundo de 7 bilhões de pessoa, não há contradição maior do que o fato de que um punhado de bancos centrais estão realmente criando valor global nas costas de todo o mundo através da taxa de juros. O sistema bancário internacional tem o poder da criação internacional de valor em suas mãos, quando na verdade a moeda global e o dinheiro têm um valor e significância que é muito mais coletivo e intersubjetivo do que o presente sistema nos permite expressar.

Eu acho que uma total mudança de sistema é necessária-- que nós devemos conscientemente projetar o próximo estágio na expressão do valor global através de nossa inteligência coletiva ao invés de inconscientemente criar um sistema baseado nas suposições do passado (por exemplo, um novo sistema monetário criado por uma ou poucas nações, que utilizam um único recurso como o ouro ou o petróleo como uma base de reserva). Em muitos lugares agora ao redor do mundo, há um crescente reconhecimento de que valor é uma expressão cultural e que o direito de dar forma ao valor da moeda deve estar nas mãos das pessoas. Quando o atual sistema entrar em colapso e um novo sistema for criado, tudo irá mudar: política, economia e cultura, e nossas abordagens para com todos os aspectos da vida. Esta será nossa oportunidade para ajustar o sistema monetário do mundo através da criação de uma moeda que não gere juros ou dívida.

Então esta não é apenas uma questão política. Nossa moeda deve refletir expressões partilhadas do valor interno de todos os indivíduos juntos-- que não podem ser medidos através de preços externos no mercado. Eu acho que os bens comuns permitiram a comunidade global expressar e administrar a preservação de recursos naturais, segurança energética, inovação social, significado cultural, e a qualidade social da vida e bem estar humano diretamente através de valores de moeda, ao invés de através de preços.

Uma moeda baseada em indicadores da comunidade, inovação, potencial humano e social, acesso mais justo a energia, sustentabilidade, e novas ecologias de governança e produção-- expressando valores globais e incentivos em tempo real-- iriam reformular o presente sistema de valor. Isto iria romper com o imperativo do crescimento interminável e frear as catastróficas mudanças climáticas. Eu acredito que um novo regime de dinheiro nestas linhas seja essencial para se ajustar os padrões fundamentais da atividade humana para um novo, holístico sistema social que terá um benefício mais durador para a presente e futuras gerações. Sim, eu acho que um colapso monetário global seguido por um compreensivo reajustamento seja realmente uma coisa benéfica ao invés de algo a ser temido. Mas não há garantias de que o mundo esteja pronto para criar este tipo sistema inclusivo. Para mim, a principal questão é: nós conseguiremos definir nossas prioridades e criarmos as condições para partilha pela compreensão de que o valor de nossa moeda é uma expressão coletiva da humanidade?

Destinado a partilha

SI: Como você vê sua visão se tornando realidade, na qual as pessoas estejam realmente partilhando os bens comuns globais?

JQ: Seguindo a tradição nos livros de Alice Bailey, o livro A Master Speaks vem à mente, no qual o Mestre de Benjamin Creme diz o seguinte:
"Treinados pelos membros mais elevados da Hierarquia Esotérica, existe agora um grupo de homens e mulheres espiritualmente orientados para lidarem efetivamente com os problemas do tempo. Quando o chamado soar a diante, que será logo, eles irão tomar o trabalho pelo qual eles foram preparados: a reconstrução de nossa vida planetária em linhas inteiramente novas."

"Trabalhando em todos os campos, este grupo de dedicados discípulos irão mostrar o caminho para a humanidade seguir. Vindo como eles vêm de muitas nações, eles serão capazes de focarem e canalizarem as aspirações de todas as pessoas por um mundo de paz e justiça. Eles são, em sua maior parte, desconhecidos no presente, mas logo seus nomes e trabalhos irão levar luz aos olhos dos homens, inspirando eles com esperança e expectativa de um futuro melhor. Eles trabalham hoje sem serem vistos, mas estão prontos para colocarem seus dons e treinamentos a serviço da raça. Eles serão conhecidos por seus amores altruístas e sábios julgamentos; pelos seus sentimentos de dever e dedicação para suas tarefas. Treinados pelos Mestres, eles irão refletir algo de Seus desapegos e conhecimento, trazendo um novo ritmo e ordem para nosso mundo caótico.

"Em pouco tempo, do desenho do futuro agora descendo, irão se precipitar as formas da nova civilização. Cada nação tem uma parte a exercer, trazendo à estrutura do Todo sua voz particular. Nisto, as Nações Unidas terão um papel vital, co-ordenando os planos para reconstrução e redistribuição. Mesmo agora, apesar das limitações impostas pelas maiores potências, a contribuição para a paz mundial feita pelas Nações Unidas é grande. Suas agências educam e trazem socorro para milhões em muitas terras. Como um fórum para o debate mundial, sua posição é única e inestimável. Triste seria o dia e grande seria a perda para a humanidade se as nações perdessem a fé nesta instituição, central como ela é para a realização do Plano Divino.

"Muitos esperam que Maitreya e os Mestres corrijam todos os males e transformem o mundo. Que Eles irão mostrar o caminho, guiar e inspirarem, não pode ser contradito. Que Suas luzes e sabedoria serão colocados a serviço da humanidade é igualmente verdade. Mas o trabalho de transformação deverá ser realizado pela própria humanidade, alegremente aceitando as mudanças e sacrifícios que devem se seguir. Apenas através de tal aceitação disposta as mudanças podem acontecer, e criarem as condições para uma vida nova e melhor para o homem. Para conduzir o caminho, e para construir as fundações das estrutura da nova era, estão emergindo agora os treinados arquitetos de vindoura civilização. Reconheçam eles pelos seus desejos em servirem, suas sabedorias e seus amores manifestados." (De: 'A emergência de grandes servidores')

SI: Então Plano está rapidamente se precipitando dos planos mais elevados?

JQ: De fato. Eu estive me consultando com líderes econômicos mundiais por 40 anos. Eu tenho certeza que este esquema não está escondido na gaveta de alguém ou esperando pelo momento certo a se desenrolar. Os meios para o ajustamento econômico global são conhecidos por muitas pessoas. Várias partes desta fórmula macroeconômica já estão no domínio público. É agora uma questão de amarrar estes fios em nossas conversas e consciência e torná-los concretos através de nossas regras e instituições. Os bens comuns estão focando esta forma de pensamento, mas eles apenas serão totalmente percebidos através do livre arbítrio humano e da direção espiritual inspirada. Isto não quer dizer que ele não será controverso em alguns locais. Mas a Hierarquia esteve visionando este ajuste financeiro por milhares de anos e agora a resposta já existe nos corações da humanidade: nós estamos destinados a partilhar nossos recursos comuns.

Informação: www.globalcommonstrust.org e www.global-negotiations.org

mensagem anterior mensagem seguinte


HomeCopa

  | INÍCIO |